Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

LONDRES/DUBAI, 10 Mai (Reuters) – A Opep não está com pressa
sobre decidir se deve produzir mais petróleo para compensar uma
esperada diminuição das exportações do Irã depois da imposição
de novas sanções pelos Estados Unidos, disseram quatro fontes
próximas ao assunto, acrescentando que qualquer perda na oferta
levaria tempo.
A Organização de Países Exportadores de Petróleo tem um
acordo com a Rússia e outros aliados para cortar a oferta de
petróleo, o que ajudou a reduzir o excesso global e a
impulsionar os preços para máximas desde 2014.
Autoridades estão considerando se uma queda nas exportações
iranianas e o declínio no fornecimento de outro membro da Opep,
a Venezuela, demandam ajustar o acordo em vigência até o fim de
2018. Os ministros se reunirão em junho para revisar a política.
As sanções dos EUA ao Irã terão um período de seis meses
durante o qual os compradores devem "desacelerar" as compras de
petróleo, o que significa que qualquer perda de oferta não será
sentida imediatamente no mercado.
"Acho que temos 180 dias antes de qualquer impacto na
oferta", disse uma fonte da Opep quando perguntada sobre planos
de ação.
Uma segunda fonte do cartel disse que, enquanto a
necessidade de adicionar oferta estava sendo considerada, a
coisa mais segura para o grupo fazer por ora era monitorar a
situação.
(Por Alex Lawler e Rania El Gamal)
((Tradução Redação São Paulo, +5511 5644 7721))
REUTERS IM JRG


Assuntos desta notícia

Join the Conversation