Clicky

Profitchart Pro 728×90

Os mercados globais operam no azul nesta quinta-feira, com as atenções para a apresentação da presidente do Federal Reserve Janet Yellen amanhã em evento do banco central dos Estados Unidos.

Por aqui, o mercado segue volátil com o início do julgamento do processo de Impeachment de Dilma Rousseff e também para indicadores do mês de julho.

Profitchart Pro 300×250

O primeiro momento de maior tensão hoje no julgamento do processo de Impeachment, no Senado, levou o presidente do Supremo Tribunal Federal (STF), ministro Ricardo Lewandowski, a suspender a sessão por alguns minutos para tentar restabelecer a ordem. A confusão começou quando a senadora Gleisi Hoffman (PT-PR) afirmou que nenhum senador tem condições morais para julgar o afastamento permanente de Dilma.

“Aqui não tem ninguém com condições para julgar ninguém. Qual a moral do Senado para julgar uma presidente da República?”, disse, visivelmente exaltada. A declaração foi interrompida pela manifestação indignada de outros senadores longe do microfone, entre eles, Ronaldo Caiado (DEM-GO), a quem Gleisi respondeu acusando: “o senhor é do trabalho escravo”, disse ao microfone.

Gleisi rebatia o senador Magno Malta (PR- ES), a quem coube colocar o contraponto a uma das questões de ordem apresentadas por aliados de Dilma que afirmaram que o impeachment é defendido para blindar o presidente interino, Michel Temer, e alguns integrantes de seu governo citados em delações da Lava Jato.

“É o sujo falando do mal lavado. É a lata e o lixo. Não sou do PMDB, não sou do PSDB, que são os inimigos declarados do processo eleitoral”, disse. Sobre gravações que estão sendo reveladas ao longo das investigações, Malta atacou:”Se valesse alguma coisa, Aloizio Mercadante deveria estar preso”.

Por outro lado, os números do Banco Central mostraram o cenário de crédito, taxas de juros e inadimplência do País.

De acordo o BC, a taxa do cheque especial subiu 2,7 pontos percentuais, de junho para julho, quando chegou a 318,4% ao ano, chegando a novo recorde na série histórica do BC, iniciada em julho de 1994.

Neste ano, a taxa do cheque especial já subiu 31,4 pontos percentuais em relação a dezembro de 2015, quando estava em 287% ao ano.

Outra taxa de juros alta é a do rotativo do cartão de crédito. Em julho, na comparação com o mês anterior, houve uma pequena redução na taxa de 0,2 ponto percentual. Mas a taxa de 470,7% ao ano é a mais alta entre as pesquisadas pelo BC. Neste ano, essa taxa já subiu 39,3 pontos percentuais. O rotativo é o crédito tomado pelo consumidor quando paga menos que o valor integral da fatura do cartão.

A taxa média das compras parceladas com juros, do parcelamento da fatura do cartão de crédito e dos saques parcelados subiu 2,3 pontos percentuais e ficou em 151,8% ao ano.

A taxa do crédito pessoal subiu 3,9 pontos percentuais para 132,2% ao ano. Já a taxa do crédito consignado (com desconto em folha de pagamento) caiu 0,2 ponto percentual para 29,2% ao ano.

De volta ao mercado financeiro, a Bovespa segue em alta de 0,45% aos 57.962 e o dólar valorizado.*

ÁSIA

As bolsas asiáticas ficaram novamente divididas nas negociações desta quinta-feira, com as ações de commodities recuando e com as de serviços públicos subindo. Por lá, as atenções se voltam também para o Federal Reserve.

Em Tóquio, o Índice MSCI Asia Pacific subiu 0,1% para 139,10 pontos a partir das 4 da tarde. O índice Topix fechou em 0,2% e o iene foi negociado a 100,35 por dólar.

Em Hong Kong, o principal indicador,Hang Seng, ficou em alta de 0,03% aos 22.826 pontos. Na China, o índice SSE Composite, da bolsa de Xangai ficou em queda de 0,57% aos 3.068 pontos. Na Índia, o índice BSE da bolsa de Bombai ficou em queda de 0,80% aos 27.835 pontos. E no Japão, o índice Nikkei da bolsa de Tóquio fechou queda de 0,25% aos 16.555 pontos.

As empresas de energia e matérias primas caíram e refletindo os estoques de petróleo dos Estados Unidos divulgados nesta quarta-feira (24), que subiram inesperadamente na semana passada.

EUROPA

As bolsas europeias seguem devolvendo os ganhos das sessão de ontem nesta quinta-feira, com a cautela global.

Faltando pouco para o fechamento, em Milão, o índice FTSE-MIB caía 0,94% aos 16.732 pontos; em Madri, o índice Ibex 35 estava em queda de 0,60% aos 8.603 pontos; em Paris, o índice CAC-40 recuava 064% aos 4.407 pontos; em Frankfurt, o índice DAX 30 caía 0,82% aos 10.535 pontos; em Londres, o índice FTSE-100 recuava 0,27% aos 6.817 pontos; e, em Lisboa, o índice PSI-20 caía 0,36% aos 4.681 pontos.

A confiança das empresas na Alemanha piorou, conforme mostrou hoje o Ifo – Índice do Clima de Negócios. O índice saiu de 108,3 pontos em julho para 106,2 pontos em agosto. Tanto a situação atual dos negócios e as expectativas para os próximos seis meses foram avaliadas como ruins pelas empresas se comparado com o mês anterior. A economia alemã segue parada com o verão.

Na fabricação, o índice caiu novamente. As empresas industriais estavam menos satisfeitos com a sua situação atual dos negócios. As expectativas também caíram de média para longo prazo, especialmente o volume de novas encomendas diminuindo. O índice de clima de negócios recuou em quase todos os ramos da indústria, com maior clareza, no entanto, nas indústrias químicas e elétricas.

O Ifo revelou também que o PIB do segundo trimestre revisto ontem confirmou que a maior economia da Europa cresceu 0,4%. Uma das principais fontes de expansão: as exportações.

As transferências para fora saltaram 1,2% no segundo trimestre. O consumo interno continuou a ser uma força positiva nos dados revistos no segundo trimestre, mas o ritmo de 0,2% foi relativamente moderado.

ESTADOS UNIDOS

Os investidores em Wall Street voltaram para o risco nesta quinta-feira, com as expectativas para a apresentação da presidente do Federal Reserve Janet Yellen amanhã em evento do banco central dos Estados Unidos.

Há pouco, Dow Jones estava em alta de 0,05% aos 18.490 pontos; o S&P subia 0,12% aos 2.177 pontos; e Nasdaq avançava 0,18% aos 5.226 pontos.

Na semana que terminou 20 de agosto, os pedidos iniciais de auxílio-desemprego nos Estados Unidos, ajustados, eram 261 mil, queda em 1.000 a partir do nível revised da semana anterior, 262 mil.

A média móvel de quatro semanas foi de 264 mil, decréscimo de 1.250 em relação à média revisada da semana anterior em 265.250. Não houve fatores especiais que afetam os pedidos iniciais desta semana. Com o resultado mostrado hoje pelo Departamento do Trabalho dos Estados Unidos, são 77 semanas consecutivas de pedidos iniciais abaixo de 300 mil , a maior sequência desde 1970.

O avanço ajustado sazonalmente taxa de desemprego foi de 1,6% para a semana que terminou em 13 de agosto, inalterada ante a taxa de revisada da semana anterior.

As encomendas de equipamentos subiram em julho, o segundo mês consecutivo, e a maior desde janeiro. Esse comportamento indica que as empresas norte-americanas estão se tornando menos relutantes em investir. As reservas para bens de capital não-militares excluindo aeronaves subiram 1,6%, depois de um ganho de 0,5% em junho, conforme mostrou hoje o Departamento de Comércio norte-americano.

A demanda por todos os bens duráveis – itens destinados a durar pelo menos três anos – recuperou 4,4%, o maior desde outubro. Os aumentos para as reservas de bens de capital são os primeiros desde janeiro de 2015.

Commodities

O preço do Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) para entrega em outubro abriu nesta quinta-feira em baixa de 0,36% (US$ 0,17), aos US$ 46,60 o barril na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex).

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao, China, fechou em queda de 0,49% aos US$61,44.

*Informações completas no BOLETIM DE FECHAMENTO


Assuntos desta notícia