Clicky

MetaTrader 728×90

Os mercados acionários globais fecharam para cima nesta quarta-feira, em dia de indicadores importantes para o Japão, Zona do Euro, Estados Unidos e Brasil – termômetros de como andam essas economias.

Começando pela Ásia, os números do Japão revelaram fraqueza e despertaram a cautela dos investidores.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

Na Europa, os números da Zona do Euro e da Alemanha ficaram no radar. Entretanto, o foco do dia ficou na Itália, com o plano contundente do governo de coalizão (ver abaixo).

Nos Estados Unidos, os índices de Wall Street fecharam para cima. Porém, as ações de pouca capitalização foram destaques novamente. Os dados da produção industrial ficaram em linha, mas o setor imobiliário contraiu.

Por aqui, o Ibovespa sustentou a alta com o exercício de opções sobre o índice principal. As ações de primeira linha ajudaram e o índice sustentou os 86 mil pontos.

Ficaram no radar do mercado financeiro doméstico, os números do IBC-BR, que mostraram recuo da economia. Além disso, era esperado mais um corte na taxa de juros pelo Banco Central do Brasil. Entretanto, para surpresa, o Comitê de Política Monetária – Copom manteve a Selic em 6,50%. Com isso, interrompeu uma sequência de 12 cortes consecutivos.

A autoridade monetária destacou o cenário externo, a retomada lenta da economia doméstica, a inflação recuando e, como vem acontecendo nos últimos dias, a trajetória de alta do dólar.

Nesta sessão, com duas intervenções do BCB no câmbio, a moeda fechou cotada acima dos R$3,60. O fluxo cambial ficou positivo para a semana encerrada em 11 de maio.

ÁSIA

As bolsas da Ásia fecharam no vermelho nesta quarta-feira, com indicadores econômicos decepcionantes e novamente o temor de um conflito geopolítico na Península Coreana e os Estados Unidos.

Ao final, o índice Asia Dow ficou em queda de 0,12% a 3.614. O Hang Seng, Hong Kong, ficou em queda de 0,13% aos 31.110. O Xangai Composite ficou em queda de 0,71% aos 3.169. O índice FTSE Straits, Cingapura, ficou em queda de 0,20% aos 3.533. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 0,44% aos 35.387. O índice Kospi, bolsa da Coreia do Sul, ficou em alta de 0,05% a 2.459. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em queda de 0,44% a 22.717. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,15% a 6.107.

No Japão, os números apresentados hoje mostraram contração da economia no primeiro trimestre de 2018, quebrando uma sequência de alta em 28 anos.

Ainda no Japão, as ações dos bancos, de energia e mineradoras apresentaram as maiores perdas. Entretanto, os mesmos setores ajudaram o índice XJO da Austrália.

Na Coreia do Sul, o índice Kospi subiu puxado pela gigante de tecnologia Samsung Electronics.
A atenção dos investidores ficou com a notícia do final da tarde desta terça-feira (15), quando a Coreia do Norte anunciou o cancelamento da reunião que ocorreria hoje entre os dois líderes coreanos e também ameaçou não participar do encontro marcado pelo dia 12 de junho com os Estados Unidos.

Com isso, houve aumento do rendimento dos títulos de 10 anos do Tesouro dos Estados Unidos. O rendimento da nota de 10 anos subiu mais de 2,5% na sessão e ontem na Nyse.

Indicadores

A economia do Japão contraiu nos primeiros três meses de 2018 devido ao fraco consumo privado e ao investimento empresarial, colocando freios na mais longa faixa de crescimento do país em 28 anos, mostraram dados do Governo nesta quarta-feira.

A terceira maior economia do mundo encolheu a um ritmo anualizado de 0,6% no período de janeiro a março, depois de um crescimento de 0,6% no último trimestre de 2017. A contração foi a primeira desde o último trimestre de 2015. A economia contraiu 0,2% no trimestre, pior do que a previsão dos economistas de uma leitura plana.

O consumo privado, que representa cerca de 60% do PIB, manteve-se estável no último trimestre, depois que as fortes nevascas de janeiro e fevereiro levaram as pessoas a ficar em casa, enquanto os preços mais altos de alimentos e energia fizeram os consumidores relutarem em gastar. As despesas de capital também caíram 0,1%.

As exportações, um dos principais motores da economia japonesa, adicionaram apenas 0,1 ponto percentual ao crescimento geral no período de janeiro a março, já que a demanda por peças eletrônicas, como as de smartphones, desacelerou. Os dados são do Governo do Japão.

EUROPA

Os mercados acionários da Europa fecharam sem direção nesta quarta-feira, com as atenções para os indicadores da Zona do Euro e da Alemanha, bem como para o quadro político na Itália. Além disso, a posição da Coreia do Norte em relação a vizinha do Sul, com os Estados Unidos esperando para a reunião do dia 12 de junho, ficaram de lado com as notícias corporativas ajudando a sustentar alguns índices.

Ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou em alta de 0,21% a 393.21, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) caiu 2,32% aos 23.734; o Ibex 35 (Madri) caiu 0,95% aos 10.111; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 0,20% aos 12.996; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta 0,15% a 7.734; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 0,26% aos 5.567; e o PSI-20 (Lisboa) caiu 0,07% a 5.695.

O índice FTSE MIB da Itália, com as negociações de coalizão entre dois grandes partidos populistas assustando os mercados financeiros locais. Um rascunho da agenda política em que o 5 Star Movement e a Liga estão trabalhando mostrou que a coalizão planeja pedir ao Banco Central Europeu que perdoe € 250 bilhões da dívida italiana. Também sugere a criação de uma estrutura que permita a Itália em deixar a Zona do Euro, de acordo com essa proposta de agenda. As duas partes disseram que o rascunho era uma versão antiga que foi modificada consideravelmente e que eles não planejam mais questionar a participação da Itália na Zona do Euro.

O euro caiu para US $ 1,1781 em comparação com US $ 1,1837 na noite de terça-feira em Nova York. A moeda mais fraca tende a impulsionar as empresas dependentes de exportações da Europa.

Entre as ações com ganhos estavam as da Alstom SA , alta de 3,8%, depois que a gigante francesa informou que o lucro de seu ano fiscal subiu mais de 60%. A empresa também declarou um dividendo de € 0,35 (41 centavos) por ação, comparado com € 0,25 um ano antes.

As ações do grupo Burberry Group PLC subiram 3,6%, depois que a empresa de bens de luxo anunciou um aumento no lucro anual e disse que iria iniciar uma nova recompra de ações de US $ 202,8 milhões.

Indicadores

Na Zona do Euro, a taxa de inflação anual até abril era de 1,2%, abaixo de 1,3% em março. Um ano antes, a taxa era de 1,9%. A inflação anual da União Europeia até abril era de 1,4%, ante 1,5% em março. Um ano antes, a taxa era de 2,0%. Estes números são do Eurostat, o serviço estatístico da União Europeia.

Na Alemanha, os preços ao consumidor aumentaram 1,6% em abril de 2018 em comparação com abril de 2017. Em março de 2018, a taxa de inflação medida pelo índice de preços ao consumidor também foi de 1,6%. O índice de preços no consumidor permaneceu inalterado em abril de 2018 em março de 2018. O Serviço Estatístico Federal (Destatis) confirma os seus resultados globais provisórios de 30 de abril de 2018.

ESTADOS UNIDOS

Os índices de peso em Wall Street fecharam com ganhos nesta quarta-feira, com os investidores descolados das questões entre as Coreias e os Estados Unidos. O destaque ficou com o índice small-cap, Russell 2.000, em alta de 1%.

Ao final, o S&P ficou em alta de 0,41% aos 2.722 pontos. O Dow Jones ficou em alta de 0,25% aos 24.768 pontos. O Nasdaq ficou em alta de 0,63% aos 7.398 pontos. O índice de pequenas capitalizações Russell 2.000 ficou em alta de 1% a 1.616.

Ficaram no radar de hoje, os indicadores apresentados nesta manhã. A produção industrial subiu em abril e o setor imobiliário contraiu no mês de abril.

Entre as ações com ganhos estavam as da Macy’s Inc, alta de 10,8%, com os resultados do primeiro trimestre acima das estimativas dos analistas.

As ações da varejista JC Penney Co subiram 5,5% e as da Corp Kohl subiram 2%.

Indicadores

A produção industrial total cresceu 0,7% em abril e as estimativas em três dos quatro meses anteriores também foram reduzidas, incluindo uma estimativa de redução acentuada para fevereiro.
Um aumento de 2,3% na produção de maquinário impulsionou o ganho geral, embora tenha havido uma queda na produção de metais primários e produtos de metal fabricados pesadamente no setor.

Nos Estados Unidos, a construção de residências despencou em abril e as permissões caíram, sugerindo que o mercado imobiliário continuou a trilhar água em meio a escassez de terras e mão-de-obra qualificada.

A habitação começou a cair 3,7% para uma taxa anual ajustada sazonalmente de 1,287 milhões de unidades em abril. Os dados do Departamento de Comércio mostram também que o declínio reverteu o aumento de março.

BRASIL

A bolsa de valores de São Paulo manteve a alta nesta quarta-feira, com as notícias corporativas e com a Petrobras e a Vale mantendo a valorização. A expectativa para a divulgação da taxa Selic pelo Comitê de Política Monetária – Copom ainda hoje também ficou no radar. Mesmo com a queda precificada, as atenções se voltam para o comunicado e as novas decisões do Banco Central do Brasil – BCB. O exercício de opções sobre o Ibovespa também pesou.

Ao final, o Ibovespa ficou em alta de 1,65% aos 86.536 pontos. O volume financeiro ficou em R$ 12,12 bilhões.

As ações com ganhos
Estacio Part. ON, alta de 10,00%; Magaz. Luiza ON, alta de 5,39%; ViaVarejo UNT, alta de 7,07% Braskem PNA, alta de 5,26%; e Usiminas PNA, alta de 4,91%.

As ações com perdas
Eletrobras PNB, queda de 2,16%; Natura ON, queda de 3,41%; Suzano Papel ON, queda de 3,26%; BRF ON, queda de 2,46%; e Cielo ON, queda de 1,18%.

A Petrobras PN ficou em alta de 2,24% e a ON, alta de 2,33%.

A Vale ON ficou em alta de 2,29%.

O Itau Unibanco ficou em alta de 1,74%.

O exercício de opções sobre o índice Bovespa (Ibovespa) movimentou, hoje, R$ 133.090.000,00, com 1.570 contratos negociados. Do volume de operações exercidas, R$ 125.260.000,00 referem-se a opções de compra e 7.830.000,00 a opções de venda.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica do Índice Bovespa que vai vigorar de 07 de maio de 2018 a 31 de agosto de 2018 com os cinco ativos que apresentam o maior peso na composição do índice são: Vale ON (11,360%), Itauunibanco PN (10,436%), Bradesco PN (7,735%), Ambev S/A ON (7,056%) e Petrobras PN (6,674%).

Commodities

O petróleo referência, Brent, ficou em queda na bolsa de Futuros de Londres a 0,94% cotado a US$79,20 o barril.

O petróleo WTI ficou em alta de 0,32%, cotado a US$ 71,54 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em alta de 1,11% a US$68,03 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$1.158,60, alta de 2,31%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$1.048,10 a tonelada, alta de 0,90%.

Moedas

O dólar comercial, que abriu próximo dos R$3,70, fechou em alta nesta quarta-feira. O comportamento da moeda norte-americana foi moderado com a entrada do Banco Central do Brasil. Entretanto, segundo analistas ouvidos pelo Último Instante, o que puxou a moeda para cima foi o cenário externo com as diferenças entre as Coreias e com os Estados Unidos no pano de fundo.

Ao final, no interbancário, o dólar comercial ficou cotado a R$3, 677 para a compra e R$3, 678 para a venda, alta de 0,48%.

O dólar turismo ficou em R$3,530 para a compra e R$3,820 para a venda, alta de 0,53%.

O euro ficou em R$4, 336 para a compra e R$4,339 para a venda, alta de 0,21%.

A libra ficou em R$4,955 para a compra e R$4,957 para a venda, alta de 0,39 %.

O Banco Central do Brasil – BCB entrou com leilão de swap cambial tradicional, que equivale a compra de dólares no mercado futuro, com a oferta de 5 mil novos contratos. O montante em swap é de US$750 milhões.

Ainda hoje, o BCB realiza outro leilão de swap cambial tradicional ofertando 4.225 contratos para rolagem e com vencimento para junho.

As intervenções do BCB foram iniciadas nesta segunda-feira (14) na tentativa de conter o avanço da moeda americana.

Fluxo cambial

O fluxo cambial ficou positivo em US$ 362 milhões em maio até o dia 11, informou o Banco Central do Brasil (BCB).

No lado financeiro, as saídas líquidas ficaram em US$ 2,404 bilhões no período. O resultado se deve ao aporte de US$ 15,774 bilhões e de retiradas no total de US$ 18,178 bilhões.

No lado comercial, até 11 de maio era positivo em US$ 2,766 bilhões, com importações de US$ 4,577 bilhões e exportações de US$ 7,343 bilhões.

No cenário externo, o índice DXY, que compara o dólar com mais seis moedas, estava em alta de 0,09% a 93,378. O WSJ, que amplia o comparativo com mais 16, estava em queda de 0,08% a 86,85.

O euro estava em queda de 0,23% a US$1.1809e a libra estava em queda de 0,14% a US$1.3490.

O movimento do dólar na Nyse ficou diretamente ligado a decisão do líder norte-coreano Kim Jong-un que no final desta terça-feira (15) cancelou a reunião que estava marcada para hoje com o presidente da Coreia do Sul Moon Jae-in. Além disso, despertou a incerteza sobre o encontro com o presidente dos Estados Unidos Donald Trump no dia 12 de junho em Cingapura.

Já sobre o euro, o impacto veio com as discussões do governo de coalizão.


Assuntos desta notícia

Join the Conversation