Clicky

MetaTrader 728×90

SAN JUAN, 30 Set (Reuters) – O presidente norte-americano,
Donald Trump, culpou neste sábado Porto Rico pelo ritmo lento de
resposta aos danos devastadores causados pelo furacão Maria,
dizendo que seu governo, criticado pelas ações tomadas em
relação à tempestade, estava fazendo um "grande trabalho".
Trump foi ao Twitter na manhã deste sábado para responder a
prefeita de San Juan, a maior cidade porto-riquenha. Na
sexta-feira, Carmen Yulin Cruz havia criticado o governo de
Trump e implorado por ajuda, em um apelo amplamente
televisionado pelas emissoras dos EUA.
Maria, a tempestade mais poderosa a atingir Porto Rico em
quase 90 anos, cortou a energia elétrica e os sistemas de
comunicação, dificultando a chegada de comida, água e
combustível para a ilha. Pelo menos 16 pessoas morreram, de
acordo com os números oficiais.
Trump, que estava passando seu fim de semana em um clube de
golfe privado em Bedminster, Nova Jersey, disse que Cruz o
estava atacando por razões partidárias.
"Liderança pobre da prefeita de San Juan e outros em Porto
Rico, que não estão conseguindo fazer com que seus trabalhadores
ajudem", disse Trump, que deve visitar a ilha na terça-feira.
"Eles querem que tudo seja feito por eles, quando deveria ser um
esforço da comunidade".
Cruz, que está vivendo em um abrigo depois que sua casa foi
destruída pelo furacão, não foi encontrada imediatamente para
comentar. Mas, depois da crítica de Trump, ela foi ao Twitter
para agradecer legisladores republicanos que visitaram a ilha.
"O objetivo é apenas um: salvar vidas. Este é o momento de
mostrarmos quem somos", afirmou ela, publicando fotos de
porto-riquenhos ajudando outros. "Não podemos nos distrair por
mais nada".
Trump deve conversar neste sábado com o governador de Porto
Rico, Ricardo Rossello, por telefone.
(Por Gabriel Stargardter e James Oliphant)
((Tradução Redação São Paulo; 55 11 56447553))
REUTERS GM


Assuntos desta notícia