Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

LONDRES, 13 Nov (Reuters) – Um grupo de 40 parlamentares
britânicos do Partido Conservador, da primeira-ministra Theresa
May, concordou em assinar uma carta de não confiança contra a
premiê, relatou o jornal Sunday Times.
O número representa apenas oito parlamentares a menos do que
o necessário para desencadear uma disputa pela liderança do
partido, mecanismo através do qual May pode ser retirada do
cargo de primeira-ministra e substituída por outro conservador.
May tem tido dificuldades em manter sua autoridade sobre o
partido desde que convocou uma eleição antecipada para o dia 8
de junho acreditando que iria ganhar com uma grande margem, mas
que, em vez disso, resultou na perda de sua maioria no
Parlamento.
Dividido sobre como retirar o Reino Unido da União Europeia
e afetado por diversos escândalos envolvendo ministros, o
governo de May não tem conseguido impor controle em uma situação
política caótica que está enfraquecendo o governo britânico nas
negociações do Brexit.
Uma tentativa anterior de retirar May do poder após um
discurso desastroso na conferência anual do partido não
progrediu, mas muitos conservadores continuam insatisfeitos com
a atuação da primeira-ministra, e menções sobre uma disputa de
liderança não desapareceram.
May perdeu dois ministros nas últimas semanas: Michael
Fallon renunciou ao cargo de secretário de Defesa após se
envolver em um amplo escândalo sobre assédio sexual no
Parlamento, enquanto Priti Patel renunciou após ser descoberto
que ela havia tido reuniões secretas com importantes autoridades
israelenses.
Caso uma disputa de liderança se concretize, se um
competidor derrotar May, ele assumiria como líder do Partido
Conservador e como primeiro-ministro. Uma eleição nacional não é
necessária para que isso aconteça.
(Reportagem de Estelle Shirbon)
((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 22237141))
REUTERS MCP PF


Assuntos desta notícia

Join the Conversation