Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários globais na manhã desta terça-feira (08).

ÁSIA – Ao final, o índice Asia Dow ficou em alta de 0,43% a 3.588. O Hang Seng, Hong Kong, ficou em alta de 1,36% aos 30.402. O Xangai Composite ficou em alta de 0,79% aos 3.161. O índice FTSE Straits, Cingapura, ficou em alta de 0,29% aos 3.543. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,20% aos 35.216. O índice Kospi, bolsa da Coreia do Sul, ficou em queda de 0,47% a 2.449. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,18% a 22.508. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,12% a 6.091. Na Ásia, as bolsas de ações fecharam no azul, estimuladas pelo bom desempenho dos papeis relacionados aos setores de tecnologia e bancos. O índice de ações MSCI Asia Pacific apurou ganho de 0,50%, nesta terça-feira. Na China, a balança comercial voltou a registrar superávit em abril, graças à expansão das exportações favorecidas pelo crescimento da demanda mundial. Segundo os dados divulgados, a China registrou superávit de US$ 28,78 bilhões em abril (déficit de US$ 4,98 bi em março), com as exportações subindo 12,9% (projeções: 7,5%) e as importações avançando 21,5%, contra estimativa de 15,5% dos analistas.

MetaTrader 300×250

EUROPA – Há pouco, o índice Stoxx Europe 600 seguia em queda de 0,14% a 388.98, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) seguia em queda de 1,77% aos 24.110; o Ibex 35 (Madri) segue em queda de 0,16% aos 10.124; o DAX 30 (Frankfurt) seguia em queda de 0,58% aos 12.872; o FTSE-100 (Londres) está em alta 0,08% a 7.573; o CAC 40 (Paris) seguia em queda de 0,37% aos 5.510; e o PSI-20 (Lisboa) seguia em queda de 0,32%  a 5.510. Na Europa, os investidores estão mantendo a cautela. O índice regional STOXX600 recua 0,19%, nesta manhã. O euro é cotado a US$ 1,1887, recuando ante a cotação de US$ 1,1929 do fim da tarde de ontem. Na agenda, apenas a Alemanha apresenta indicadores.

ESTADOS UNIDOS – O S&P opera em queda de 0,22% aos 2.666. O Dow Jones opera em queda de 0,21% aos 24.306. O Nasdaq estava em queda de 0,29% aos 7.245. Em Wall Street, as bolsas abriram no vermelho com o radar na decisão do presidente Donald Trump se vai mesmo marcar a saída dos Estados Unidos do acordo nuclear com o Irã, a ser anunciada nesta terça-feira às 15h de Brasília. Enquanto isso, os preços do petróleo seguem divididos, uma vez que o Irã é o terceiro maior produtor do mundo. Importantes aliados americanos, como Inglaterra, França e Alemanha são contra a saída do acordo nuclear. Caso Trump opte por deixar o acordo, o acirramento das tensões geopolíticas devem gerar impactos sobre os mercados, notadamente do petróleo, alimentando receios de inflação e de juros mais altos nos Estados Unidos. O Brent está disparado.

Commodities

O petróleo referência, Brent, segue em alta na bolsa de Futuros de Londres a 2,27% cotado a US$77,48 o barril.

O petróleo WTI segue em queda  de 0,71%, cotado a US$ 70,24 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, ficou em queda de 0,68% a US$66,80 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$1.132,40, alta de 0,20%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$1.037,80 a tonelada, alta de 0,10%.

CENÁRIO INTERNO

BRASIL – A bolsa brasileira abriu no azul nesta terça-feira, com o petróleo de referência, Brent, cotado em alta de mais de 2% e próximo dos US$80,00 o barril, meta da Opep. O resultado financeiro da Petrobras também superou as estimativas e o destaque ficou para a redução das dívidas. No cenário externo, o foco fica nos Estados Unidos e a decisão sobre o acordo nuclear com o Irã. O que se esperava era um dólar mais fraco ante as emergentes, o que não está ocorrendo. Há pouco, no interbancário, o dólar seguia cotado a R$3,578 para a venda numa valorização de 0,72%.

AGENDA – Terça-feira

No Brasil, o IGP-M, o IPC-S e o Indicador do Emprego. Nos Estados Unidos, a Cofiança do Pequeno Empresário e a Criação de Vagas. Na Alemanha, a Produção Industrial.

 


Assuntos desta notícia

Join the Conversation