Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

TÓQUIO, 13 Mar (Reuters) – O primeiro-ministro do Japão,
Shinzo Abe, disse a um representante da Coreia do Sul nesta
terça-feira que deseja que as conversas com a Coreia do Norte,
convocadas com o objetivo de acabar com os programas de armas
nucleares e de mísseis de Pyongyang, também resolvam uma disputa
a respeito de sequestros antigos de cidadãos japoneses.
"Uma resolução dos temas nuclear, de mísseis e dos
sequestros é a política central do Japão", disse Abe ao diretor
do Serviço Nacional de Inteligência sul-coreano, Suh Hoon, em
Tóquio.
"A Coreia do Norte precisa combinar suas palavras às suas
ações", afirmou o premiê no início de uma reunião em que foram
debatidas as conversas planejadas entre as duas Coreias e também
entre Pyongyang e Washington.
A insistência de Tóquio em incluir discussões sobre os
sequestros de seus cidadãos por parte de agentes norte-coreanos
pode criar atritos entre Japão, Coreia do Sul e Estados Unidos
se Seul e/ou Washington mostrarem disposição para acertar um
acordo de desnuclearização com Pyongyang separadamente de um
pacto a respeito dos sequestros.
Em 2002 a Coreia do Norte admitiu ter sequestrado 13
japoneses nos anos 1970 e 1980 para treinar espiões, e cinco
deles voltaram ao Japão. Tóquio suspeita que centenas mais podem
ter sido levados.
Suh pediu a cooperação do Japão, mas não mencionou
especificamente a questão dos raptos.
"A cooperação entre os líderes da Coreia do Sul e do Japão é
importante para a desnuclearização da península coreana e a
resolução da questão dos mísseis", disse Suh.
O desejo professado por Pyongyang de abandonar as armas
nucleares foi significativo porque veio diretamente do líder
norte-coreano, Kim Jong Un, afirmou.
(Por Tim Kelly; Reportagem adicional de Kyung Hoon Kim e
Heejung Jung)
((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))
REUTERS PF


Assuntos desta notícia