Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Kole Casule Renne e Renee Maltezou
ESCÓPIA/ATENAS, 13 Jun (Reuters) – O presidente da Macedônia
disse nesta quarta-feira que não irá assinar um acordo feito com
a Grécia para mudar o nome do país, afastando esperanças de um
rápido fim a uma disputa diplomática que tem bloqueado a
tentativa da Macedônia de se juntar à União Europeia e à Otan.
Na Grécia, o primeiro-ministro Alexis Tsipras enfrentou uma
série de críticas e a possibilidade de uma moção de desconfiança
contra seu governo após ele e o primeiro-ministro macedônio,
Zoran Zaev, anunciarem o acordo na terça-feira.
Sob o acordo, a Macedônia seria formalmente reconhecida como
“República da Macedônia do Norte”. O país é atualmente
reconhecido na Organização das Nações Unidas como “Antiga
República Iugoslava da Macedônia”.
Atenas há tempos contesta o uso do nome “Macedônia” pelo
país vizinho, dizendo que isto implica reivindicações
territoriais a uma província no norte da Grécia e que também
representa apropriação da antiga herança cultural grega.
“Minha posição é final e não irei ceder a nenhuma pressão,
chantagem ou ameaça. Eu não irei apoiar ou assinar um acordo tão
prejudicial”, disse o presidente da Macedônia, Gjorge Ivanov, em
entrevista coletiva na Escópia.
Ivanov, que é apoiado pela oposição nacionalista VMRO-DPMNE,
pode vetar o acordo. O governo de centro-esquerda da Macedônia
também precisa de uma maioria de dois terços para conseguir
aprovação parlamentar e isto exigiria apoio da VMRO-DPMNE, que é
fortemente oposta ao acordo.
O presidente também disse que a possível futura participação
da Macedônia na UE e na Otan não é uma desculpa suficiente para
assinar um “acordo ruim”.
O acordo deve ser aprovado por macedônios em um referendo,
assim como pelos Parlamentos de ambos os países.
((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447765))
REUTERS TR


Assuntos desta notícia

Join the Conversation