Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Em dia de agenda global vazia, os investidores aproveitaram para realizar lucros, ajustar e analisar os relatórios na reta final da temporada de balanços. As notícias corporativas também chamaram a atenção na Europa.

Na Ásia, com a China programada para soltar números da produção industrial e vendas no varejo, os mercados fecharam no positivo e ainda sob a influência das negociações globais de sexta-feira (11). A promessa de mais uma rodada de discussões comerciais entre a China e os Estados Unidos nessa semana também deram um alívio na tensão.

MetaTrader 300×250

Na Europa, o apetite da companhia de energia chinesa Three Gorges Corp – CTG pela Energias de Portugal – EDP, anunciada na última sexta-feira, mexeu com as ações da portuguesa na bolsa Lisboa. O índice principal fechou no azul (ver abaixo).

Ainda no Velho Continente, mais precisamente na Itália, o acordo de partidos políticos para o governo de coalizão deu mais confiança aos investidores na bolsa de Milão. O índice principal fechou em alta.

Nos Estados Unidos, a bolsa de Nova York fechou no azul, em sessão marcada por realização de lucros e sem a divulgação de indicadores. As atenções e os ruídos ficaram com o Federal Reserve, depois que uma das representantes do banco central destacou que uma alta de até 3% na taxa de juros do país seria interessante. Os indicadores anunciados nos últimos meses estão mostrando a robustez da economia dos Estados Unidos.

O dólar, por sua vez, variou e ganhou força na cesta global. Os preços do petróleo deram uma acomodada, mas rondaram os US$80,00 o barril.

Por aqui, em meio aos resultados financeiros, avanços de commodities e pesquisa eleitoral, os investidores aproveitaram o dia para garantir alguns lucros, ajustar carteiras e sempre mantendo a atenção no cenário externo.

Na agenda, apenas o Banco Central do Brasil – BCB apresentou o Boletim Focus e também novas regras os leilões de swap.

O Ibovespa fechou estável e o dólar, mesmo com o BCB, fechou em alta e acima dos R$3,60.

ÁSIA

Na Ásia, as bolsas fecharam em alta nesta segunda-feira, em dia de agenda cheia na China no final do dia. Ainda por lá, crescem as expectativas de um acordo comercial entre o governo chinês e americano na próxima rodada prevista para essa semana nos Estados Unidos.

Ao final, o índice Asia Dow ficou em alta de 0,58% a 3.656. O Hang Seng, Hong Kong, ficou em alta de 1,35% aos 31.541. O Xangai Composite ficou em alta de 0,34% aos 3.174. O índice FTSE Straits, Cingapura, ficou em queda de 0,22% aos 3.562. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,06% aos 35.556. O índice Kospi, bolsa da Coreia do Sul, ficou em queda de 0,06% a 2.476. O índice Nikkei 225, bolsa de Tóquio, ficou em alta de 0,47% a 22.865. O índice XJO, bolsa de Sidney, ficou em alta de 0,31% a 6.135.

O índice MSCI Ásia Pacífico subiu 0,5%, com o abrandamento das tensões comerciais entre a China e os Estados Unidos. Para esta semana, o vice-premiê chinês Liu He deve seguir para uma nova rodada de negociações com o governo norte-americano.

Nesta sessão, o iene está se depreciando contra o dólar, -0,11%, cotado a 109,51.

Indicadores

No Japão, conforme mostrou o Banco Central – BoJ neste final de semana, o Índice de Preços ao Produtor aumentou 0,1% em relação ao mês anterior. O Índice de Preços de Exportação (base de moeda contratada) caiu 0,2% em relação ao mês anterior. O Índice de Preços de Importação (base de moeda contratada) subiu 0,2% em relação ao mês anterior.

Dados importantes sairão na China ao longo da semana, com destaque para a produção industrial e vendas no varejo que serão divulgadas amanhã.

EUROPA

A Europa ficou no foco central dos investidores nesta segunda-feira. As notícias corporativas, como o interesse da Three Gorges Corp na EDP, e a política italiana, com um acordo para o governo de coalizão, puxaram os dois índices das bolsas locais para o azul. Em dia  de agenda vazia para o Velho Continente, os demais índices corrigiram.

Ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou em queda de 0,05% a 392.19, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta de 0,26% aos 24.221; o Ibex 35 (Madri) ficou em queda 0,13% aos 10.257; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em queda de 0,18% aos 12.977; o FTSE-100 (Londres) ficou em queda 0,18% a 7.710; o CAC 40 (Paris) caiu 0,02% aos 5.540; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em alta de 1,40%  a 5.692.

Na região, com os mercados recuados, o euro opera em alta de 0,19% a US$1.1965 na Nyse, com o dólar perdendo força.

Em dia de agenda global vazia, as notícias corporativas  e políticas estão no radar, bem como as negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China.

Começando pelos Estados Unidos e a China, as negociações comerciais devem ficar no centro das atenções ao longo da semana. O presidente Donald Trump abriu uma porta para um acordo mais simpático e construtivo entre Pequim e Washington. Trump deu sinais de uma abertura para a gigante chinesa de telecomunicações ZTE.

Já na Itália, os partidos políticos chegaram a um acordo sobre a formação de uma coalizão de governo. O novo governo – previsto para ser anunciado nos próximos dias – encerraria mais de dois meses de impasse político naquele País, depois que as eleições gerais  no começo de março produziram um resultado inconclusivo. Um acordo de coalizão entre os dois partidos populistas também marcaria uma das maiores vitórias dos partidos europeus antiestablishment. A bolsa de ações locais manteve e valorização.

Deve mexer ainda com as ações nesta segunda-feira, a proposta surpresa da gigante de energia chinesa, a Three Gorges Corp, que fez uma oferta bilionária na sexta-feira para uma das mais importantes companhias energéticas da Europa, a Energias de Portugal – EDP.

A CTG planeja lançar uma oferta de € 9,07 bilhões (algo em torno de US $ 10,8 bilhões) para adquirir os quase 77% que ainda não possui da portuguesa, um passo ousado para expandir ainda mais o setor de energia da Europa. Isso provavelmente atrairá o escrutínio pesado dos Estados Unidos e de outros governos do Ocidente.

Ao consolidar a sua propriedade da Energias de Portugal, a CTG, ganharia o controle total da maior produtora, distribuidora e fornecedora de eletricidade de Portugal. Mas também ofereceria à companhia estatal chinesa de energia uma plataforma maior para ganhar exposição às operações da energia da EDP em vários outros países da Europa, incluindo Espanha, França, Itália e Reino Unido. Nas Américas, a empresa de Lisboa está presente no Brasil, México e nos Estados Unidos, onde opera parques eólicos em grande parte do país há mais de 10 anos.

Com o negócio, o índice da bolsa de Lisboa, o PSI20 fechou em alta e as ações da EDP subiram  9,32% a € 3,40.

Entre as demais ações com ganhos estão as da Centrica PLC subiu 1,36% depois que a empresa de utilidade pública disse que está no caminho certo para atingir suas metas para 2018.

Na contramão estão as ações da ABN AMRO Group, queda de 6%, depois que o banco holandês registrou uma queda no lucro líquido devido a despesas com desvalorização de € 208 milhões.

As ações da Airbus SE caíram 2,4%, depois que a fabricante de aeronaves disse que seu diretor financeiro, Harald Wilhelm, decidiu deixar a empresa em 2019.

Na Europa não foram apresentados indicadores econômicos nesta segunda-feira.

ESTADOS UNIDOS

Nos Estados Unidos, os índices de Wall Street fecharam com ganhos nesta segunda-feira. As discussões comerciais entre a China e os Estados Unidos ganharam destaque nesta segunda-feira, com o presidente Donald Trump prometendo apoio para a gigante de telecomunicações da ZTE.

Ao final, o S&P ficou em alta de 0,09% aos 2.730 pontos. O Dow Jones ficou em alta de 0,27% aos 24.899 pontos. O Nasdaq ficou em alta de 0,11% aos 7.411 pontos.

A medida de Trump para a ZTE vem depois que o Departamento do Comércio proibiu a venda de empresas norte-americanas para a chinesa. No Twitter, o presidente Trump declarou que já pediu a suspensão da medida contra a ZTE.

Entre as ações com perdas ficaram as da Xerox Corp, queda de 4,3%, com a empresa de tecnologia ter dito que abandonaria seu acordo de fusão com a Fujifilm Holdings.

As ações da Symantec Corp subiram 9,6%. O ganho, depois da  queda de 35% na sexta-feira, vem com o comitê de auditoria da empresa anunciando uma investigação interna, que estimulou uma série de rebaixamentos de analistas.

As ações de energia subiram, com os preços do petróleo bruto. A Exxon Mobil Corp subiu 0,9%, enquanto a Marathon Oil Corp subiu 2,2%. O índice XLE de energia subiu 0,69%.

Entre as ações de tecnologia para cima ficaram as da Microsoft Corp, alta de 0,3%, e as ações da classe A da Google subiram 0,3%.

Nos Estados Unidos não foram apresentados indicadores.

BRASIL

O mercado de ações doméstico ficou estável nesta segunda-feira, com um pouco de realização de lucros e ajustes. O cenário externo ficou no radar, com Wall Street fechando em ligeira alta. As commodities ajudaram a Petrobras, Vale e Suzano Papel. Na contramão ficaram os bancos.

Ao final, o Ibovespa estável aos 85.232 pontos. O giro financeiro ficou em R$12,29 bilhões.

“O movimento foi de estabilidade, mesmo com Petrobras, Vale e Suzano mantendo o índice e na contramão dos bancos com a disparada do dólar. Mesmo precificado corte na Selic, o mercado sempre espera pinçar detalhes no comunicado. A semana vem cheia de indicadores no cenário externo, o que poderá dar mais pistas sobre a decisão do banco central americano”, explicou o gerente de Bovespa da HCommcor, Ari Santos.

As ações com ganhos

Suzano Papel ON, alta de 4,99%; Petrobras ON, alta de 4,15%; Petrobras PN, alta de 3,14%; BRF ON, alta de 3,22%; e Bradespar PN, alta de 3,18%.

As ações com perdas

Energias BR ON, queda de 10,90%; Estacio Part. ON, queda de 7,45%; Qualicorp ON, queda de 6,32%; Smiles ON, queda de 4,75%; e Fleury ON, queda de 4,71%.

O Itau Unibanco PN ficou em queda de 1,50%.

O Bradesco PN caiu 1,43%.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica do Índice Bovespa que vai vigorar de 07 de maio de 2018 a 31 de agosto de 2018 com os cinco ativos que apresentam o maior peso na composição do índice são: Vale ON (11,360%), Itauunibanco PN (10,436%), Bradesco PN (7,735%), Ambev S/A ON (7,056%) e Petrobras PN (6,674%).

Commodities

O petróleo referência, Brent, ficou em alta na bolsa de Futuros de Londres a 1,02% cotado a US$79,12 o barril.

O petróleo WTI ficou em alta de 0,62%, cotado a US$ 71,13 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, ficou em alta de 2,24% a US$68,93 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$1.158,60, alta de 2,31%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$1.048,10 a tonelada, alta de 0,90%.

Moedas

O dólar comercial ganhou força nesta segunda-feira, mesmo com a nova medida do Banco Central do Brasil – BCB na injeção de dinheiro novo no mercado através de leilões. De outro lado, ainda pesou no comportamento o cenário político na corrida presidencial e despertando as incertezas econômicas.

No cenário externo, o temor de uma possível alta nas taxas de juros pelo Federal Reserve, as negociações comerciais entre os Estados Unidos e a China também devem pesar também nas moedas emergentes.

Ao final, no interbancário, o dólar comercial ficou cotado a R$3,627 para a compra e R$3,628 para a venda, alta de 0,76%.

O dólar turismo ficou cotado a R$3,480 para a compra e R$3,770 para a venda, queda de 0,79%.

O euro ficou R$4,323 para a compra e R$4, 325 para a venda, alta da 0,56%.

A libra ficou em R$4,911 para a compra e R$4,912 para a venda, alta de 0,75%.

Na última sexta-feira, em comunicado na página, o Banco Central do Brasil – BCB destacou que fará ajustes na forma que está ofertando swap cambial.

A medida começou a valer a partir de hoje (14), no leilão para a rolagem integral dos contratos vencidos em 01 de junho, com a oferta de 4.225 contratos, que serão distribuídos, a critério do BCB, com vencimentos de nos dias 01/08/18, 01/11/18 e 02/01/2019. A data de início dos contratos permanece em 01/06/2018.

O BCB explicou também que,  do total de 113 mil contratos vincendos em 01 de junho, 62.300 contratos já foram renovados nos leilões ocorridos entre os dias 03 e 11 de maio.

O BCB fez também oferta adicional de contratos de swap cambial. O leilão tem data de início dos contratos a partir de amanhã (15). Foram ofertados 5 mil contratos com vencimento em 02/07/2018.

No cenário externo, o índice DXY, que mede o comportamento da moeda com mais seis, estava em alta de 0,16% a 92,62. O WSJ, que mede o comportamento da moeda com mais 16, estava em alta de 0,15% a 86,35.

O euro ficou em alta de 0,05% a US$1.1938.  A libra estava em alta de 0,14% a US$1.3560.

O comportamento do dólar hoje na Nyse voltou para o positivo. Pesou por lá as declarações da presidente do Federal Reserve de Cleveland, Loretta Mester,  de que o banco central poderá aumentar as taxas de juros acima de 3%, em um discurso nesta segunda-feira na França.

O euro acomodou com o quadro político da Itália mais definido.


Assuntos desta notícia

Join the Conversation