Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

(Texto atualizado com mais detalhes)
Por David Brunnstrom
SEUL, 13 Jun (Reuters) – O presidente dos Estados Unidos,
Donald Trump, disse nesta quarta-feira que a Coreia do Norte não
representa mais uma ameaça nuclear e seu diplomata mais graduado
fez um cronograma esperançoso para um “grande desarmamento”,
apesar de ceticismo nos EUA de que Pyongyang irá abandonar suas
armas nucleares após a cúpula desta semana.
Trump e o líder da Coreia do Norte, Kim Jong Un, emitiram um
comunicado conjunto após o histórico encontro na terça-feira em
Cingapura que reafirmava o comprometimento norte-coreano em
“trabalhar em direção à desnuclearização completa da península
coreana” e fornecia garantias norte-americanas de segurança para
a Coreia do Norte.
Críticos democratas nos EUA dizem que o acordo teve poucos
detalhes e que o presidente republicano fez muitas concessões a
Kim, cujo país está sob sanções da Organização das Nações Unidas
por seus programas nuclear e de armas e é amplamente condenado
por abusos de direitos humanos.
Pouco mais de metade dos norte-americanos disseram aprovar o
modo como Trump lidou com a Coreia do Norte, mas apenas um
quarto acredita que a cúpula realizada nesta semana com Kim Jong
Un levará à desnuclearização da península coreana, segundo uma
pesquisa de opinião Reuters/Ipsos divulgada nesta quarta-feira.
A mídia estatal norte-coreana saudou a cúpula como um
sucesso, dando destaque ao anúncio surpresa de Trump após o
encontro de que os EUA vão cessar exercícios militares com a
Coreia do Sul, algo que a Coreia do Norte buscava há tempos.
Apesar da falta de detalhes no acordo da cúpula, Trump
destacou em entrevista coletiva que confia em Kim para
acompanhar os combinados. Ele retornou a Washington no início
desta quarta-feira e elogiou o encontro, o primeiro entre um
presidente em exercício dos EUA e um líder norte-coreano, como
uma grande vitória para segurança dos EUA.
“Todos agora podem se sentir muito mais seguros do que no
dia em que assumi”, tuitou Trump. “Não há mais uma ameaça
nuclear da Coreia do Norte. Me encontrar com Kim Jong Un foi uma
experiência interessante e muito positiva. A Coreia do Norte tem
grande potencial para o futuro!”.
O secretário de Estado norte-americano, Mike Pompeo, que foi
encarregado por Trump para comandar negociações posteriores,
disse que os EUA esperam alcançar “grande desarmamento” da
Coreia do Norte dentro dos próximos dois anos e meio.
Parlamentares democratas destacaram que a Coreia do Norte
realizou comunicados similares no passado sobre
“desnuclearização”, todos enquanto desenvolvia mísseis
balísticos e armas nucleares que podem ser capazes de atingir os
EUA.

"MISSÃO CUMPRIDA?”
“Uma viagem e então ‘missão cumprida’, Sr. Presidente? A
Coreia do Norte ainda possui todos seus mísseis nucleares, e nós
temos somente uma vaga promessa de futura desnuclearização de um
regime que não pode ser confiado”, disse Adam Schiff, democrata
mais sênior no Comitê de Inteligência da Câmara dos Deputados
dos EUA.
“A Coreia do Norte é uma ameaça real e presente. Tanto
quanto um presidente perigosamente ingênuo”, escreveu no
Twitter.
O senador Chris Van Hollen, também democrata, disse a
respeito do tuíte de Trump sobre a Coreia do Norte não
apresentar mais uma ameaça: “Isto é verdadeiramente delirante”.
O comunicado da cúpula não forneceu detalhes sobre quando
Pyongyang irá abandonar seu programa de armas nucleares ou como
o desmantelamento pode ser verificado. Céticos sobre quanto o
encontro alcançou destacaram a antiga posição da liderança
norte-coreana de que armas nucleares são uma proteção contra o
que teme serem planos norte-americanos de derrubá-la e unir a
península coreana.
Falando a repórteres em uma viagem a Seul, para onde viajou
para informar autoridades sul-coreanas, Pompeo foi perguntado se
gostaria de conseguir grande desarmamento nuclear dentro do
atual mandato de Trump, que termina em janeiro de 2021. Ele
respondeu:
“Sim, definitivamente … você usou o termo grande, grande
desarmamento, algum assim? Nós esperamos que podemos alcançar
isto em dois anos e meio”.
Os EUA tem há tempos insistido na desnuclearização completa,
verificável e irreversível da Coreia do Norte, mas no comunicado
da cúpula a Coreia do Norte se comprometeu somente com a
“desnuclearização completa da península coreana”, uma expressão
que usou no passado.
A Coreia do Norte tem frequentemente rejeitado desarmamento
nuclear unilateral, ao invés disso se referindo à
desnuclearização da península. Isto tem sido interpretado em
parte como um pedido para os EUA removerem seu “guarda-chuva
nuclear” que protege a Coreia do Sul e o Japão.
((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447765))
REUTERS TR

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

Assuntos desta notícia

Join the Conversation