Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Por Yasmeen Abutaleb
WASHINGTON, 12 Out (Reuters) – O presidente dos Estados
Unidos, Donald Trump, assinou um decreto nesta quinta-feira para
enfraquecer a lei do Obamacare e tornar mais fácil para os
norte-americanos contratar planos de saúde básicos, mas a ação
pode enfrentar possíveis desafios na Justiça.
O decreto de Trump marca o mais recente esforço de sua
administração para derrubar o programa do ex-presidente Barack
Obama sem recorrer aos parlamentares, após os republicanos do
Senado falharem em aprovar uma legislação que acabaria com o
Obamacare.
A medida de Trump também foi seu passo mais concreto para
acabar com o Obamacare deste que tomou posse em janeiro, após
prometer aos eleitores que iria acabar com a legislação
estabelecida em 2010.
"O custo do Obamacare tem sido muito revoltante, ele tem
destruído absolutamente tudo por onde passa", disse Trump em uma
cerimônia de assinatura do decreto na Casa Branca.
A medida de Trump eleva o acesso da população a planos de
saúde que não oferecem benefícios como maternidade e cuidados a
recém-nascidos, medicamentos sob prescrição, cuidados de saúde e
tratamento a viciados. O Obamacare exige que a maior parte dos
planos de saúde de pequenas empresas e planos individuais cubram
esses benefícios.
A ordem também busca mudar um limite da era Obama para o
tempo pelo qual pessoas podem utilizar planos de saúde de curto
prazo, que são mais baratos, mas oferecem poucos benefícios.
Esses planos atualmente são limitados a três meses.
O líder democrata no Senado, Chuck Schumer, acusou Trump de
querer demolir o sistema de saúde dos EUA. "Tendo falhado em
derrubar a lei no Congresso, o presidente está sabotando o
sistema", disse ele em nota.
Trump disse que a ordem é "só o começo" e que sua
administração vai tomar medidas adicionais. Ele disse ainda que
irá "pressionar o Congresso muito fortemente" para o fim e a
substituição do Obamacare "de uma vez por todas".
((Tradução Redação São Paulo, 55 11 5644 7519))
REUTERS LC PF


Assuntos desta notícia