Clicky

MetaTrader 728×90

Por Crispian Balmer e Angelo Amante
ROMA, 6 Jun (Reuters) – O primeiro-ministro italiano,
Giuseppe Conte, foi aprovado tranquilamente em uma moção de
confiança na câmara baixa do Parlamento nesta quarta-feira,
confirmando a maioria de seu governo depois de prometer
negociações duras com a Europa a respeito da economia.
Apoiado pelo anti-establishment Movimento 5 Estrelas e pelo
partido de extrema-direita Liga, Conte venceu uma votação
inicial no Senado na terça-feira e agora pode levar adiante o
programa de sua coalizão, que inclui cortes de impostos, aumento
de benefícios e uma reforma da Justiça.
A oposição acusou o advogado de 53 anos, que não tem
experiência política ou administrativa, de ser um fantoche nas
mãos dos dois partidos de sua coalizão e disse que ele fez uma
série de promessas que a endividada Itália não poderá bancar.
Conte disse à câmara baixa que seu governo almeja incentivar
o crescimento e ao mesmo tempo reduzir o montante da dívida –a
terceira maior do mundo em termos absolutos.
"Negociaremos no nível europeu… e esperamos ter a firmeza
e a determinação necessárias para ser ouvidos por nossos
parceiros", disse.
Ele venceu a moção de confiança na câmara baixa com 350
votos a favor, 236 contra e 35 abstenções.
A Liga e o 5 Estrelas prometeram não fazer concessões à
União Europeia no tocante às finanças do país, queixando-se de
que as regras fiscais atuais são rígidas demais por se
concentrarem muito na redução do déficit, e não no crescimento
econômico.
Os investidores receiam que os planos de grandes gastos do
governo ameacem as contas públicas já frágeis, e os bônus
públicos italianos sofreram uma pressão ainda maior nesta
quarta-feira em meio a sinais de que o Banco Central Europeu
está se preparando para reduzir os enormes estímulos que
beneficiaram grandemente o mercado de dívida soberana da zona do
euro.
Os títulos de 10 anos saltaram 0,19 ponto percentual e
chegaram a 2,93 por cento. Ele pairava em torno dos 2 por cento
antes das eleições nacionais de 4 de março, nas quais a Liga e o
5 Estrelas derrotaram os partidos tradicionais.
Rivais eleitorais implacáveis, os dois grupos demoraram
semanas para montar sua coalizão e forjar um gabinete que,
dizem, provocará mudanças radicais no país, que há anos vem
sendo assolado pelo baixo crescimento e alto desemprego.
Ainda nesta quarta-feira Conte prometeu investir em
infraestrutura, mas devem surgir desavenças na coalizão a
respeito das prioridades. O 5 Estrelas se concentrou nas
preocupações ambientais, mas a Liga tem tradição de apoiar
grandes projetos industriais.
(Reportagem adicional de Massimiliano Di Giorgio e Gavin
Jones)
((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447702))
REUTERS AC


Assuntos desta notícia