Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

(Repete texto publicado na noite de quinta-feira)
RIO DE JANEIRO, 3 Mai (Reuters) – O presidente da Câmara dos
Deputados, Rodrigo Maia (DEM-RJ), disse nessa quinta-feira que
pretende manter a candidatura à Presidência da República e não
cogita ser vice em um outra chapa, apesar do desempenho baixo
nas pesquisas de opinião.
Maia afirmou que não aceitaria ser vice em uma chapa de
outro presidenciável porque isso não combina com ele.
“Acho que vice é um papel que cabe a um tipo de perfil de
político que eu acredito que não seja o meu”, disse Maia a
jornalistas, no Rio de Janeiro.
Sobre a escolha do vice de sua chapa presidencial, Maia,
disse será definido na convenção do DEM em julho e ainda há
tempo, acrescentando que a imprensa “não deve ficar ansiosa”.
As pesquisas de opinião vem mostrando um desempenho ruim de
Maia que tem aparecido com cerca de 1 por cento das intenções de
voto. Outros candidatos que estiveram no governo até bem pouco
tempo, como o ex-ministro Henrique Meirelles, o ex-presidente do
BNDES Paulo Rabello de Castro e o próprio presidente Michel
Temer não têm se saído melhor.

CRÍTICAS À INTERVENÇÃO NO RIO
Maia, que é do Rio de Janeiro, aproveitou para criticar os
resultados da intervenção federal na área de segurança pública
do Estado. Segundo ele, a atuação dos militares ainda não trouxe
os resultados esperados.
“Minha crítica é que até agora não vi o início do trabalho
da forma como todos nós estamos torcendo que aconteça“, afirmou
o presidente da Câmara. “Vamos esperar nos próximo meses
melhores resultados do que os que apareceram até agora."
Para Maia, o problema) não é só a falta de recursos. "A
intervenção era necessária, mas foi decretada sem muito
planejamento.”
Uma pesquisa feita por um centro de estudos ligado a
Universidade Cândido Mendes, do Rio de Janeiro, mostrou que nos
meses de março e abril, os tiroteios, mortes e chacinas
aumentaram no Rio de Janeiro.
Nesta quinta-feira, ao menos seis suspeitos de ligação com o
tráfico de drogas morreram e três ficaram feridos em tiroteios
com a polícia na favela Cidade de Deus. Um PM do Bope, tropa de
elite, também foi baleado.
Os confrontos na comunidade fecharam uma via expressa
próxima e motoristas tiveram que se jogar no chão e se esconder
atrás de uma mureta divisória para escapar dos tiros.

MetaTrader 300×250

(Reportagem de Rodrigo Viga Gaier
Edição de Alexandre Caverni)
(([email protected]; 5511 56447702; Reuters
Messenger: [email protected]))


Assuntos desta notícia