Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Por Costas Pitas
LONDRES, 9 Out (Reuters) – A primeira-ministra do Reino
Unido, Theresa May, disse a líderes empresariais que eles
deveriam ver o período de transição de dois anos após a saída
britânica da União Europeia, conhecida como Brexit, como algo
garantido, uma tentativa de tranquilizar as empresas temerosas
de que o país possa deixar o bloco sem um acordo, disse uma
fonte à Reuters.
May encontrou os chefes da GlaxoSmithKline, da Vodafone e do
HSBC, entre outras grandes companhias, nesta segunda-feira para
ouvir o que eles esperam das conversas a respeito do
relacionamento britânico com a UE após o Brexit.
As empresas vêm ficando cada vez mais alarmadas com o
progresso lento das negociações e com a perspectiva de o país se
separar do bloco sem um novo pacto comercial em vigor em 2019.
"Do ponto de vista dela, o acordo de transição não é
negociável… o empresariado deveria pensar no período de dois
anos como garantido. Acontecerá", disse a fonte quando indagada
sobre o que a premiê disse durante os debates desta
segunda-feira.
Uma porta-voz do gabinete de May informou que ela insistiu
na posição "de que o objetivo do governo é uma saída suave e
ordeira na qual só exista um conjunto de mudanças para os
negócios e as pessoas".
Quase todos os líderes empresariais expressaram preocupação
com o acesso à mão de obra qualificada depois do Brexit, e
vários disseram a May que, por causa do ciclo de investimento,
há decisões a serem tomadas no final de 2017 e no início de
2018, segundo a fonte.
Na semana passada, duas fontes disseram à Reuters que a
montadora de veículos Toyota pretende construir a próxima versão
do carro Auris em sua fábrica britânica partindo do pressuposto
de que o governo obterá um acordo de transição pós-Brexit em uma
decisão esperada para o final deste ano.
((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447765))
REUTERS TR


Assuntos desta notícia

Join the Conversation