Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

LONDRES, 12 Abr (Reuters) – O secretário de Relações
Exteriores do Reino Unido, Boris Johnson, pediu que Mianmar
liberte dois jornalistas da Reuters que foram presos após serem
acusados de deter documentos confidenciais do governo.
Na quarta-feira, um juiz de Yangon rejeitou um pedido para
anular o caso contra os repórteres da Reuters Wa Lone, de 32
anos, e Kyaw Soe Oo, de 28.
"Muito decepcionado em escutar que os jornalistas birmaneses
da Reuters Kyaw Soe Oo e Wa Lone agora enfrentarão julgamento",
disse Johnson em publicação no Twitter. "Reitero meus pedidos
pela sua libertação: autoridades birmanesas precisam mostrar seu
comprometimento com a liberdade de imprensa".
Um tribunal de Yangon tem realizado audiências preliminares
desde janeiro para decidir se os jornalistas serão julgados sob
a Lei de Segredos Oficiais, que data da era colonial do país e
prevê pena máxima de 14 anos de prisão.
O juiz Ye Lwin disse que ainda não era o momento para uma
anulação do caso, porque gostaria de ouvir as oito testemunhas
restantes da acusação, de um total de 25, informou o advogado
dos repórteres, Khin Maung Zaw.
Apenas depois disso, o tribunal deve decidir se irá ou não
julgar os dois jornalistas.
(Reportagem de William James)
((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 22237141))
REUTERS MCP ES


Assuntos desta notícia

Join the Conversation