Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Por Yara Bayoumy
KUWAIT, 13 Fev (Reuters) – Os Estados Unidos exortaram nesta
terça-feira os membros da coalizão que combate o Estado Islâmico
a ajudarem a reconstruir o Iraque ou correrem o risco de ver uma
reversão nos avanços feitos sobre o grupo no país do Oriente
Médio.
Washington lidera a coalizão e espera que, após uma luta de
três anos para derrotar os militantes, possa contar de maneira
geral com aliados do Golfo Pérsico para dividir o fardo de
reconstruir o Iraque e para uma aproximação entre iraquianos e
sauditas para enfraquecer a influência do Irã no país, que é
comandado por um governo de liderança xiita.
O Estado Islâmico assumiu o controle de grandes partes do
Iraque e da Síria em 2014.
Doadores e investidores se reuniram no Kuwait nesta semana
para debater iniciativas para reerguer a economia e a
infraestrutura do Iraque agora que ele emerge de um conflito
devastador com os militantes linha-dura, que dominaram quase um
terço da nação.
Bagdá declarou vitória sobre o Estado Islâmico em dezembro,
depois de reconquistar todo o território capturado pelos
militantes em 2014 e 2015. Os combatentes também foram
derrotados em grande medida na vizinha Síria.
Os EUA valorizam as "contribuições generosas" de membros da
coalizão no último ano, mas é preciso mais, disse o secretário
de Estado norte-americano, Rex Tillerson, na reunião da coalizão
no Kuwait.
"Se comunidades do Iraque e da Síria não puderem voltar à
vida normal, corremos o risco do retorno das condições que
permitiram ao ISIS (Estado Islâmico) tomar e controlar vastos
territórios", disse.
"Devemos continuar a libertar resquícios não atacados da
guerra deixados para trás pelo ISIS, habilitar hospitais a
reabrirem, restaurar os serviços de água e eletricidade e levar
meninos e meninas de volta à escola".
((Tradução Redação Brasília, 55 61 3426 7029))
REUTERS RB


Assuntos desta notícia

Join the Conversation