Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Acompanhe o comportamento dos principais índices dos mercados acionários globais na manhã desta sexta -feira (30).

CENÁRIO EXTERNO

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

ÁSIA- O índice MSCI Asian Pacific fechou em queda de 0,2% aos 154.29, em Hong Kong, na alta de 14% no ano e acima do MSCI World .O  índice Asia Dow caiu 0,23% para 3.346. O Hang Seng, Hong Kong, ficou em alta de 0,08% aos 25.784. O Xangai Composite ficou em alta de 0,11% aos 3.195. O Nikkei 225, bolsa do Japão, ficou em alta de 0,11% aos 20.055 pontos. O índice Kospi, Coreia do Sul, fechou em alta de 0,11% aos 2.394 pontos. O índice Sensex, bolsa da Índia, fechou em alta de 0,21% aos 30.921. O índice FTSE Straits Times de Singapura fechou em queda de 0,09% aos 3.223. As principais bolsas da Ásia encerraram o pregão desta segunda-feira em leve alta, em meio a baixo volume de negociações nos mercados acionários locais. Na China, foi divulgado o índice de gerentes de compras (PMI) do setor industrial chinês, que avançou de 49,6 em maio para 50,4 em junho, de acordo com a Caixin Media/IHS Markit.O dólar se fortaleceu diante da moeda japonesa, sendo cotado a 112,88 ienes de 112,50 ienes de sexta-feira à tarde.

EUROPA – O índice Stoxx Europe 600 segue em alta de 0,72% aos 382.12, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) estava em alta de 1,66% aos 20.926; o Ibex 35 (Madri) estava em alta de 1,02% aos 10.551; o DAX 30 (Frankfurt) estava em alta de 0,74% aos 12.416; o FTSE-100 (Londres) estava em alta de 0,38% aos 7.340; o CAC 40 (Paris) estava em alta de 1,09% aos 5.176 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) estava em alta de 0,32% aos 5.169. Na Europa, bolsas com ganhos nesta segunda-feira, com o índice de preços ao consumidor da região do euro registrando inflação de 1,3% na comparação anual de junho (1,4% em maio), atingindo o menor nível do ano, reforçando o discurso do Banco Central Europeu de que a economia da região pode abrir mão dos estímulos monetários. O euro troca de mãos a US$ 1,1398.

ESTADOS UNIDOS- O S&P (futuros) opera em alta de 0,51% aos 2.432; o Dow Jones (futuros) opera em alta de 0,57% aos 21.377; e o Nasdaq (futuros) segue em alta de 0,57% aos 5.685. A percepção de lucros corporativos robustos nos próximos meses, reflexo da recuperação da economia, deve continuar alimentando a tendência de alta das bolsas norte-americanas. Ao mesmo tempo, o discurso mais hawkish dos bancos centrais sustenta a alta dos juros dos títulos de longo prazo. O yield da Treasury de 10 anos subiu de 2,24% ao ano ontem, para 2,267%, nesta manhã. O dólar encontra-se estabilizado frente às principais moedas, segundo o índice DXY. Os mercados fecham mais cedo hoje nos preparativos para o feriado de amanhã, 04 de Julho.

Commodities

O preço do petróleo WTI para agosto estava em alta de 3,27%, a US$ 46,40 o barril na Bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

CENÁRIO INTERNO

BRASIL- Na B3, o Ibovespa opera em alta e acima dos 62 mil pontos nesta segunda-feira. A política e as discussões sobre as reformas devem ficar no radar. Semana começa com nova queda nos combustíveis, que deve trazer impacto sobre as ações da Petrobras, reforçando o sentimento de baixas taxas de inflação, destaque nesta semana com a divulgação do IPCA de junho, que deve mostrar deflação no mês.

AGENDA – Segunda-feira

No Japão será apresentada a Confiança do Consumidor. Na Alemanha, o PMI Industrial e também o da Europa, com a  Taxa de desemprego. Nos Estados Unidos, o PMI Industrial, o ISM de Manufatura e os Custos de Construção. No Brasil, o IPC-S, Boletim Focus, PMI Industrial, Utilização da Capacidade Instalada – CNI e a Balança Comercial.


Assuntos desta notícia