Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários globais na manhã desta terça-feira (22).

Mercado global mais animado com os primeiros acordos entre a China e os Estados Unidos, em dia sem agenda econômica. No cenário doméstico, os preços dos combustíveis para cima seguem motivando os protestos dos motoristas de caminhão em grande parte do País. Montadoras do Rio Grande do Sul estão paralisando as linhas de produção.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

ÁSIA – Ao final, o índice Asia Dow ficou em queda de 0,30% a 3.585. O Hang Seng, Hong Kong, ficou em alta de 0,60% aos 31.234. O Xangai Composite ficou em alta de 0,64% aos 3.213. O índice FTSE Straits, Cingapura, ficou em alta de 0,54% aos 3.548. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 0,67% aos 34.616. O índice Kospi, bolsa da Coreia do Sul, ficou em alta de 0,50% a 2.460. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,20% a 2.465 O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em queda de 0,05% a 6.084. As bolsas asiáticas fecharam sem direção única. O índice MSCI Asia Pacific fechou com alta de 0,20%. Na China, bolsas foram marcadas pela volatilidade. O índice Xangai Composto terminou o dia com ganho marginal. Em Tóquio, o Nikkei caiu, à medida que o iene se fortaleceu levemente contra o dólar ao longo do pregão. A moeda americana é negociada a 110,96 ienes de 111,04 ienes de ontem à tarde. Mercado de Hong Kong e Coreia do Sul não operaram por conta de feriados nacionais.

EUROPA – Há pouco, o índice Stoxx Europe 600 seguia em alta de 0,30% a 395.87, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) seguia em queda de 0,03% aos 23.084; o Ibex 35 (Madri) segue em alta de 0,68% aos 10.135; o DAX 30 (Frankfurt) seguia em alta de 0,62% aos 13.159; o FTSE-100 (Londres) está em alta de 0,21% a 7.875; o CAC 40 (Paris) seguia em alta de 0,06% aos 5.640; e o PSI-20 (Lisboa) seguia em alta de 0,27%  a 5.765. Na Europa, os mercados acionários operam com ganhos. O cenário político da Itália está mais tranquilo, com o acordo final para o governo de coalizão e eliminando a proposta de uma nova eleição. Nesta manhã, o euro é cotado a US$ 1,1822 (+0,26%), enquanto a libra encontra-se em US$ 1,3472, com alta de 0,33%.

ESTADOS UNIDOS – O S&P (futuros) opera em alta de 0,17% aos 2.737. O Dow Jones (futuros) opera em alta de 0,20% aos 25.054. O Nasdaq (futuros) estava em alta de 0,34% aos 6.939.  Em dia sem indicadores ( apenas um), os investidores de Wall Street devem manter as compras, com o sinal de acordo entre os Estados Unidos e a China. O juro da T-Note de 10 anos subiu para 3,068% ao ano de 3,055% observado no final da tarde de ontem. O dólar recua frente às principais moedas, reduzindo a pressão, também, sobre as moedas emergentes.

Commodities

O petróleo referência, Brent, segue em alta na bolsa de Futuros de Londres a 1,46% cotado a US$80,51 o barril.

O petróleo WTI segue em alta de 0,37%, cotado a US$ 72,51 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em queda de 1,36% a US$64,41 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$1.170,00, alta de 0,98%, a tonelada. A celulose fibra curta fechou em US$1.049,80 a tonelada, alta de 0,16%.

CENÁRIO INTERNO

BRASIL – O mercado financeiro doméstico deve reagir ao conteúdo da ata do Copom referente a reunião da semana passada. Além disso, em dia de agenda vazia, a recuperação do índice Bovespa deve ter a influência do cenário externo. As manifestações dos motoristas de caminhão devem pressionar o governo para uma intervenção nos preços dos combustíveis. Neste momento, o dólar opera em queda aos R$3,654 na venda.

AGENDA – Terça-feira

No Brasil, a ata do Copom. Nos Estados Unidos, a Sondagem Industrial.


Assuntos desta notícia