Clicky

mm lci boxe 728

Os investidores dos mercados acionários globais começaram a semana animados e deixando um pouco de lado os cenários políticos, em dia de agendas praticamente vazias.

Na Ásia, a recuperação do setor de tecnologia ofuscou os dados da balança comercial do Japão com déficit inesperado. A China segurou os mercados com as novas medidas que deverão ser adotadas no MSCI, ainda neste mês, se serão incluídos compartilhamentos “A” em benchmarks globais.

300×250 4 reais

Na Europa, o bom humor também ficou com as ações da Alemanha e França, com a tecnologia em recuperação e deixando o estresse de uma possível “bolha” no segmento. Vale destacar que a França está na pauta do resto do mundo com as expectativas positivas para o governo do presidente Emmanuel Macron.

Nos Estados Unidos, o quadro foi o mesmo, sem Donald Trump surgindo, e com os índices de peso em recordes.

Por aqui, os indicadores domésticos, principalmente o Boletim Focus e o IPCA, revelaram queda na inflação e comportamentos positivos em demais setores. A balança comercial marcou superávit.

O presidente Michel Temer, na mira dos donos da JBS com novas denúncias em entrevista à Revista Época, reagiu pesado, foi para o vídeo e abriu processos contra os Batistas.

No final da tarde, Temer embarcou para viagem internacional de uma semana para a Europa. “Hoje, inicio viagem oficial à Rússia, onde investidores acreditam na economia brasileira, na capacidade criativa de nosso povo para gerar empregos e renda. […] Buscarei investimentos nas áreas de petróleo e gás, farei avançar negócios na agricultura, buscarei trazer novas tecnologias em setores estratégicos e ampliar nossos contatos com o mercado europeu, onde existem grandes oportunidades para vários setores produtivos de nosso país”.

Temer encerra sua fala citando as reformas trabalhista e previdenciária, que considera vital para recuperação econômica do país e tramitam no Congresso. “Reformas que combatem privilégios e regalias. Estamos modernizando nosso país. Muito ainda está por ser feito. Vamos agir. Vamos resistir. Vamos trabalhar. […] A hora é essa. É agora. É hora de continuar a reconstruir o país e, por isso, não podemos parar um segundo”. As falas do presidente são da Agência Brasil.

A Operação Lava Jato tomou conta do dia, com novos depoimentos.

Ao final da sessão, o Ibovespa fechou em alta e o dólar comercial recuou.

ÁSIA

As bolsas asiáticas fecharam com ganhos nesta segunda-feira, com as empresas chinesas avançaram em Hong Kong e Xangai antes da decisão da MSCI Inc. de adicionar ações “A” aos seus índices globais nesta terça-feira. O iene perdeu força e puxaram as ações japonesas.

Ao final da jornada, o índice MSCI Ásia-Pacífico subiu 0,6% para 155.18 em Hong Kong. O Topix avançou 0,6% em Tóquio. O Hang Seng, Hong Kong, ficou em alta de 1,16% aos 25.924. O Xangai Composite ficou em alta de 0,68% aos 3.144. Na Índia, o índice Sensex, bolsa de Bombai, ficou em alta de 0,82% aos 31.311. O Nikkei 225, bolsa do Japão, ficou em alta de 0,62% aos 20.067 pontos. O índice Kospi, Coreia do Sul, ficou em alta de 0,38% aos 2.370 pontos. O índice FTSE ST, Singapura, ficou em alta de 0,49% aos 3.247.

As ações japonesas avançaram como um iene fraco contra os fabricantes de eletrônicos impulsionados pelo dólar, incluindo a Sony Corp. O índice de tecnologia subiu 1,2% e a Sony Corp. e a NEC Corp. subiram pouco menos 1,8% no MSCI. A Foxconn Technology Co. saltou 6%, o China Evergrande e a Travelsky Technology subiram 8,6%.

O mercado de ações abriu mais alto em Tóquio, mesmo depois que os dados do setor imobiliário dos Estados Unidos recuando em maio.

As ações do Japão também encolheram com os dados mostrando déficit na balança comercial surpresa no Japão.

A balança comercial do Japão marcou déficit de 15,1% aos 133,756 milhões de ienes. As exportações ficaram estáveis e as importações subiram 0,3%. Aos 133,756 milhões de ienes, o déficit foi de 15,1%. Os dados são comparados ao mês de abril.

EUROPA

As bolsas da Europa fecharam com ganhos nesta segunda-feira, com o índice de referência da França em destaque depois da vitória do partido do presidente Emmanuel Macron nas eleições. As ações da bolsa de Frankfurt também atingiram recordes.

Ao final da jornada, o índice Stoxx Europe 600 fechou em alta de 0,86% aos 391.94, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta de 0,35% aos 21.014; o Ibex 35 (Madri) ficou em alta de 0,83% aos 10.848; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 1,07% aos 12.888; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 0,81% aos 7.523; o CAC 40 (Paris) subiu 0,90% aos 5.310 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em alta de 1,07% aos 5.330.

Os investidores estão atentos a partir de agora nas negociações do Brexit, com as dúvidas sobre o governo do Reino Unido depois que a primeira-ministra Theresa May tentou fortalecer sua posição com os partidos menores e de oposição.

Os bancos europeus subiram 1,1% à medida que os rendimentos das obrigações aumentaram, enquanto as mineradoras subiram 1,8% para liderar um indicador mais amplo dos estoques.

ESTADOS UNIDOS

Os índices de peso em Wall Street dispararam nesta segunda-feira, com a recuperação das ações de tecnologia.

Ao final, o S&P ficou em alta de 0,83% aos 2.453; o Dow Jones subiu 0,68% aos 21.528; e o Nasdaq ganhou 1,42% aos 6.239.

Os papéis da Apple subiram 2,5%, embalando os índices. O Facebook e a Alfabet também subiram.

O aumento no setor de tecnologia foi de 1,37%, que puxou o S&P 500, colocando-o no bom caminho para o maior aumento percentual de um dia desde março.

Hoje o presidente do Federal Reserve de Nova York, William Dudley, se alinhou com a presidente Janet Yellen ao declarar sua expectativa de que um mercado de trabalho apertado acabará desencadeando uma recuperação nos dados de inflação inesperadamente fracos nos últimos meses.

BRASIL

O Índice Bovespa, o principal da bolsa de valores paulista, operou em ligeira alta nesta segunda-feira. Os investidores ajustaram e avaliaram os indicadores da economia doméstica, bem como as declarações de membros da equipe econômica. Os preços do petróleo devolveram com o avanço da produção nos Estados Unidos e também da Líbia.

Ao final, o Ibovespa subiu 0,63% aos 62.014 pontos. O volume financeiro ficou em R$8,8 bilhões, em dia de exercício de opções sobre ações.

“O mercado segue sem apetite e com a bolsa acompanhando o movimento lá fora, em dia de agenda fraca. O petróleo devolveu e levou a Petro. O minério reagiu e a Vale ficou em alta. Enquanto nada ficar definido em Brasília, com as votações, o mercado vai ficar assim. Na verdade ninguém quer arriscar nada”, disse o diretor de Bovespa da HCommcor, Ari Santos.

As ações com ganhos
Embraer ON, alta de 4,60%; CCR ON, alta de 2,42%; Localiza ON, alta de 2,29%; e Gerdau PN, alta de 2,11%.

As ações com perdas
JBS ON, queda de 4,08%; Sabesp ON, queda de 2,34%; Smiles ON, queda de 2,16%; Fibria ON, queda de 2,14%: e MRV ON, queda de 1,68%.

A Petrobras ON ficou em queda de 1,19% e a PN, alta de 0,08%.
A Vale ON ficou em alta de 3,25% e a PN, alta de 1,85%

O exercício de contratos de opções sobre ações movimentou, hoje, no segmento Bovespa, R$ 2,8 bilhões, dos quais R$ 1.777.089.819,65 em opções de venda R$ 1.025.237.170,79 em opções de compra.

A seguir, as opções que registraram o maior volume financeiro no exercício de hoje:
ABEVE ON 18,45 por ação movimentou R$ 136.904.535,00 em opções de venda;
BOVA CI 59,00 ação movimentou R$ 73.750.000,00 em opções de compra;
PETRE PN 13,00 por ação movimentou R$ 72.554.300,00 em opções de venda;
BOVAE CI 63,00 por ação movimentou R$ 67.352.670,00 em opções de venda;
VALE PNA 24,72 por ação movimentou R$ 59.943.528,00 em opções de compra.

Pagamento de dividendo: Apenas a TIM paga dividendo hoje.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica, que passou a vigorar de 02 de maio a 01 de setembro no Ibovespa, mostra os cinco ativos com maior peso no índice: Itauunibanco PN (11,453%), Bradesco PN (8,244%), Ambev S/A ON (7,299%), Petrobras PN (5,331%) e Vale PNA (4,727%).

Moedas

O dólar comercial fechou em queda nesta segunda-feira, com a bolsa ganhando, e os investidores cautelosos com o cenário político interno.

Ao final, no interbancário, a divisa ficou cotada aos R$3,284 para a compra e R$3,284 para a venda, queda de 0,07%.

O euro ficou em R$3,665 para a compra e R$3,666 para a venda, queda de 0,61%.

A libra ficou em R$4,186 para a compra e R$4,188 para a venda, queda de 0,51%.

O Banco Central do Brasil (BCB) ofertou 8.200 contratos em swap tradicional com vencimento para julho.

No cenário externo, o índice Bloomberg Dollar Spot Index avançou 0,4%. A medida subiu depois que o presidente do Federal Reserve Willian Dudley, Nova York, disse que está confiante de que a expansão econômica será positiva e que o crescimento salarial provavelmente se acelerará, embora a inflação seja menor do que o Fed gostaria.

O iene diminuiu 0,7% para 111,595 por dólar. A libra caiu 0,4% para US $ 1.2732. O euro caiu 0,4% para US $ 1,1153.

Commodities

O contrato futuro do produto tipo WTI foi negociado a US$ 44,10 o barril, com queda de 1,43% na Bolsa Mercantil de Futuros.

O Brent para contratos de agosto caiu 24 centavos para US $ 47,13 o barril na bolsa ICE Futures Europe, com sede em Londres, depois de ter baixado 1,6% na semana passada.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em alta de 0,99% a US$56,30 a tonelada seca e com 62% de pureza.


Assuntos desta notícia

Join the Conversation