Clicky

MetaTrader 728×90

(Texto atualizado com mais detalhes)
Por Christine Kim e Steve Holland
SEUL/WASHINGTON, 9 Mar (Reuters) – O presidente dos Estados
Unidos, Donald Trump, disse estar preparado para se encontrar
com o líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, no que seria o
primeiro encontro pessoal entre os líderes dos dois país e que
poderia romper o impasse provocado pelo programa norte-coreano
de armas nucleares.
Kim se "comprometeu com a desnuclearização" e com a
suspensão dos testes nucleares e de mísseis, disse o diretor da
Agência de Segurança Nacional da Coreia do Sul, Chung Eui-yong,
a repórteres na Casa Branca na quinta-feira, depois de informar
Trump a respeito de uma reunião de autoridades sul-coreanas com
Kim ocorrida no início desta semana.
Kim e Trump vinham trocando insultos cada vez mais
beligerantes devido aos programas nuclear e de mísseis da Coreia
do Norte, que esta desenvolve desafiando resoluções do Conselho
de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU), até uma
amenização das tensões que coincidiu com a Olimpíada de Inverno
da Coreia do Sul, no mês passado.
"Uma reunião está sendo planejada", postou Trump no Twitter
depois de conversar com Chung, preparando o que seria sua maior
aposta de política externa desde que tomou posse em janeiro de
2017.
Chung disse que Trump concordou com um encontro em maio em
resposta ao convite de Kim. Mais tarde um funcionário de alto
escalão dos EUA disse que a reunião pode acontecer "em questão
de meses, e o momento e local exatos ainda serão determinados".
A Rússia e a China, que participaram de conversas de seis
partes intermitentes durante anos junto com EUA, as duas Coreias
e o Japão com a meta de superar o impasse, saudaram os novos
sinais positivos depois de meses de deterioração nas relações
entre Pyongyang e Washington.
O presidente sul-coreano, Moon Jae-In, que comandou a
reaproximação com a Coreia do Norte durante a Olimpíada, disse
que a reunião apontará um caminho para a desnuclearização, de
acordo com seu porta-voz. Trump aceitou se reunir com Kim sem
qualquer pré-condição, disse outra autoridade sul-coreana.
Trump já desdenhou do líder norte-coreano, que chamou de
"maníaco", referiu-se a ele como o "homenzinho do foguete" e
ameaçou em um discurso feito na ONU no ano passado "destruir
totalmente" o país de 26 milhões de pessoas se este atacasse os
EUA ou um de seus aliados.
Kim reagiu classificando o presidente norte-americano de
"ignorante mentalmente perturbado".
((Tradução Redação Rio de Janeiro; 55 21 2223-7128))
REUTERS PF


Assuntos desta notícia