Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Gavin Jones e Massimiliano Di Giorgio
ROMA, 9 Mai (Reuters) – O partido italiano
anti-establishment Movimento 5 Estrelas e a Liga de
extrema-direita se mobilizaram nesta quarta-feira para encerrar
nove semanas de um impasse político provocado por eleições
inconclusivas e formar um governo, uma perspectiva que alarmou
os investidores.
O presidente da Itália, Sergio Mattarella, disse que adiará
os planos de nomear um primeiro-ministro apartidário por 24
horas depois que os dois partidos lhe informaram estar
realizando reuniões de última hora para tentar firmar um acordo
de coalizão até agora difícil de concretizar.
O spread entre os rendimentos dos títulos italianos padrão e
seu equivalente alemão mais seguro atingiram seu nível mais
elevado em quase seis semanas, mas as ações italianas oscilaram
pouco.
A eleição de 4 de março resultou em um Parlamento sem
maioria, e esforços repetidos para romper o impasse fracassaram.
Frustrado, Mattarella está a ponto de nomear alguém de fora do
mundo político para comandar um "governo neutro" e preparar o
país para eleições antecipadas, possivelmente já em julho.
Vendo o tempo passar, os líderes do 5 Estrelas e da Liga, os
dois maiores do Parlamento, voltaram a se reunir inesperadamente
e indicaram que fizeram progresso, mas que precisam de mais
tempo.
"Estamos fazendo tudo que podemos", disse o líder da Liga,
Matteo Salvini. Parlamentares das duas siglas expressaram a
esperança de que o esboço de um acordo esteja pronto até
quinta-feira.
O 5 Estrelas propôs várias vezes formar um governo com a
Liga, mas com a condição de que ela rompa com sua aliada Forza
Italia, partido liderado pelo ex-primeiro-ministro Silvio
Berlusconi.
Salvini vem se recusando a fazê-lo por lealdade à aliança de
centro-direita, mas vem aumentando a pressão para que Berlusconi
saia de cena voluntariamente para que ele possa se aliar ao 5
Estrelas.
O 5 Estrelas vê Berlusconi, de 81 anos, condenado por evasão
fiscal e em julgamento por supostamente subornar testemunhas,
como um símbolo da corrupção política.
Renato Brunetta, parlamentar destacado do Forza Italia,
disse que a aliança de centro-direita permanecerá intacta mesmo
que o partido seja excluído do governo, e Salvini confirmou que,
"aconteça o que acontecer, não romperemos a aliança".
Lorenzo Codogno, chefe da LC Macro Advisors e
ex-economista-chefe do Tesouro italiano, alertou que um governo
do 5 Estrelas com a Liga provavelmente provocaria uma reação
negativa do mercado financeiro.
((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447759))
REUTERS ES


Assuntos desta notícia

Join the Conversation