Clicky

MetaTrader 728×90

Por Lisandra Paraguassu

PORTO ALEGRE (Reuters) – Barrados pelo esquema de segurança a cerca de um quilômetro do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4), os partidários do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva aguardavam sob o sol nesta quarta-feira alguma notícia do julgamento com ar de desânimo.

MetaTrader 300×250

O caminhão de som contratado pela organização, depois ter a presença de deputados e lideranças, estava ocupado por shows musicais neste início da tarde na capital gaúcha. Embaixo, os manifestantes ainda nem sabiam que as primeiras notícias vindas do tribunal não eram boas para o ex-presidente.

Vindos de outros Estados do sul do país, dois assentados da reforma agrária -que preferiram não de identificar- procuraram a Reuters para saber como andava o julgamento. Ao saber que o primeiro voto, do relator João Pedro Gebran Neto, não só mantinha a condenação como aumentava a pena para 12 aos e 1 mês, mostraram desanimação. Na primeira instância, o juiz Sérgio Moro tinha condenado o petista a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção passiva e lavagem de dinheiro.

"A gente já esperava, mas a esperança é a última que morre", disse um deles. "Vão ter que aguentar depois a reação do povo."

Apesar de o julgamento estar sendo transmitido pela rede Youtube, por algumas tevês e com cobertura em tempo real de vários sites, os organizadores não anunciaram o resultado no microfone.

Rodrigo Miranda, baiano que veio acompanhar por conta própria o movimento pelo presidente, disse sentir uma tristeza ao ver o presidente sendo julgado. Pintor desempregado, afirmou que sua situação piorou muito nos últimos. "É triste o que está acontecendo no Brasil", disse.

Um dos seus companheiros assentados diz, no entanto, que não é tristeza, mas mais indignação o que sente. "O Judiciário tomou a posição de defender a classe rica. É mais um degrau do golpe", disse.

Na terça-feira, depois que milhares de pessoas foram ao centro de Porto Alegre ouvir o ex-presidente discursar, o grupo fez uma caminhada de dois quilômetros até o anfiteatro Pôr-do-Sol, onde estava o acampamento organizado pelo Movimento dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST), para uma vigília.

Nesta quarta pela manhã, o PT informava que 30 mil pessoas se reuniram no local mais próximo ao TRF-4 onde o grupo podia chegar. À tarde, o grupo era bem menor, e se espalhava pelos gramados por perto do carro de som.

"Vamos ficar aqui até o fim. E aí vamos ver o que vai acontecer com esse Brasil", disse à Reuters um dos agricultores assentados.

A 8ª Turma do TRF-4 julga recurso do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra a condenação a 9 anos e 6 meses de prisão por corrupção e lavagem de dinheiro no caso envolvendo um apartamento tríplex no Guarujá, litoral de São Paulo.
2018-01-24T185357Z_1_LYNXMPEE0N1Y8_RTROPTP_1_BRAZIL-POLITICS-LULA.JPG urn:newsml:onlinereport.com:20180124:nRTROPT20180124185357LYNXMPEE0N1Y8 . OLBRTOPNEWS Reuters Brazil Online Report Top News 20180124T184216+0000 20180124T185357+0000


Assuntos desta notícia