Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Os investidores das bolsas de ações partiram para o risco nesta segunda-feira, com os resultados corporativos chamando atenção, em dia sem indicadores econômicos, e com os preços das commodities.

Na Ásia, as bolsas fecharam no negativo e ainda sob os efeitos de Wall Street na última sessão. A pressão segue agora para o volume de indicadores econômicos que a China solta essa noite.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

Na Europa, o Brexit, balanços financeiros e a atenções para a Catalunha seguem tirando o apetite dos investidores. Por lá, os índices foram pressionados também por ações de bancos e de empresas de saúde.

Nos Estados Unidos, além dos balanços, o pacote fiscal proposto pela equipe do presidente Donald Trump está promovendo muitas discussões. O temor dos investidores é que as medidas só saiam mesmo do papel em 2018.

Por aqui, sem indicadores relevantes, o dia foi de expectativa para o lote de resultados financeiros, em especial os dados da Petrobras, e os preços das commodities tomaram conta do mercado financeiro.

O Ibovespa ficou em alta e o dólar acompanhou, já com a primeira baixa do Governo Temer depois das sucessivas vitórias dele contra as denúncias. O desembarque foi do ministro de Cidade, Bruno Araújo, (PSDB-PE).

ÁSIA

As bolsas de valores da Ásia fecharam sem direção nesta segunda-feira, com os investidores analisando o comportamento dos mercados nos Estado Unidos da última sexta-feira (10), bem como as discussões sobre a reforma tributária.

O índice Asia Dow ficou em queda de 0,68% aos 3.607. O Hang Seng, Hong Kong, ficou em alta de 0,21% aos 29.182. O Xangai Composite ficou em alta de 0,44% aos 3.447. O índice Kospi, Coreia do Sul, fechou em queda de 0,50% aos 2.530 pontos. O índice FTSE Straits, Singapura, ficou em queda de 0,03% aos 3.419. O índice Nikkei 225 ficou em queda de 1,32% aos 22.380. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em queda de 0,84% aos 33.033.

As bolsas da Ásia fecharam com perdas nesta segunda-feira, na carona com os resultados de sexta-feira (10) nos Estados Unidos.

No Japão, a preliminar para o mês de outubro do Índice de Preços ao Produtor mostra alta de 0,3% em relação ao mês anterior. O índice, excluindo tarifas extras para eletricidade no verão, aumentou 0,6% em relação ao mês anterior. O Índice de Preços de Exportação (base de moeda do contrato) aumentou 0,6% em relação ao mês anterior. O Índice de Preços de Importação (base de moeda do contrato) aumentou 1,2% em relação ao mês anterior. Os dados são do Banco Central do Japão e foram apresentados nesta segunda-feira.

Na China, os novos empréstimos caíram mais do que o esperado em outubro para o seu mais baixo em um ano, quando os bancos apertaram os empréstimos hipotecários e as empresas continuaram a evitar empréstimos bancários, em meio a uma contínua repressão às atividades de empréstimo de sombra de risco. As autoridades chinesas estão caminhando por uma linha fina, contendo tipos mais arriscados de financiamento e abrandando uma acumulação explosiva de dívidas sem reduzir o crescimento econômico. Os bancos chineses arrecadaram 663,2 bilhões de yuans (US $ 99,83 bilhões) em novos empréstimos líquidos de yuan em outubro, segundo dados do Banco Popular da China apresentados na segunda-feira, caindo para o menor desde outubro do ano passado.

Os empréstimos domésticos, principalmente hipotecários, caíram para 450,1 bilhões de yuans em outubro, de 734,9 bilhões de yuans em setembro.

Os empréstimos domésticos representaram 68% do total de novos empréstimos no mês passado, ante 58% em setembro.

Os empréstimos empresariais caíram para 214,2 bilhões de yuans em outubro, de 463,5 bilhões de yuans por mês antes.

Os empréstimos pendentes em yuan no final de outubro cresceram 13% em relação ao ano anterior, menos do que um aumento esperado de 13,1%.

Os bancos chineses distribuíram 11,82 trilhões de yuans em novos empréstimos nos primeiros 10 meses deste ano, na pista para igualar ou vencer o recorde do ano passado de 12,65 trilhões de yuans, mesmo que o governo tenha tentado evitar os riscos.

EUROPA

Os mercados acionários da Europa recuaram nesta segunda-feira, com os investidores atentos para resultados corporativos sem a divulgação de indicadores relevantes. Entre os destaques no vermelho ficaram as empresas de energia, com o petróleo de referência, Brent, queda de 1,03% em Londres. Além disso, as atenções para o andamento do processo Brexit também ajudaram a azedar o humor.

O índice Stoxx Europe 600 ficou em queda de 0,65% aos 386.16, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) ficou em queda de 0,55% aos 22.437; o Ibex 35 (Madri) recuou 0,42% aos 10.049; o DAX 30 (Frankfurt) perdeu 0,40% aos 13.074; o FTSE-100 (Londres) ficou em queda de 0,24% aos 7.415; o CAC 40 (Paris) recuou 0,73% aos 5.341 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em queda de 0,82% aos 5.258.

Refletiram no desempenho do Stoxx Europe, as ações das empresas de saúde, bem como as financeiras.

O euro caiu 0,08 e foi negociado em US $ 1,1645, abaixo de US $ 1,1665 no final da sexta-feira em Nova York. Contra a libra, a moeda compartilhada subiu 0,5% e ficou em £ 0,8906, acima de £ 0,8843 na sexta-feira.

As ações do Reino Unido divergiram dos seus homólogos europeus, aumentando modestamente quando a libra caiu contra o dólar. Uma libra fraca pode aumentar os ganhos de empresas multinacionais uma vez que são convertidos de outras moedas para libras esterlinas.

ESTADOS UNIDOS

Os índices de peso em Wall Street fecharam em alta nesta segunda-feira, com os resultados financeiros e sem apresentação de indicadores. As ações da General Eletric CO caíram para as mínimas com os resultados financeiros.

Do lado político, as dúvidas sobre a política fiscal do presidente Donald Trump permanece no centro das negociações.

Ao final, o S&P ficou em alta de 0,10% aos 2.584. O Dow Jones ficou em alta de 0,07% aos 23.439. O Nasdaq ficou em alta de 0,10%.

As ações da GE caíram 7,2% depois que o conglomerado anunciou que tem planos para reduzir seus dividendos pela metade.

Além dos dividendos, a companhia confirmou lucro decadente para o próximo ano e disse que as novas regras de reconhecimento de receita da Comissão de Valores Mobiliários cortariam sua receita de 2017 em US $ 1,4 bilhão e lucro operacional em US $ 2,1 bilhões. A GE disse que espera que o lucro ajustado por ação em 2017 seja de US $ 1,04 a US $ 1,12.

Já sobre o mercado de ações, os analistas estão atribuindo a fraqueza para as preocupações sobre atrasos no plano de ajuste fiscal do presidente Trump.

O projeto de lei do Senado está diferente do projeto de lei da Câmara de maneiras significativas, tornando os atrasos prováveis, já que as duas câmaras elaboram suas diferenças no Comitê de Finanças do Senado.

O presidente Trump segue em viagem pela Ásia.

BRASIL

Na falta de indicadores de peso nas agendas econômicas globais, os investidores aproveitaram para comprar no pregão da B3 nesta segunda-feira. Além do mais, a temporada de balanços está chegando na reta final e com o mercado esperando pela Petrobras, que apresenta os números ao vivo ainda hoje. Brasília está vazia e votações relevantes devem ficar para depois do dia 21, já que na segunda-feira (20) o mercado financeiro de São Paulo ficará parado com feriado estadual.

Ao final, o Ibovespa ficou em alta de 0,43% aos 72.475 pontos. O volume financeiro ficou em R$8 bilhões. O IEE ficou em alta de 0,05%.

“Sem Brasília e sem agenda o mercado ficou ajustando. As commodities ficaram no radar, bem como a reta final de divulgação de balanços financeiros”, considerou o operador da Renascença, Luiz Roberto Monteiro.

Sobre Brasília, o presidente Miche Temer prometeu renovar alguns ministérios com a dança das cadeiras logo depois do feriado do dia 15 (quarta-feira). Porém, a surpresa veio no final da tarde com o pedido de demissão do ministro de Cidades, Bruno Araújo, (PSDB-PE). Este desembarque do governo Temer foi o primeiro do PSBD, que promete candidato próprio para a eleição de 2018.

As ações com ganhos
Usiminas ON, alta de 4,07%; Rumo ON, alta de 5,24%; Estacio Part. ON, alta de 4,07%; Marfrig ON, alta de 3,48%; JBS ON, alta 256%; Suzano Papel ON, alta de 414% com a negociação no Novo Mercado.

As ações com perdas
P. de Açúcar PN, queda de 2,37%; Localiza ON, queda de 2,38%; Braskem PNA, queda de 2,24%; e Mutiplan N, queda de 2,17%.

A Petrobras ON ficou em queda de 0,29% e a PN, queda de 0,48%.

A Vale ON ficou em alta de 1,13% e a PN, alta de 1,08%.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica, que passou a vigorar de 04 de setembro a 28 de dezembro no Ibovespa, mostra os cinco ativos com maior peso no índice: Itauunibanco PN (10,846%), Bradesco PN (8,485%), Ambev ON (7,039%), Petrobras PN (4,883%) e Vale ON (9,040%).

Commodities

O petróleo referência, Brent, ficou em queda na bolsa de Futuros de Londres em 2,17% aos US$63,45 o barril.

O petróleo WTI segue em queda de 0,02%, cotado a US$ 56,73 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em queda de 0,65% aos US$62,19 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$951,68, alta de 3,43%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$937,67 e alta de 1,50%, a tonelada.

Moedas

O dólar comercial ficou em alta nesta segunda-feira, com os ajustes, em dia de agenda vazia e sem movimento em Brasília. O comportamento da divisa deverá acompanhar o cenário externo. No lado externo, o índice DXY segue em alta e as digitas estão operando sem direção.

Ao final, no interbancário, a divisa ficou cotada aos R$3,297 para a compra e R$3,298 para a venda, alta de 0,55%.

O euro ficou em R$3,844 para a compra e R$3,845 para a venda, alta de 0,50%.

A libra estava em alta de R$4,319 para a compra e R$4,322 para a venda, queda de 0,15%.

No cenário externo, o índice dólar, DXY ficou em alta de 0,03%.

Entre as moedas digitais, a Bitcoin ficou em alta de 11,53%; a Cash, em queda de 12,01%; a Ether estaca em alta de 2,14%.


Assuntos desta notícia

Join the Conversation