Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Richard Cowan
WASHINGTON, 31 Jan (Reuters) – O presidente dos Estados
Unidos, Donald Trump, disse durante seu discurso ao Congresso na
noite de terça-feira que deseja estender uma "mão aberta" para
trabalhar com os dois partidos em temas como imigração, mas
passou a maior parte do pronunciamento encarando republicanos e
mal olhou para os democratas.
No plenário da Câmara dos Deputados onde Trump fez seu
primeiro discurso do Estado da União, os republicanos, que se
sentaram à esquerda, mostraram entusiasmo enquanto o presidente
defendia os cortes de impostos e se vangloriava do desempenho da
economia.
Do lado republicano do salão, Trump foi aplaudido de pé
cerca de 70 vezes, mas os democratas, sentados à direita,
ficaram em silêncio na maior parte do tempo. Muitos se vestiram
de preto, uma expressão de solidariedade às vítimas de má
conduta sexual que aumentou o clima fúnebre de seu lado do
salão.
Diante de tal ambiente do lado democrata durante os momentos
iniciais de seu discurso, Trump se voltou para seus colegas
republicanos e concentrou neles quase toda sua atenção.
Se o povo norte-americano está profundamente dividido, como
ilustrado pela eleição presidencial de 2016, o Congresso também
esteve na noite de terça-feira quanto a temas como impostos,
saúde e raça.
Democratas vaiaram e assobiaram quando Trump prometeu
limitar o poder dado aos imigrantes para patrocinar a ida de
familiares e irmãos para os EUA.
Já os republicanos vibraram quando seu líder declarou estar
conseguindo enfraquecer o Obamacare, a lei de saúde promulgada
pelo presidente Barack Obama.
Outras partes do discurso que foram populares junto aos
republicanos foram sua discussão sobre cortes de impostos, a
bandeira norte-americana, Deus e a exploração do "lindo carvão
limpo".
((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))
REUTERS PF


Assuntos desta notícia