Clicky

MetaTrader 728×90

Por Stephen Kalin e Suleiman Al-Khalidi
RIAD/AMÃ, 23 Nov (Reuters) – Os principais representantes da
oposição da Síria se aferraram nesta quinta-feira à sua
exigência de que o presidente Bashar al-Assad não desempenhe
nenhum papel em um período de transição de qualquer acordo de
paz mediado pela Organização das Nações Unidas (ONU), apesar da
especulação de que poderiam abrandar essa postura por causa da
força de Assad no campo de batalha.
A reunião de mais de 140 participantes de um espectro amplo
da oposição majoritária da Síria também criticou duramente a
presença militar do Irã em seu país e pediu que as milícias
xiitas apoiadas por Teerã deixem o território sírio.
"Os participantes enfatizaram que isto (transição) não pode
acontecer sem a saída de Bashar al Assad e seu séquito no início
do período interino", disseram grupos opositores em um
comunicado ao final do encontro na Arábia Saudita.
Milícias apoiadas pelo Irã semearam "terrorismo e divisões
sectárias" entre muçulmanos sunitas e xiitas, afirmou o
comunicado.
Os grupos opositores se reuniram para buscar uma posição
unificada antes de conversas de paz patrocinadas pela ONU depois
de dois anos de uma intervenção militar russa que ajudou o
governo Assad a recapturar todas as principais cidades da Síria.
"A oposição síria enviou a mensagem de que está pronta para
iniciar conversas diretas sérias a respeito de uma transição
política na Síria, e tem uma posição unificada e uma visão para
o futuro da Síria", disse Ahmad Ramadan, porta-voz opositor, à
Reuters.
Na sexta-feira o mediador das conversas de paz da ONU,
Staffan de Mistura, que prepara a nova rodada de conversas em
Genebra, visitará Moscou, onde deve debater a situação na Síria.
((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447765))
REUTERS TR


Assuntos desta notícia