Clicky

Chart Trading 728×90

BRASÍLIA (Reuters) – O ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) e relator dos processos da Lava Jato na corte, Edson Fachin, defendeu nesta segunda-feira o fim do chamado foro privilegiado.

O ministro afirmou que a seletividade do direito penal precisa ser combatida e que a lei penal deve ser a mesma para todos os cidadãos, informou nota divulgada pela assessoria do Tribunal Regional Federal da 4ª Região .

Profitchart Pro 300×250

"O foro privilegiado é uma exceção não justificada no sistema republicano e sua extinção urge", disse Fachin em Porto Alegre, onde participou do 6º Fórum Nacional de Juízes Federais Criminais (Fonacrim), promovido pela Associação dos Juízes Federais do Brasil (Ajufe).

O ministro defendeu ainda que seja mantido o entendimento, por parte dos tribunais superiores, de que a execução da pena deve ocorrer já a partir da condenação em segunda instância.

Fachin também destacou a relevância de institutos como a delação premiada, referindo-se ao instrumento como um "importante meio de produção de prova".

(Reportagem de Maria Carolina Marcello)
2017-10-09T220200Z_1_LYNXMPED981Q9_RTROPTP_1_BRAZIL-CORRUPTION-JBS.JPG urn:newsml:onlinereport.com:20171009:nRTROPT20171009220200LYNXMPED981Q9 Ministro Edson Fachin durante sessão no STF OLBRTOPNEWS Reuters Brazil Online Report Top News 20171009T220200+0000 20171009T220200+0000


Assuntos desta notícia

Join the Conversation