Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

bolsa de valores de São Paulo manteve o ganho na semana de 2,35%, com a sequência de recordes e os investidores partindo para o risco. As notícias corporativas, tanto no cenário doméstico como no global, ficaram no radar. Os preços das commodities também ficaram, em grande parte, no positivo.

Ao final da sessão desta sexta-feira, o Ibovespa ficou em alta de 0,32% aos 81.219 pontos, recorde nominal. O giro financeiro ficou em R$8,3 bilhões. O IEE ficou em alta de 0,63%.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

As ações com ganhos
Usiminas PNA, alta de 4,57%; Braskem PNA, alta de 4,56%; ViaVarejo UNT, alta de 4,26%; Natura ON, alta de 3,47%; e Eletrobras PNB, alta de 2,93%.

As ações com perdas
Gerdau Met. PN, queda de 3,67%; Telef. Brasil PN, queda de 2,68%; Gerdau PN, queda de 2,61%; Smiles ON, queda de 2,58%; e Localiza ON, queda de 1,48%.

Análise Alvaro Bandeira

A semana na B3 foi marcada por recordes e os investidores descolando das agências de classificação de risco. “O que movimentou a bolsa na semana foi o fluxo, que até o dia 17 somava R$4,9 bilhões. Houve uma pequena realização e a o reposicionamento de carteira. O Focus não trouxe novidades, o fluxo cambial ficou positivo e a agência Moody’s questionou a decisão da S&P em mexer com a nota de crédito do Brasil. O mercado descolou e seguiu em alta”, destacou.

Para o mercado externo, Bandeira também manteve o otimismo. “Lá fora, ao longo da semana, o que nós acompanhamos foram vários presidentes do Fed tentando justificar uma alta na taxa de juros. O Livro Bege não apresentou novidades, com várias atividades cedendo no curto prazo. A China foi destaque com o PIB em 6,9%. Na Europa, prosseguem as discussões sobre o Brexit, a primeira-ministra Angela Merkel ainda não conseguiu um governo de coalizão e a questão da Catalunha continua incerta. Mas os indicadores, poucos na semana, ficaram bem. E, nos Estados Unidos, crescem as expectativas para a decisão do orçamento e se fecha ou não fecha o governo”, explicou o analista.

Para a semana, os mercados devem elevar ainda mais as atenções para o julgamento do ex-presidente, Luiz Inácio Lula da Silva, na quarta-feira (24). “Acredito que não haverá decisão até o fechamento dos mercados e considerando que na quinta-feira (25) São Paulo estará parado com o feriado. Para a Previdência só resta esperar”, finalizou o analista-chefe e sócio da ModalMais, Alvaro Bandeira.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica do Índice Bovespa em vigor de 02 de janeiro a 04 de maio de 2018. Os cinco ativos que apresentam o maior peso na composição do índice são: Itauunibanco PN (10,510%), Vale ON (9,993%), Bradesco PN (7,830%), Ambev S/A ON (6,875%) e Petrobras PN (5,240%).

A Petrobras ON ficou em queda de 0,67% e a PN, alta de 0,22%.
A Vale ON ficou em alta de 0,05%.

Commodities

O petróleo referência, Brent, ficou em queda na bolsa de Futuros de Londres em 1,31% a US$68,73 o barril.

O petróleo WTI segue em queda de 0,81%, cotado a US$ 63,56 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, ficou em alta de 2,51% a US$76,75 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$1029,98, alta de 1,33%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$1000,00 e alta de 0,65%, a tonelada.


Assuntos desta notícia