Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Jeff Mason
WASHINGTON, 21 Nov (Reuters) – O presidente dos Estados
Unidos, Donald Trump, defendeu nesta terça-feira o controverso
candidato ao Senado dos EUA Roy Moore, dizendo que o republicano
do Alabama havia negado acusações de condutas sexuais
inapropriadas e enfatizou não querer que o adversário democrata
de Moore vença.
Trump disse anteriormente que Moore deveria se afastar caso
as acusações fossem verdadeiras.
Trump, falando a repórteres na Casa Branca antes de viajar à
Flórida, deixou aberta a possibilidade de realizar campanha para
Moore, dizendo que irá fazer um anúncio sobre isto na próxima
semana.
"Roy Moore nega isto, ele nega isto totalmente", disse
Trump.
A posição de Trump é contrária à de outros republicanos. O
republicano líder da maioria no Senado dos EUA, Mitch McConnell,
e outros parlamentares proeminentes pressionaram Moore para
deixar a disputa.
Os comentários de Trump representam uma mudança na
estratégia da Casa Branca, que tentou amplamente se distanciar
da controvérsia de Moore.
A porta-voz da Casa Branca, Sarah Sanders, disse
repetidamente que eleitores do Alabama devem decidir a eleição,
e Trump manteve sua posição de que Moore deve se afastar caso as
acusações fossem verdadeiras. A Casa Branca também apoiou a
decisão do Comitê Nacional Republicano de retirar apoio ao
controverso ex-presidente da Suprema Corte do Alabama.
A campanha de Moore tem estado em tumulto desde que o
Washington Post publicou uma reportagem detalhando relatos de
três mulheres que dizem ter sido perseguidas por ele quando eram
adolescentes e ele estava na casa dos 30 anos. Mais mulheres se
manifestaram desde então com acusações próprias.
Moore, de 70 anos, negou qualquer transgressão.
A Reuters não pôde confirmar de forma independente qualquer
uma das acusações.
((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447759))
REUTERS ES


Assuntos desta notícia