Clicky

MetaTrader 728×90

A Bolsa de Valores de São Paulo, conforme previam os analistas, acabou devolvendo os ganhos das sessões anteriores nesta quarta-feira surfando nos demais globais. A aversão ao risco dos negociadores se deu com a véspera da realização do referendo no Reino Unido, marcado para esta quinta-feira (23).

Conforme as informações da Agência Efe, as últimas pesquisas das empresas Opinium e TNS antes do referendo de amanhã sobre a permanência do Reino Unido na União Europeia (UE) preveem uma leve vantagem dos defensores do “Brexit”.

Profitchart Pro 300×250

A saída da UE obteria 45% dos votos, contra 44% que prefere a opção de continuar na Europa, segundo uma pesquisa da Opinium baseada em 3.011 entrevistas, enquanto o “Brexit” obteria 43% e a permanência, 41%, segundo a TNS, que consultou 2.320 pessoas.

O primeiro estudo, elaborado entre segunda-feira e hoje, aponta que 9% dos possíveis eleitores ainda não decidiu o sentido de seu voto, enquanto a segunda, cujas consultas aconteceram entre quinta-feira passada e hoje, indica que 16% está indeciso ou não pretende comparecer às urnas.

Apesar de a pesquisa da TNS apontar para uma vantagem do “Brexit”, a diferença entre ambos campos se reduziu desde 14 de junho, quando uma pesquisa da mesma empresa indicava uma distância de sete pontos favorável à saída da UE (47% contra 40%).

No caso da pesquisa da Opinium, o “Brexit” avançou um ponto desde que no sábado passado a companhia previa um empate com 44% de votos para cada lado.

Ao final, o Ibovespa devolveu 1,34% aos 50.156 pontos. O volume financeiro ficou em R$6,5 bilhões.

Do lado cambial, o dólar comercial fechou em queda. No interbancário, a moeda ficou cotada aos R$3,376 na compra e R$3,777 na venda, queda de 0,83%.

Petróleo

O barril do Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) fechou em baixa de 1,44% nesta quarta-feira, cotado a US$ 49,13, em um dia de resultados mistos em Wall Street e na véspera do referendo do “Brexit”.

Ao final da sessão de hoje na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos futuros do WTI para entrega em agosto, novo mês de referência, caíram US$ 0,72 em relação ao fechamento de ontem.

Hoje foi anunciado que as reservas de petróleo dos Estados Unidos caíram na semana passada em 900.000 barris, até 530,6 milhões, embora sigam em níveis máximos históricos em oito décadas.

O barril de petróleo Brent para entrega em agosto fechou nesta quarta-feira em baixa de 1,2% no mercado de futuros de Londres, cotado a US$ 49,98.

O petróleo do Mar do Norte terminou a sessão no International Exchange Futures (ICE) US$ 0,61 abaixo do valor final da sessão de ontem, que foi de US$ 50,59.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao fechou em alta de 2,7% aos US$52,259. O negociado no porto de Tianjin também manteve alta de 2% aos US$51,70


Assuntos desta notícia