Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

A bolsa de valores de São Paulo ganhou força perto do fechamento nesta quinta-feira, com os investidores acompanhando as reações positivas dos demais mercados. A queda no estresse de que os Estados Unidos poderiam atacar a Síria acabou ajudando.

Ao final, o Ibovespa ficou em alta de 0,23% aos 85.443 pontos. O volume financeiro ficou em R$8,8 bilhões.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

“A  bolsa, que em grande parte do pregão não acompanhou o cenário externo, acabou virando perto do fechamento. O alívio na pressão de um possível conflito geopolítico ajudou a melhorar o humor do investidor estrangeiro. Os papéis de primeira linha acabaram realizando, como os da Petrobras. Na contramão ficou o Bradesco com ruídos no radar. A Vale recuperou a queda de ontem”, disse o gerente de Bovespa da HCommcor, Ari Santos.

As ações com ganhos
Qualicorp ON, alta de 3,91%; Ecorodovias ON, alta de 4,40%; ViaVarejo UNT, alta de 4,94%; Natura ON, alta de 3,72%; e Gerdau Met. PN, alta de 3,77%.

As ações com perdas
Bradesco ON, queda de 2,05%; Telef. Brasil PN, queda de 3,01%; Bradesco PN, queda de 1,81%; Ambev ON, queda de 2,35%; e Sanepar UNT , queda de 1,17%.

A Petrobras ON ficou em alta de 0,16% e a PN em queda de 0,55%.

A Vale ON ficou em alta de 0,38%.

O Itau Unibanco PN ficou em alta de 0,88%.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica do Índice Bovespa em vigor de 02 de janeiro a 04 de maio de 2018. Os cinco ativos que apresentam o maior peso na composição do índice são: Itauunibanco PN (10,510%), Vale ON (9,993%), Bradesco PN (7,830%), Ambev S/A ON (6,875%) e Petrobras PN (5,240%).

Commodities

O petróleo referência, Brent, ficou em queda na bolsa de Futuros de Londres a 1,67% a US$71,70 o barril.

O petróleo WTI ficou em alta de 0,48%, cotado a US$ 67,14 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, ficou em queda de 0,49% a US$64,47 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$1.124,70, alta de 2,52%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$1.034,10 a tonelada, alta de 0,30%.


Assuntos desta notícia