Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

NOVA YORK, 15 Set (Reuters) – O spread entre os rendimentos
dos Treasuries mais longos e mais curtos diminuiu nesta
sexta-feira, quando os operadores ampliaram as apostas de que o
Federal Reserve, banco central dos Estados Unidos, vai esperar
até o final do ano para elevar os juros e de que vai se
concentrar em seu balanço patrimonial na reunião da política
monetária da próxima semana.
O último lançamento de míssil pela Coreia do Norte sobre o
Japão e uma explosão de bomba no metrô de Londres foram deixados
de lado pelos mercados financeiros.
Os rendimentos dos Treasuries mais longos tinham pouca
variação, limitados pelas quedas inesperadas nas vendas do
varejo e na produção industrial do país em agosto, que
reavivaram algumas preocupações sobre o crescimento econômico no
terceiro trimestre.
O spread do rendimento entre os Treasuries de cinco e de 30
anos diminuiu para 97 pontos base, o menor desde
7 de julho, antes de ir a 97 pontos, de acordo com o Tradeweb.
Já o avanço de 0,4 por cento nos preços ao consumidor em
agosto divulgado nesta semana reavivou as apostas de que o Fed
vai aumentar is custos de empréstimo de curto prazo em sua
reunião de política monetária em 12 e 13 de dezembro. Mas não
alterou a visão atual de que o banco central não aumentará os
juros muito além dos níveis atuais.
"Será difícil para a ponta curta da curva precificar um Fed
mais agressivo", disse o gerente de carteira no Morgan Stanley
Investment Management Jim Caron.
Os juros futuros indicam que os operadores veem 58 por cento
de chances de uma alta dos juros em dezembro, contra 52 por
cento no fechamento de quinta-feira, mostrou a ferramenta
FedWatch do CME Group.
As autoridades do Fed não devem mudar sua postura cautela
sobre a alta dos juros e a expectativa é de que foquem em seus
planos para reduzir a carteira de 4,2 trilhões de dólares do
banco cem títulos na reunião da próxima semana, disseram
analistas.
Às 13:48 (horário de Brasília), os títulos de 10 anos
rendiam 2,1970 por cento, após atingir a máxima de
três semanas de 2,225 por cento na quinta-feira.
O rendimento dos títulos de dois anos , que é
sensível à visão dos operadores sobre a política monetária do
Fed, estava em 1,3803 por cento. Ele atingiu 1,388 por cento
pela segunda vez mais cedo na sessão, a máxima desde 26 de
julho, segundo dados da Reuters.
(Por Richard Leong)
((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7509))
REUTERS TF CMO


Assuntos desta notícia