Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Colin Packham
SYDNEY, 2 Mai (Reuters) – O presidente francês, Emmanuel
Macron, disse nesta quarta-feira que não sabe se o presidente
dos Estados Unidos, Donald Trump, irá se ater ao acordo nuclear
firmado em 2015 com o Irã, que muitos no Ocidente veem como a
melhor esperança de impedir Teerã de obter uma bomba nuclear.
Macron visitou Washington na semana passada na esperança de
persuadir Trump a não reinstaurar sanções contra o Irã e colocar
o acordo em risco, mas a Casa Branca não pareceu convencida.
Segundo o acordo, Teerã concordou em limitar seu programa
nuclear em troca da suspensão das sanções dos EUA e outras
punições econômicas. O acordo foi assinado por China, EUA,
França, Reino Unido, Rússia, Alemanha e Irã.
"Não sei se o que o presidente dos EUA decidirá no dia 12 de
maio", disse Macron a repórteres em Sydney depois de se reunir
com o primeiro-ministro, Malcolm Turnbull, durante uma visita
rara de um presidente da França à Austrália.
Na terça-feira, a secretária de imprensa da Casa Branca,
Sarah Sanders, disse que o acordo para limitar o desenvolvimento
iraniano de armas nucleares foi acertado sob pretextos falsos
porque o programa nuclear do regime estava mais avançado do que
este indicou à época.
Macron disse ter abordado a ideia de um acordo muito mais
amplo com Trump, o que foi recebido "muito positivamente".
"Só quero dizer que, seja qual for a decisão, teremos que
preparar uma negociação tão mais ampla e um acordo mais amplo
porque acho que ninguém quer uma guerra na região, e ninguém
quer uma escalada em termos de tensão na região", acrescentou
Macron.
(Por Colin Packham e Jane Wardell)
((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))
REUTERS PF


Assuntos desta notícia