Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários globais na manhã desta segunda-feira (11).

A agenda desta semana está marcado por números de diversas economias e também por reuniões de bancos centrais, que podem influenciar os ativos financeiros.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

ÁSIA – Ao final, o índice Asia Dow ficou em alta de 0,09% a 3.586. O Hang Seng, Hong Kong, ficou em alta de 0,34% aos 31.063. O Xangai Composite ficou em queda de 0,47% aos 3.052. O índice Taiex, bolsa de Taiwan, ficou em queda de 0,06% a 11.149. O índice FTSE Straits, Cingapura, ficou em alta de 0,15% aos 3.441. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,11% aos 35.483. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,48% a 22.804. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em queda de 0,20% a 6.045. O índice Kospi, Coreia do Sul, ficou em queda de 0,77% a 2.451. O índice Kospi, Coreia do Sul, ficou em alta de 0,76% aos 2.470. Na Ásia, as bolsas fecharam divididas, com investidores ainda preocupados com as tensões comerciais na região, bem como com os eventos previstos para esta semana. O dólar é negociado a 110,02, com a moeda japonesa perdendo 0,64%, no momento. O encontro entre Kim Jong-un e Donald Trump ficaram no radar, bem como paras as reuniões do Federal Reserve, que começa a reunião amanhã, e também no Banco Central do Japão, com encontro marcado na sexta-feira (15).

EUROPA – Há pouco, o índice Stoxx Europe 600 estava em alta de 0,37% a 386.53, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) seguia em alta de 2,18% aos 21.823; o Ibex 35 (Madri) estava em alta de 0,69% aos 9.815; o DAX 30 (Frankfurt) estava em alta de 0,05% aos 12.773; o FTSE-100 (Londres) está em alta de 0,58% a 7.725; o CAC 40 (Paris) seguia em alta de 0,10% aos 5.456; e o PSI-20 (Lisboa) seguia em alta de 0,30% a 5.631. Na Europa, mercados sobem motivados pela afirmação do novo ministro de finanças da Itália, Giovanni Tria, de que o governo está comprometido em manter o país na zona do euro e não se discute a possibilidade de abandonar o bloco. O euro avança sobre as principais moedas, sendo negociado a US$ 1,1790, com alta de 0,13% ante a moeda americana. A agenda da Europa está praticamente vazia, mas a atenção está concentrada na reunião do Banco Central Europeu, que começa reunião na quita-feira (14).

ESTADOS UNIDOS – O S&P (futuros) opera em queda de 0,02% aos 2.782. O Dow Jones (futuros) opera em alta de 0,07% aos 25.338. O Nasdaq (futuros) segue em queda de 0,15% aos 7.165. O juro pago pelo T-Bond de 10 anos subiu para 2,965% ao ano, de 2,940% do final da sexta-feira. O dólar não mostra uma tendência definida. No momento, tem alta moderada de 0,05% diante da cesta de moedas. O dia é de agenda vazia, mas com os investidores já atentos para a reunião do Federal Reserve, que começa amanhã (12).

Commodities

A Petrobras anunciou o preço do litro da gasolina e do diesel para esta terça-feira (12). Para as distribuidoras e sem tributos, o preço da gasolina fica em R$1,9873 e o litro do diesel para R$2,0316.

O petróleo referência, Brent, segue em queda de 1,17% aos US$73,35 o barril negociado na bolsa de Futuros de Londres.

O petróleo WTI segue em queda de 1,10%, cotado a US$ 65,03 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em queda de 1,02% a US$66,75 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$1.185,90, alta de 1,19%, a tonelada. A celulose fibra curta fechou em US$1.050,00 a tonelada, alta de 0,02%.

CENÁRIO INTERNO

BRASIL – A bolsa de valores deve manter a volatilidade, ante o resultados da pesquisa sobre intenção de votos para presidente divulgada pela Datafolha, neste domingo. Não trouxe grandes novidades, mostrando que o jogo está longe de uma definição. A agenda doméstica está praticamente vazia, mas com o mercado financeiro atento também para os Estados Unidos, com o Fed iniciando a reunião amanhã.

AGENDA – Segunda-feira (11)

No Brasil, o IPC, o IGPM, Boletim Focus. No Reino Unido, a Produção Industrial, Balança Comercial e estimativa de Inflação. Na Europa, a Produção Industrial a Itália. No Japão, a Preliminar de Manufatura e o PPI. Na Austrália, índice Confidence, Vendas de Casa e Investimentos diretos.


Assuntos desta notícia

Join the Conversation