Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Maria Tsvetkova e Polina Ivanova
UST-DJEGUTA, Rússia, 18 Mar (Reuters) – Os russos foram às
urnas neste domingo e devem reeleger facilmente o atual
presidente, Vladimir Putin, mas seus oponentes denunciam que
autoridades estão constrangendo as pessoas para que compareçam
às zonas eleitorais, com o intuito de que a vitória não fique
manchada pelo baixo comparecimento.
Pesquisas de opinião dão a Putin o apoio de cerca de 70 por
cento do eleitorado, quase sete vezes mais do que o seu
adversário mais próximo.
Caso ele obtenha um novo mandato, ficará quase um quarto de
século no poder, uma longevidade apenas inferior à do ditador
Josef Stalin.
Muitos eleitores dizem que Putin, um ex-espião da KGB de 65
anos, defende os interesses da Rússia em um contexto
internacional que, afirmam, é hostil ao país.
A anexação russa da região da Crimeia – anteriormente
território ucraniano –, a suposta interferência na eleição
norte-americana e a campanha militar russa na Síria foram
condenadas pelo Ocidente. Mas, para muitas pessoas no país, tais
fatos apenas aumentaram os atributos de Putin como um líder
firme.
Uma recente polêmica com o Reino Unido de que o Kremlin
teria usado um gás tóxico para envenenar um agente duplo russo
em território britânico – algo negado por Moscou –, não alterou
a força de Putin.
“Votei no Putin”, disse Lyubov Kachan, um professor do
assentamento de Ust-Djeguta, no sul da Rússia. “Se algo não está
dando certo para nós agora, devemos creditar esse fato ao mundo,
que nos trata muito mal, enquanto ele tenta reagir a isso.”
O único problema para a campanha de Putin é a possibilidade
de muitos eleitores, inclusive os dele, não comparecerem às
zonas eleitorais, prevendo que a vitória está certa.
Os adversários de Putin alegam que empresa próximas ao líder
estão obrigando seus funcionários a comprovarem que votaram.
Repórteres da Reuters testemunharam pessoas em várias zonas
tirando fotos delas mesmas em frente às urnas. Algumas chegavam
aos locais de votação em ônibus fretados.
((Tradução Redação Brasília, +5561 34267020))