Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Depois de uma segunda-feira marcada pela realização de lucros, os investidores estão partindo para as compras nas sessões da tarde de hoje.

Na Ásia, o reflexo ainda foi referente às negociações anteriores e os negociadores apenas realizaram. A China esteve no foco.

Chart Trading 300×250

Já no Velho Continente, em dia de mercados no território positivo, as questões políticas estão em debates. Eleições na França, Alemanha e Brexit esquentam os noticiários.

Por aqui, também em dia de poucos indicadores, o foco segue em Brasília. A indicação do presidente Michel Temer para o posto vago do ex-ministro, Teori Zavascki, do ministro da Justiça, Alexandre Moraes, está movimentando os corretores do Congresso.

Sobre os indicadores, o IBGE mostrou que o crescimento de 2,3% na produção industrial em dezembro de 2016, frente a novembro, reflete aumentos no ritmo da atividade em dez dos 14 locais pesquisados. Os dados detalhados hoje já foram divulgados a nível nacional na semana passada.

A inflação, medida pelo Índice Geral de Preços – Disponibilidade Interna (IGP-DI), fechou o mês de janeiro com variação de 0,43%, mostrando uma desaceleração de preços que chegou a 0,4 ponto percentual em relação a dezembro último, quando foi de 0,83%. Com o resultado, o IGP-DI acumulado nos últimos doze meses é de 6,02%.

O índice foi divulgado hoje, no Rio de Janeiro, pela FGV/IBRE e se refere aos preços coletados entre os dias 1º e 31 de janeiro. Em janeiro de 2016, o IGP-DI havia variado 1,53%.

Na outra ponta, as vendas de materiais de construção tiveram queda de 8,9% em janeiro na comparação com o mesmo mês em 2016, segundo a Associação Brasileira das Indústrias de Materiais de Construção (Abramat). Em relação a dezembro, houve crescimento de 1,5%.

Os empregos no setor mostraram queda, com retração de 7,5% em janeiro na comparação janeiro de 2016. Em relação a dezembro, foi registrado recuo de 0,1%.

Do lado acionário, a Bovespa opera em alta.

Do lado acionário, o dólar comercial segue em alta.

Há pouco, no interbancário, a moeda estava cotada aos R$3,129 para a compra e R$3, 130 para a venda, alta de 0,13%.

ÁSIA

Os mercados asiáticos fecharam no vermelho nesta terça-feira, com os investidores realizando lucros e atentos aos resultados financeiros de gigantes.

Por outro lado, as reservas internacionais da China em janeiro vieram US$ 5 bilhões abaixo do esperado, ficando abaixo de US$ 3 tri pela primeira vez desde 2011. O resultado veio depois que o yuan encerrou seu maior declínio anual em duas décadas.

As reservas caíram US $ 12,3 bilhões para US $ 2,998 trilhões, anunciou o Banco Popular da China nesta terça-feira.

A intervenção do banco central nos mercados de câmbio levou a queda, assim como fatores sazonais como a alta demanda por outras moedas durante o feriado do Ano Novo Lunar de uma semana, informou a Administração Estatal de Câmbio em comunicado.

O índice Asia Dow ficou em queda de 0,09% aos 3.121 pontos. Em Hong Kong, o Hang Seng ficou em queda de 0,07% aos 23.331 pontos. Na China, o índice SSE Composite, da bolsa de Xangai ficou em queda de 0,12% aos 3.153 pontos. Na Coreia do Sul, o índice Kospi ficou em queda de 0,12% aos 2.075 pontos. Na Índia, o índice BSE da bolsa de Bombai ficou em queda de 0,37% aos 28.335 pontos. O Nikkei 225 ficou em queda de 0,35% aos 18.910 pontos.

No Japão, o índice principal, que mede a atividade econômica futura, aumentou menos do que o esperado em dezembro para o nível mais forte em um ano e meio, segundo dados mais recentes do Gabinete do Gabinete, divulgados na terça-feira. O índice subiu para 105,2 em dezembro de 102,6 em novembro.

Além disso, a pontuação mais recente foi a maior desde junho de 2015, quando a leitura foi de 106,1. O índice coincidente, que reflete a atividade econômica atual, subiu para 115,2 em dezembro de 115,1 no mês anterior. A pontuação esperada para o foi também 115,1.

EUROPA

Os mercados acionários da Europa operam para cima nesta terça-feira, com o setor imobiliário avançando. Os títulos subiram em toda a região e puxando as ações, bem como os indicadores da produção industrial da Alemanha.*

Já as ações dos bancos seguem recuando, junto com os rendimentos da dívida alemã.A cautela se dá com o cenário político e, principalmente, com os resultados do BNP Paribas.

Ainda pesa na Europa, a declaração da candidata de extrema-direita, Marine Le Pen, sobre a promessa de tirar o país do bloco monetário se vencer a eleição.

O Euro Stoxx 50, um indicador de ações da Zona do Euro, foi pouco alterado depois de ultrapassar sua média móvel de 50 dias na segunda-feira, enviando um sinal técnico de baixa.

As ações do BNP Paribas caíam quase 5%, depois de postar lucro do quarto trimestre abaixo das estimativas.

As ações da BP Plc caíam 3,2%, depois que a petroleira informou lucros do quarto trimestre, abaixo das estimativas, com os preços do petróleo mais elevados e não conseguindo compensar totalmente a baixa renda de refinação.

Perto do fechamento, em Londres, o índice Stoxx Europe 600 estava em alta de 0,54% aos 363.53. Em Milão, o índice FTSE-MIB subia 0,40% aos 18.768 pontos. Em Madri, o índice Ibex 35 ganhava 0,27% aos 9.382 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX 30 subia 0,67% aos 11.587 pontos. Em Paris, o índice CAC 40 subia 0,12% aos 4.783 pontos. Em Londres, o índice FTSE-100 estava em alta de 0,63% aos 7.216 pontos. E, em Lisboa, o índice PSI-20 caía 0,99% aos 4.551 pontos.

Na Alemanha, em dezembro de 2016, a produção industrial diminuiu 3,0% em relação ao mês anterior, com base no preço, sazonalmente e em dias úteis, de acordo com dados provisórios do Instituto Federal de Estatística (Destatis). Em novembro de 2016, o valor corrigido mostra um aumento de 0,5% (primário + 0,4%) a partir de outubro de 2016.

Em dezembro de 2016, a produção na indústria, excluindo energia e construção, apresentou queda de 3,4%. Dentro da indústria, a produção de bens de capital diminuiu 5,4% e a produção de bens de consumo em 3,1%. A produção de bens intermediários apresentou queda de 1,1%. A produção de energia diminuiu 0,9% em novembro de 2016 e a produção em construção diminuiu 1,7%.

ESTADOS UNIDOS

Os índices de peso em Wall Street abriram para cima nesta terça-feira, com os balanços financeiros. **

Há pouco, o S&P estava em alta de 0,22% aos 2.297; o Dow Jones estava em 0,44% aos 20.141;e o Nasdaq subia 0,27% aos 5.679.

O Departamento de Comércio dos Estados Unidos anunciaram hoje que o déficit de bens e serviços foi de US$ 44,3 bilhões em dezembro ante os US$ 45,7 bilhões em novembro. As exportações de dezembro foram de US$ 190,7 bilhões, US $ 5,0 bilhões a mais que as exportações de novembro. As importações de dezembro somaram US $ 235,0 bilhões, US $ 3,6 bilhões a mais do que as importações de novembro. A queda de dezembro no déficit de bens e serviços refletiu no recuo do déficit de mercadorias de US$ 1,2 bilhão para US $ 65,7 bilhões e um aumento no superávit de US $ 0,3 bilhão para US $ 21,4 bilhões.

BRASIL

A Bolsa de Valores de São Paulo está operando no azul nesta terça-feira, com o índice principal buscando os 65 mil pontos. Entre os destaques estão os papéis da Petrobras, Vale e bancos.

Há pouco, o Ibovespa estava em alta de 0,84% aos 64.532 pontos. O volume financeiro seguia para R$ 1,8 bilhão.

A Petrobras ON estava em alta de 0,94% e a PN, alta de 0,74%.
A Vale ON estava em alta de 3,91% e a PN, alta de 3,88%.

Empresas

Os números do Itaú Unibanco mostraram avanço na comparação com o trimestre imediatamente anterior, com o ROE retornando ao patamar acima de 20% (20,7% no trimestre). Mesmo com a continuidade da queda na carteira de crédito do banco, o Itaú viu seu lucro aumentar 4,0% em três meses, fruto da diminuição da inadimplência, que levou a menores despesas com PDD no período em análise, com queda de 5,6%. A recuperação de crédito que haviam sido baixados como prejuízo também melhorou no trimestre, 6,9%. Assim, o resultado líquido de PDD melhorou 7,8% em três meses. Do lado negativo, o resultado de seguros, previdência e capitalização ficou flat na comparação trimestral e na comparação do ano cheio de 2016 com 2015, houve queda de 5,7% na receita com esses produtos. Não foi um resultado ruim do segmento, mas esperávamos números melhores. O banco ainda divulgou guidance para 2017. A carteira de crédito deve ficar estável, variando entre -2% e +2%, a margem financeira deve mostrar novo recuo, de até 5%, mas o resultado de PDD e as receitas de seguros e prestação de serviços devem melhorar nesse ano. O banco ainda anunciou JCP complementares no valor de R$ 0,65909 (líquido de IR) por ação para os acionistas posicionados até o dia 20 de fevereiro, com os papéis ficando ex no dia seguinte (21/02). Pagamento será dia 3 de março.

O Conselho do Bradesco propõe bonificação. O banco vai realizar assembleia em 10 de março para aprovar o aumento de capital através de bonificação de ações. Os acionistas do banco receberão 1 ação para cada 10 ações que possuírem. A data ex ainda não foi estipulada, pois, além de precisar ser aprovada pelos acionistas em assembleia, o aumento de capital deverá ser aprovado também pelo Banco Central.

O Banco Pan entrega resultado melhor no 4T16. Após trimestres de forte prejuízo, especialmente no 1S16, o banco conseguiu entregar bottom line positivo, ainda que de apenas R$ 200 mil. Vemos evolução nos números do banco, especialmente no foco voltado para crédito consignado, que agora representa 41% da carteira do banco, contra 29% há um ano. As carteiras que tem perdido participação no total são as de veículos e de empresas e fianças. A originação do Pan, importante indicador, já que além de originar crédito para sua carteira, o banco realiza cessões de crédito sem coobrigação, continuou forte, em R$ 5,4 bi, como no 3T16.

Bloqueio de bens do presidente do grupo J&F, pode impactar papéis da JBS. Ontem o Ministério Público Federal solicitou que fossem bloqueados bens, no valor máximo de R$ 3,8 bilhões, do presidente do grupo J&F Joesley Batista e do presidente da Eldorado Celulose José Carlos Grubisich Filho. O principal motivo segundo divulgado pelo MPF foi a reincidência de praticas ilegais de ambos os acusados no controle da Eldorado Celulose no âmbito da operação Greenfield, a empresa assim como a JBS é controlada pelo grupo J&F. Ambos já haviam sido afastados temporariamente do controle das empresas em setembro passado, e assinado termos de compromisso, que segundo o MPF foram violados. A Greenfield tem como foco operações fraudulentas no controle de fundos de pensões que adquiriram posições minoritárias na Eldorado. Ao todo a J&F é alvo de três operações (Greenfield, Cui Bono e Sépsis), o que eleva sobremaneira a carga de risco nas empresas controladas pela J&F em Bolsa, como a Alpargatas e mais notadamente a JBS. Com a solicitação de ontem, a permanência definitiva de ambos no grupo J&F é colocada em cheque. Resta agora a decisão do juiz da décima Vara Federal de Brasília, quanto a aceitação ou não do pedido do MPF, a decisão deverá ser tomada nos próximos dias.

A Alupar anunciou que iniciou na última sexta-feira a operação comercial do Reforço das Instalações da Subestação Jauru, com antecipação de 118 dias, já que a entrada em operação era prevista apenas para o dia 1° de junho. A Receita Anual Permitida do reforço é de R$ 5,297 milhões, valor quase insignificante para seu resultado (corresponde a cerca de 0,5% da RAP projetada para 2016), todavia a antecipação por si só é uma boa notícia, pois aumenta o retorno do investimento e corrobora as boas perspectivas quanto ao andamento dos outros empreendimentos em construção.

O IPO da Movida fica abaixo do pretendido pela JSL. Ao lançar o prospecto da oferta, a controladora espera movimentar algo em torno de R$ 789,8 milhões considerando o preço médio de R$ 10,10 por ação. Contudo, diante da fraca demanda dos investidores, os papéis MOVI3 serão lançados em bolsa ao preço inicial de R$ 7,50, um expressivo desconto de mais de 25% e, com isso, movimentando cerca de R$ 586,5 milhões com o IPO. Em termos de múltiplos de mercado, ao preço de R$ 7,50/ação, o indicador Enterprise Value sobre EBITDA dos últimos doze meses situa-se em 6,1x, frente os 10,0x de Localiza (RENT3) e 4,2x de Locamerica (LCAM3). Adicionalmente, o índice P/L (preço sobre o lucro em doze meses) da Movida ficou em 34,6x, bastante superior se comparado com os 19,2x de RENT3 e, ainda mais, aos 16,9x de LCAM3. As ações MOVI3 estreiam amanhã em bolsa no segmento do Novo Mercado.

A Vale anunciou a captação de US$ 1 bilhão, por meio de sua subsidiária Vale Overseas, com a reabertura de bônus com vencimento em 2026 e cupom de 6,25%. Esses recursos devem ser destinados principalmente para o resgate dos bonds com vencimento em março de 2018. Para fazer essa captação, a companhia anunciou (em formulário apresentado à SEC) que deve reconhecer uma baixa contábil de US$ 1,2 bilhão no resultado do 4T16, devido a uma redução no valor recuperável de ativos, pela venda dos negócios de fertilizantes realizada em dezembro (por US$ 2,5 bilhões). Segundo notícia do Valor, a demanda pelos bonds superou US$ 5,4 bilhões, fato que mostra que os investidores estrangeiros seguem confiantes com a companhia. Todas as informações de empresas são da Coinvalores.

Carteira Teórica

A carteira teórica do Índice Bovespa que passou a vigorar entre e 02 de janeiro de 2017 a 28 de abril de 2017, com base no fechamento do pregão de 29 de dezembro de 2016, totaliza 59 ativos de 56 empresas e com a entrada da Eletrobras ON (ELET3). Os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do índice foram: Itauunibanco PN (10,681%), Bradesco PN (7,740%), Ambev S/A ON (7,183%), Petrobras PN (6,008%) e Petrobras ON (4,592%).

Commodities

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, com 62% de pureza, fechou em forte alta de 3,34% aos US$83,29 a tonelada seca.

Os contratos de petróleo WTI negociados na Bolsa Mercantil de Futuros, Nova York, para entrega em março operavam em queda de 1,43% aos US$52,25.


Assuntos desta notícia