Clicky

mm TD 728

Conforme os dados divulgados nesta quarta-feira, a produção total de petróleo e gás natural da Petrobras, em maio, foi de 2,83 milhões de barris de óleo equivalente por dia (boed), 5% acima do volume produzido em abril (2,69 milhões boed) e 2% acima do produzido em maio de 2015, dos quais 2,64 milhões boed foram produzidos no Brasil e 190 mil boed no exterior.

A produção média de petróleo, em maio, foi de 2,24 milhões de barris por dia (bpd), 6% acima do volume produzido no mês anterior, que foi de 2,12 milhões bpd, e 1% acima do produzido em maio de 2015. Desse total, 2,16 milhões bpd foram produzidos no Brasil e 85 mil bpd no exterior.

300×250 4 reais

O volume produzido em maio, no Brasil, é a quinta maior média mensal de produção já registrada pela Petrobras. Esse crescimento deveu-se, principalmente, ao recorde na produção no pré-sal, com a entrada de novos poços conectados ao FPSO Cidade de Maricá, no campo de Lula, e ao retorno à operação de plataformas que estavam em parada programada e em manutenção corretiva em abril. FPSO é a sigla em inglês para unidade flutuante de produção, armazenamento e transferência de petróleo.

Produção no pré-sal aumenta 15% em relação a abril e atinge novos recordes

A produção de petróleo e gás natural operada pela Petrobras na camada pré-sal, em maio, cresceu 15% em relação ao mês anterior e bateu novo recorde mensal, ao alcançar o volume de 1,15 milhão boed.

A produção de petróleo operada pela Petrobras em maio, naquela província, também foi um recorde mensal, com aumento de 16% em relação ao mês anterior, ao atingir a média de 928 mil bpd.

A produção de petróleo operada no pré-sal superou, no último dia 8 de maio, o patamar de 1 milhão de bpd pela primeira vez. Essa marca foi alcançada dez anos após a descoberta dessas jazidas e menos de dois anos depois de atingida a produção de 500 mil bpd, com a contribuição de 52 poços produtores, em sete sistemas de produção de grande porte na Bacia de Santos e oito sistemas de produção na Bacia de Campos.

O volume médio produzido por poço no pré-sal da Bacia de Santos é de 25 mil barris por dia, sendo o mais produtivo localizado no campo de Lula, com uma vazão média diária de 36 mil barris de petróleo.

O custo médio de extração dos poços do pré-sal atingiu valor inferior a US$ 8 por barril de óleo equivalente e vem sendo reduzido gradativamente. O tempo médio para construção de um poço atingiu 89 dias, o que representa uma redução de 71% entre 2010 e 2016.

A alta produtividade dos reservatórios do pré-sal, que teve como resultado menor número de poços por sistema de produção e a melhoria da eficiência na construção de poços tem garantido uma expressiva redução nos investimentos dos projetos em implantação nessa fronteira e aumentado a sua rentabilidade.

Produção de gás natural

A produção de gás natural no país, excluído o volume liquefeito, foi de 76,4 milhões m³/dia, 4% acima do mês anterior (73,5 milhões m³/dia).

A produção média de gás natural no exterior foi de 17,9 milhões m³/d, 3% acima dos 17,3 milhões m³/d alcançados no mês anterior.

Venda de terminais

A estatal anunciou também o início do processo competitivo para a venda dos seus terminais de Gás Natural Liquefeito (GNL) no Rio de Janeiro e no Ceará, com termelétricas associadas a esses terminais. A capacidade de regaseificação é de 20 milhões de m3 por dia no terminal do Rio de Janeiro e de 7 milhões de m3 por dia no terminal do Ceará.

Até o momento, não há qualquer acordo firmado que confira segurança quanto à conclusão da transação, nem deliberação por parte da Diretoria Executiva ou do Conselho de Administração da Petrobras.


Assuntos desta notícia