Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Eric Auchard
LONDRES, 12 Mar (Reuters) – O Uber UBER.UL está buscando
uma segunda chance em Barcelona, três anos após ter sido forçado
a abandonar a operação diante de protestos de motoristas de
táxi, por meio da introdução de um serviço totalmente licenciado
que satisfaz as leis locais de transporte.
Seu novo serviço UberX funcionará com centenas de motoristas
profissionais e licenciados, em contraste com o serviço UberPop
que funcionou até o final de 2014, com motoristas
não-profissionais, disse o Uber nesta terça-feira.
O Uber está procurando alterar suas práticas de negócios que
resultaram em uma série de batalhas regulatórias, escândalos
envolvendo motoristas e clientes e em casos judiciais.
"Nós cometemos erros ao longo do caminho", disse o
gerente-geral do Uber para o Sudoeste Europeu, Carles Lloret, em
uma postagem no blog da empresa.
"Estamos mudando a maneira como fazemos negócios, colocando
a integridade no cerne de cada decisão que tomamos e trabalhando
duro para ganhar a confiança das cidades nas quais operamos.
Barcelona não é exceção", afirmou Lloret.
Em janeiro, o presidente-executivo do Uber, Dara
Khosrowshahi, disse que estava focado no "crescimento
responsável", enquanto procurava encerrar uma cultura agressiva
e intransigente na busca de resultados, que herdou ao se juntar
no ano passado à empresa pioneira no serviço de transporte
urbano compartilhado por aplicativo.
Dois anos atrás, o Uber reintroduziu o UberX usando
motoristas profissionais em Madri. Em dezembro de 2014, um juiz
havia ordenado que todos os serviços da Uber fossem fechados na
capital espanhola.
Criticando o retorno do Uber como uma concorrência desleal
para seus meios de subsistência, motoristas de táxi organizaram
uma série de greves de 24 horas em Madri, Barcelona e outras
cidades espanholas no ano passado.
"Estamos totalmente empenhados em trabalhar com todo o setor
– incluindo táxis – para melhorar a mobilidade em Barcelona
juntos", disse Lloret.
O Uber, com sede San Francisco, na Califórnia, fechou os
serviços de forma preventiva em Barcelona em dezembro de 2014,
quando as autoridades locais se preparavam para aprovar uma
legislação contra o serviço UberPop.
Os protestos de associações de táxis no ano passado contra
o Uber também visavam a empresa rival Cabify, fundada em Madri
em 2012 e que opera na Espanha, Portugal e América Latina.
(Por Eric Auchard)
((Tradução Redação São Paulo, +5511 5644 7719))
REUTERS RBS GM


Assuntos desta notícia