Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Por Susan Cornwell e Amanda Becker
WASHINGTON, 30 Nov (Reuters) – Uma abrangente reforma
tributária patrocinada pelo Partido Republicano ganhou força no
Senado dos Estados Unidos nesta quinta-feira com o apoio do
senador John McCain, conforme líderes do partido realizavam
negociações nos bastidores para tentar assegurar votos
suficientes para aprovação.
McCain, peça-chave no colapso em julho de um esforço
republicano para revogar o Obamacare, disse que o projeto de lei
de impostos está "longe de perfeito". Mas o herói de guerra e
ex-candidato presidencial afirmou que o projeto irá impulsionar
a economia e dar alívio fiscal para todos os norte-americanos.
A senadora republicana Susan Collins, que também desempenhou
um papel no fracasso da revogação do Obamacare, disse a
repórteres que ainda não está comprometida em apoiar o projeto
tributário.
O Senado, controlado pelo Partido Republicano, deve começar
uma votação possivelmente caótica sobre emendas de republicanos
e democratas antes de seguir para uma votação final tarde da
noite ou no início da sexta-feira.
Horas antes dos votos, senadores ainda discutiam sobre os
conteúdos do projeto de lei. Diversos republicanos mantiveram
apoio enquanto buscam mudanças, incluindo limites sobre quanto o
projeto de lei irá aumentar o déficit federal, inclusão de uma
dedução federal de até 10 mil dólares em impostos de
propriedades locais e do Estado, e maiores incentivos fiscais
para companhias "pass-through", incluindo pequenas empresas.
Como esboçado, o projeto de lei do Senado irá cortar a taxa
de impostos de corporações norte-americanas de 35 para 20 por
cento e reduzir a carga tributária sobre empresas e indivíduos,
embora encerre muitos incentivos fiscais, mas ainda irá
acrescentar 1,4 trilhão de dólares à dívida federal que já
ultrapassa 20 trilhões de dólares.
((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447765))
REUTERS TR


Assuntos desta notícia