Clicky

MetaTrader 728×90

Os investidores dos mercados acionários começaram a semana bem animados, principalmente, com a aprovação no Senado norte-americano do texto da reforma tributária proposta pelo presidente Donald Trump.

Na Ásia, o resultado promoveu ganhos nos índices de peso. As ações de tecnologia caíram e das petroleiras dispararam com o anúncio de corte de produção mantido pela OPEP.

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

Na Europa, as negociações da saída do Reino Unido da União Europeia dão sinais de acordo, embora com algumas ressalvas sobre a fronteira com a Irlanda. As bolsas fecharam no azul.

Nos Estados Unidos, os investidores aproveitaram o dia para ajustes, em meio à euforia da abertura, com a decisão do Senado.

Por aqui, quase no fim das atividades em Brasília, o governo tenta de todas as formas conseguir apoio para aprovação do texto mais enxuto da reforma da Previdência. Com isso, a bolsa de ações recuperou as perdas do último pregão. O dólar perdeu força.

ÁSIA

Ao longo do pregão asiático, as bolsas locais flutuaram entre ganhos e perdas, enquanto os investidores avaliam o impacto da reforma tributária americana sobre a região.

O índice regional MSCI Asia Pacific fechou o pregão desta segunda-feira com alta de 0,21%. O índice Asia Dow ficou em alta de 0,16% aos 3.594. O Hang Seng, Hong Kong, ficou em alta de 0,22% aos 29.138. O Xangai Composite ficou em queda de 0,24% aos 3.309. O índice Kospi, Coreia do Sul, fechou em alta de 1,06% aos 2.501 pontos. O índice FTSE Straits, Singapura, ficou em queda de 0,32% aos 3.438. O índice Nikkei 225 ficou em queda de 0,49% aos 22.707. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,05% aos 32.848.

No Japão, a bolsa de Tóquio fechou em baixa, com as preocupações com a suposta interferência da Rússia na campanha presidencial dos Estados Unidos se sobrepondo à aprovação da reforma tributária. O índice Nikkei também foi influenciado pela ações da petroleiras. A Japan Petroleum subiu 1,59%.

A BHP Billiton ficou em alta de 1,56% e a Rio Tinto, 1,24% , mas continuou a fraqueza para os principais bancos do país.

Na contramão ficou a fabricantes de instrumentos de precisão Olympus ficou abaixo de 3,4%.

O dólar é negociado a 112,87 ienes no momento, contra 112,11 ienes no fim da tarde de sexta-feira.

EUROPA

A euforia tomou conta dos mercados acionários da Europa, com a aprovação das medidas tributárias do presidente Donald Trump nos Estados Unidos. As negociações entre o Reino Unido e a União Europeia para a separação também avançaram, dizem as fontes ligadas ao governo de Theresa May. As ações dos bancos foram as que mais puxaram os índices

Ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou em alta de 0,91% aos 387.47, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta de 1,16% aos 22.362; o Ibex 35 (Madri) ficou em alta de 1,23% aos 10.208; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 1,53% aos 13.058; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 0,53% a 7.338; o CAC 40 (Paris) subiu 1,36% aos 5.389 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em alta de 0,24% aos 5.363.

As ações dos bancos também avançaram nesta segunda-feira como as do Deutsche Bank AG subiram 2,3% para um dos maiores ganhos do DAX 30.

As ações do Banco Santander SA avançaram 1,3%, as do Barclays PLC, com sede no Reino Unido, subiram 2,6%.

Na França, o Société Générale subiu 2,4%.

O euro ficou em queda de 0,40% a US$1,1857, abaixo de US$1,1896 do final de sexta-
feira.

A Câmara e o Senado agora devem alinhar o texto antes do envio ao presidente Donald Trump para se tornar Lei. A medida, segundo Trump, vai promover cortes em impostos corporativos e individuais.

De outro lado, houve progresso nas negociações de Brexit durante o fim de semana. Porém, outras fontes disseram que a primeira-ministra do Reino Unido, Theresa May, e o presidente da Comissão Europeia, Jean-Claude Juncker, ainda não chegaram a um acordo sobre a saída da Grã-Bretanha da União Europeia. Foram mais de quatro horas de conversas.

ESTADOS UNIDOS

Os índices de peso em Wall Street fecharam para baixo nesta segunda-feira, em dia de ajustes de carteiras, com as ações de bancos subindo e as de tecnologia escorregando.
Todas as atenções ficaram concentradas nas medidas fiscais do presidente Donald Trump.

Ao final, o S&P ficou em queda de 0,11% aos 2.639. O Dow Jones ficou em alta de 0,24% aos 24.290. O Nasdaq ficou em queda de 1,05% aos 6.775.

O Senado norte-americano aprovou uma revisão abrangente do código tributário, quase que inteiramente, promovendo o principal objetivo político dos republicanos no Congresso e do presidente Donald Trump.

O projeto de lei passou pela Câmara por 51 a 49, com o único voto republicano “não” vindo do Bob Corker, Tennessee, que citou preocupações sobre o déficit.

Nenhum democrata votou a favor da lei, que reduziria os impostos corporativos e individuais; expandindo a isenção do imposto imobiliário; e revogando o mandato do seguro individual da Obamacare, entre muitas outras provisões. A conta, segundo vem divulgando Trump, reduziria os impostos em mais de US $ 1,4 trilhão ao longo de 10 anos.

O índice DXY, que compara o dólar com mais seis moedas, ficou estável a 93,22. O WSJ, que amplia a comparação com mais 16 moedas, ficou em alta de 0,3% aos 86,76.

Nos Estados Unidos, em dia de agenda fraca, as novas encomendas para produtos fabricados no país caíram menos do que o esperado em outubro e os embarques de bens de capital básicos ficaram mais fortes do que o relatado anteriormente, apontando para uma força sustentada no setor de manufatura.

As encomendas de bens de fábrica diminuíram 0,1% em meio a uma queda na demanda por aeronaves civis e de defesa, disse o Departamento de Comércio nesta segunda-feira. Os dados de setembro foram revisados para mostrar que os pedidos aumentaram 1,7%, em vez do aumento de 1,4% relatado anteriormente. Os economistas previram ordens de fábrica caindo 0,4% em outubro.

BRASIL

Os investidores do mercado de ações mantiveram as compras nesta segunda-feira, com os sinais de que a reforma da Previdência vai realmente sair do discurso. Além disso, a aprovação das medidas tributárias no Senado norte-americano na última sexta-feira (01) também animaram os investidores globais.

Ao final, o Ibovespa ficou em alta de 1,14% aos 73.090 pontos. O volume financeiro ficou em R$ 8 bilhões. O IEE ficou em alta de 0,38%.

“Três fatores pesaram no desempenho das principais ações e no ganho do índice doméstico. Começando pela recuperação nos preços do minério de ferro na China, que acabou pesando na Vale. Já as promessas do governo e de membros da equipe econômica de que o texto da reforma da Previdência será mesmo aprovado também ajudou. E, finalmente, a aprovação das medidas tributárias de Trump acabou puxando para cima os demais mercados e a bolsa paulista pegou carona”, destacou o analista da Renascença, Luiz Roberto Monteiro.

Hoje, o ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, durante evento na FGV (SP), defendeu que a reforma da Previdência seja aprovada ainda durante o governo do presidente Michel Temer, para que o próximo presidente não inicie o mandato com esse “enorme desafio”.

“É importante que o próximo presidente não tenha que assumir tendo esse enorme desafio pela frente”, afirmou.

Durante o final de semana, o presidente Michel Temer manteve reuniões buscando traçar a saída do PSDB de sua equipe ministerial e discussões para a formação de chapa que irá definir o candidato ao cargo de presidente. Em outra reunião, Temer teve o apoio explícito do presidente da Câmara, Rodrigo Maia, que deu sua promessa para acelerar as negociações na tentativa de garantir quórum para a votação desta reforma. Na próxima quinta-feira deve sair uma prévia se já existem votos acima dos 308 necessários para a aprovação.

No cenário externo, o dia foi do presidente Donald Trump, que não escondeu a satisfação em conquistar uma de suas grandes vitórias, a aprovação no Senado sua reforma tributária. A votação do pacote que reduzirá os impostos de empresas e indivíduos contou com 51 votos a favor e 49 contra. Porém, mesmo com o avanço o presidente terá agora que conviver com a acusação de seu ex-assessor Michael Flynn, que citou influência da Rússia na eleição dele. Mais uma vez surpreendendo, Trump saiu em defesa de Flynn por ter mentido.

As ações com ganhos
JBS ON, alta de 8,00%; Gerdau Met. PN, alta de 4,93%; Natura ON, alta de 4,45%; e Marfrig ON, alta de 3,78%.

As ações com perdas
CPFL Energia ON, queda de 5,09%; Fibria ON, queda de 1,77%; Suzano Papel ON, queda de 1,41%; Lojas Renner ON, queda de 0,94%; Ecorodovias ON, queda de 2,30%.

A Petrobras ON ficou em queda de 0,12% e a PN, queda de 0,83%. Os papéis foram influenciados pelos preços do petróleo.

A Vale ON ficou em alta de 3,80% puxada pela alta nos preços do minério de ferro na China.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica, que passou a vigorar de 04 de setembro a 28 de dezembro no Ibovespa, mostra os cinco ativos com maior peso no índice: Itauunibanco PN (10,846%), Bradesco PN (8,485%), Ambev ON (7,039%), Petrobras PN (4,883%) e Vale ON (9,040%).

Commodities

O petróleo referência, Brent, ficou em queda na bolsa de Futuros de Londres em 1,71% aos US$64,26 o barril.

O petróleo WTI segue em queda de 1,61%, cotado a US$ 57,41 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em alta de 3,67% aos US$72,68 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$959,57, alta de 0,01%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$953,00 e alta de 0,45%, a tonelada.

Moeda

O dólar comercial mudou de trajetória nesta segunda-feira, com as expectativas para a aprovação da reforma da Previdência. No cenário externo, a divisa está em leve alta, com as influências das medidas tributárias aprovadas pelo Senado.

Ao final, o dólar fechou cotado em R$3,246 para a compra e R$3,247 para a venda, queda de 0,29%.

O euro ficou em R$3,848 para a compra e R$3,849 para a venda, queda de 0,67%.

A libra ficou em R$4,373 para a compra e R$4,375 para a venda, queda de 0,35%.

No cenário externo, a divisa segue com força ante as rivais. O DXY, que mede a moeda com outras seis globais, estava em alta de 0,08% a 93,18.

O avanço da moeda se dá com a aprovação do Senado norte-americano do pacote fiscal proposto pelo presidente Donald Trump.

O projeto, com mudanças na Câmara e no texto do Senado, ainda será alinhado antes de ser sancionado pelo presidente e entrar em vigor.

Já sobre as moedas digitais, nos níveis atuais, a Bitcoin possui uma capitalização de mercado de US $ 191,2 bilhões, de acordo com o site de preços CoinMarketCap. Isso significa que é quase o dobro do nível atingido em outubro , um aumento surpreendente que o torna maior do que a grande maioria dos S & P 500 SPX, índice de ações composto pelas maiores empresas dos Estados Unidos.

Ao final, a Bitcoin ficou alta de 2,36%; a Bitcoin Cash ficou em queda de 2,13%; e a Ether, alta de 0,07%.


Assuntos desta notícia

Join the Conversation