Clicky

MetaTrader 728×90

A bolsa de valores de São Paulo permaneceu no seu “janeiro verde”, com mais um recorde nesta quarta-feira. O dia foi de poucos indicadores e com os investidores estrangeiros mantendo o apetite por ativos nacionais. Na carona global, as notícias corporativas também deram mais peso para o índice principal, bem como as “blue-chips”. Os preços do petróleo devolveram.

Ao final, o Ibovespa ficou em alta de 1,70% aos 81.189 pontos. O giro financeiro ficou em R$9,4 bilhões. O IEE ficou em queda de 0,29%.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

“O que vem movimentando a bolsa é fluxo. Hoje, por exemplo, a carona foi com os Estados Unidos que apresentou o Livro Bege e revelando também o fortalecimento da economia global. Ainda pesa por lá, a pressão da inflação, ganhos salariais modestos e que dão sinais de que o Fed deverá permanecer com cautela para a elevação da taxa de juros. Ao final, esse cenário influencia o mercado doméstico”, revelou o analista de investimentos da Corretora Magliano, Carlos Soares.

As ações com ganhos
Sabesp ON, alta de 5,34%; Sid. Nacional ON, alta de 4,01%; Cielo ON, alta de 4,17%; Petrobras PN, alta de 4,02%; e Gerdau Met. PN, alta de 3,75%.

As ações com perdas
Copel PNB, queda de 2,22%; Sanepar UNT, queda de 1,32%; Klabin UNT , queda de 2,20%; Fibria ON, queda de 1,12%; e BRF ON, queda de 1,34%.

A Eletrobras ON ficou em alta de 0,06%.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica do Índice Bovespa em vigor de 02 de janeiro a 04 de maio de 2018. Os cinco ativos que apresentam o maior peso na composição do índice são: Itauunibanco PN (10,510%), Vale ON (9,993%), Bradesco PN (7,830%), Ambev S/A ON (6,875%) e Petrobras PN (5,240%).

Commodities

O petróleo referência, Brent, ficou em queda na bolsa de Futuros de Londres em 0,59% a US$69,25 o barril.

O petróleo WTI segue em alta de 0,30%, cotado a US$ 63,93 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, ficou em queda de 1,87% a US$76,59 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$1016,49, alta de 1,31%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$993,58 e alta de 1,21%, a tonelada.


Assuntos desta notícia