Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

BRASÍLIA (Reuters) – A procuradora-geral da República, Raquel Dodge, manifestou-se a favor do pedido da Polícia Federal de prorrogar por 60 dias o inquérito que investiga o presidente Michel Temer por suposto repasse de propina da Odebrecht para o MDB para as eleições de 2014, informou à Reuters uma fonte com conhecimento direto do caso.

Caberá ao ministro Edson Fachin, relator do inquérito no Supremo, decidir se aceita o pedido.

MetaTrader 300×250

A investigação envolve a suspeita de crime numa contribuição de 10 milhões de reais para o então PMDB, que teria sido formalizada em um jantar no Palácio do Jaburu, com a presença de Temer, do empresário Marcelo Odebrecht e dos hoje ministros Eliseu Padilha (Casa Civil) e Moreira Franco (Secretaria-Geral da Presidência da República) em 2014.

O presidente entrou para o rol de investigados desse inquérito em março, após Fachin ter aceitado pedido da procuradora-geral da República, Raquel Dodge, para inclui-lo. Inicialmente, o inquérito investigava apenas Padilha e Moreira.

(Reportagem de Ricardo Brito)
2018-06-14T231409Z_1_LYNXMPEE5D2AD_RTROPTP_1_POLITICA-PGR-PRORROGACAO.JPG urn:newsml:onlinereport.com:20180614:nRTROPT20180614231409LYNXMPEE5D2AD Presidente Michel Temer durante cerimônia no Palácio do Planalto, em Brasília OLBRTOPNEWS Reuters Brazil Online Report Top News 20180614T231409+0000 20180614T231409+0000


Assuntos desta notícia

Join the Conversation