Clicky

mm TD 728

As bolsas da Europa recuam nas negociações desta sexta-feira, depois das valorizações ao longo do dia. A virada foi puxada pelos resultados financeiros de bancos e também com os indicadores mostrados pelas instituições e o governo dos Estados Unidos, porém, o índice regional conseguiu manter a alta com a recuperação de commodities.

Ao final da jornada, o índice Stoxx Europe 600 ficou em alta de 0,18% aos 386.84, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) caiu 0,14% aos 21.492; o Ibex 35 (Madri) recuou 0,03% aos 10.655; o DAX 30 (Frankfurt) recuou 0,08% aos 12.631; o FTSE-100 (Londres) perdeu 0,47% aos 7.378; o CAC 40 (Paris) ficou estável aos 5.235 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) recuou 0,31% aos 5.302.

Na semana o Stoxx Europe subiu 1,8%, o maior ganho na semana desde o começo de maio.

Ao longo da semana, as ações subiram embaladas pelas falas da presidente do Federal Reserve, Janet Yellen, de que as taxas de juros não precisam ser mais elevadas no curto prazo.

As ações dos bancos puxaram o índice Banks FX7 para baixo de 0,7%. Os credores europeus seguiram as ações bancárias dos Estados Unidos, depois das apresentações dos balanços dos principais bancos norte-americanos.

Esses grandes bancos registraram lucros superiores aos previstos, mas apresentaram receita comercial mais fraca, ficando aquém do que os analistas esperavam e levantando questões sobre o que os credores europeus dirão sobre as receitas quando começarem a divulgar resultados financeiros nas próximas semanas.

Entre os principais bancos europeus que viram os papéis recuando estavam os do Deutsche Bank AG, queda de 0,48%, Santander, queda de 0,9%, e o BNP Paribas, queda de 0,93%.

Na próxima semana, o foco fica para o Banco Central Europeu (BCE) na reunião de política monetária entre quarta e quinta-feiras.


Assuntos desta notícia

Join the Conversation