Clicky

MetaTrader 728×90

Os presidentes dos Estados Unidos e da Rússia, Donald Trump e Vladimir Putin, se reuniram nesta sexta-feira pela primeira vez, à margem da cúpula de líderes do G20, que acontece entre hoje e amanhã em Hamburgo, no norte da Alemanha.

Durante uma pausa na reunião, na qual se dirigiu aos jornalistas, Trump afirmou que a conversa entre os dois foi “muito boa” e que espera que “coisas muito positivas” aconteçam para os EUA, Rússia e todo o mundo por causa desta reunião.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

Putin, por sua vez, se mostrou confiança de que sairão “resultados” deste encontro e se disse “encantado” por ter finalmente se reunido pessoalmente com o presidente americano

O americano acrescentou que acredita que os contatos ao mais alto nível entre Washington e Moscou prossigam após esta primeira reunião, e Putin destacou que só de forma pessoal poderão ser abordadas certas questões críticas.

Depois, Trump e Putin deram um aperto de mãos perante as câmeras, firme mas breve, muito diferente de outros cumprimentos do presidente americano que geraram inúmeros comentários.

As declarações aos meios de comunicação foram feitas dentro da sala onde aconteceu o encontro bilateral, que contou com a presença apenas de dois tradutores, o ministro russo de Relações Exteriores, Sergey Lavrov, e o secretário de Estado dos EUA, Rex Tillerson.
Esta pausa para a imprensa aconteceu por volta 16h15 local (11h15, em Brasília).

Os dois líderes já tinham se cumprimentado brevemente, com um aperto de mãos e uma troca de saudações, pouco antes do início da primeira sessão de trabalho com todos os chefes de Estado e Governo do G20.

Perante o olhar do premiê japonês, Shinzo Abe, e do presidente da Comissão Europeia (CE), Jean-Claude Juncker, ambos presidentes se cumprimentaram e, posteriormente, Trump deu uma palmada amistosa nas costas de Putin.

Ainda que nem Moscou e nem Washington tenham divulgado uma agenda formal do encontro, os especialistas concordam que Trump e Putin falarão principalmente da guerra na Síria, do conflito na Ucrânia e da luta contra o terrorismo internacional.

Um jornalista perguntou a Trump pela possível interferência russa nas eleições, mas o presidente dos EUA, com as mãos cruzadas, ignorou a questão.

As informações são da Ag. EFE


Assuntos desta notícia