Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

A semana começou com os investidores divididos nas negociações, em dia de poucos indicadores, e já esperando os números das empresas referentes ao quarto trimestre de 2017.

Na Ásia, por exemplo, a bolsa do Japão na operou com mais um feriado. Já as ações da China sustentaram os ganhos, mesmo com medidas mais restritivas por parte de órgãos reguladores para os bancos. Ainda deve ficar no radar dos negociadores o resultado da reunião entre os líderes das Coreias.

MetaTrader 300×250

Na Europa, os investidores ficaram divididos, em dia de indicadores da Zona do Euro e da Alemanha, acompanhando o comportamento dos demais mercados acionários.

No Reino Unido, a primeira-ministra Theresa May surpreendeu ao anunciar a mudança na equipe governamental. As discussões sobre Brexit devem esquentar nos próximos dias.

Nos Estados Unidos, a bolsa de Nova York fechou para cima. Os índices de peso renovaram as altas e com o foco já na temporada de balanço do quarto trimestre do ano passado.

Por aqui, o Ibovespa, principal indicador de desempenho das ações negociadas na B3, bateu hoje mais um recorde nominal ao encerrar o dia em 79.378 pontos, alta de 0,39% em relação ao pregão anterior. O recorde anterior, de 79.071 pontos, foi registrado em 05 de janeiro de 2018.

De outro lado, o dólar sofreu um ajuste, em dia de forte volatilidade.

ÁSIA

As bolsas da Ásia fecharam no azul nesta segunda-feira, com o rali sendo mantido da semana passada, com as ações do setor financeiro pesando negativamente nos mercados da China.

Ao final, o índice Asia Dow ficou em alta de 0,17% aos 3.776. O Hang Seng, Hong Kong, ficou em alta de 0,28% aos 30.899. O Xangai Composite ficou em alta de 0,52% aos 3.409. O índice Kospi, Coreia do Sul, ficou em alta de 0,63% aos 2.513 pontos. O índice FTSE Straits, Singapura, ficou em alta de 0,65% aos 3.512. O índice Sensex, bolsa da Índia, ficou em alta de 0,58% aos 34.352. O índice futuros XJO, da bolsa de valores de Sidney, ficou em alta de 0,13% aos 6.130.

Na China, novas medidas regulatórias pesaram nos indicadores, com o setor financeiro mais prejudicado.

Entre as ações com perdas estavam as do Banco da China, queda de 0,8% e do China Construction Bank, queda de 0,4%.

Já no Coreia do Sul, o índice principal, que apesar de alta, foi prejudicado pela valorização da moeda ante o dólar e por medidas do banco central.

A bolsa do Japão está fechada com feriado.

EUROPA

As bolsas da Europa ficaram divididas nesta segunda-feira, com as ações da Alemanha em alta. Os indicadores apresentados hoje também ficaram no radar, bem como notícias corporativas.

Ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou em alta de 0,27% a 398.41, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) ficou em alta de 0,37% aos 22.845; o Ibex 35 (Madri) ficou em queda de 0,12% aos 10.398; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em alta de 0,36% aos 13.367; o FTSE-100 (Londres) ficou em queda de 0,36% a 7.696; o CAC 40 (Paris) ficou em alta de 0,30% aos 5.487; e o PSI-20 (Lisboa) ficou em alta de 0,53% aos 5.645.

As ações de tecnologia também pesaram em alguns índices, com as da Micro Focus International PLC, em queda de 17% depois que o fabricante de software disse que a receita de seis meses caiu em termos de moeda constante.

A Deutsche Lufthansa AG subiu 1%, depois que a transportadora aérea sinalizou melhores lucros no quarto trimestre.

O Deutsche Bank AG caiu 1%, depois que o credor alemão disse que as recentes reformas fiscais dos Estados Unidos poderão elevará a carga de cerca de 1,5 bilhões de euros (US $ 1,81 bilhão) em seus resultados do quarto trimestre.

Já no Reino Unido, enquanto segue o processo de divórcio da União Europeia, a primeira-ministra Theresa May surpreendeu nesta segunda-feira ao renovar parte de sua equipe,

Entre as nomeações, May anunciou um novo ministro de Gabinete, que é responsável pelos assuntos do dia-a-dia do governo. Ela nomeou para o cargo, David Lidington, um político pró-União Europeia que ocupou o cargo de secretário de Justiça. Ele substituiu Damian Green, que renunciou em dezembro.

ESTADOS UNIDOS

Os índices de peso em Wall Street fecharam com ganhos nesta segunda-feira, em dia de agenda vazia, com as atenções para as falas de membros do Comitê de Mercado Aberto -Fomc, do Federal Reserve. As notícias corporativas também ficaram no radar.

Ao final, o S&P ficou alta de 0,17% aos 2.747. O Dow Jones ficou em queda de 0,05% e manteve os 25.283. O Nasdaq ficou em alta de 0,29% a 7.157.

As declarações de membros do Comitê de Mercado Aberto – Fomc, Federal Reserve, ficaram no radar e revelaram o que o mercado financeiro já esperava: a possibilidade de mais três altas na taxa de juros dos Estados Unidos.

Os rendimentos dos Títulos de 10 anos ficaram em 2,480%. A nota de 2 anos traz foram negociados perto dos níveis da semana passada em 1.960%. O rendimento das obrigações de 30 anos também foi pouco alterado em 2,812%.

O índice de dólar, DXY, ficou acima de 0,4% a 92,367.

As notícias corporativas também ficaram no radar, com o início da divulgação de resultado financeiros do quarto trimestre e do ano de 2017 essa semana.

Os primeiros números da nova temporada de balanços serão de grandes bancos, como JPMorgan Chase & Co, BlackRock Inc e Wells Fargo & Co, já programados para divulgar os relatórios na sexta-feira (12).

Essa temporada terá um peso maior, já que é a primeira anual sob o comando do presidente Donald Trump nos Estados Unidos e que dará uma visão do estado das corporações americanas no atual ambiente econômico, bem como possivelmente a clareza sobre o impacto da reforma tributária recentemente aprovada por ele.

BRASIL

Em dia de poucos indicadores domésticos e depois dos sucessivos recordes, a bolsa de valores de São Paulo manteve o ganho ao final do pregão desta segunda-feira. Os investidores aproveitaram para realizar lucros e voltaram para o risco. Os preços do petróleo ficaram para cima.

Ao final, o Ibovespa ficou em alta de 0,39% aos 79.378 pontos. O giro financeiro ficou em R$7,2 bilhões. O IEE ficou em alta de 0,20%.

“O começo de ano foi bem importante para a bolsa de São Paulo, com um grande apetite do investidor estrangeiro para o risco. Acredito que essa euforia deverá ficar um pouco contida até o julgamento do ex-presidente Lula. A partir daí, dependendo do resultado, volta o foco para a reforma da Previdência. Passados esses dois momentos, as apostas seguem para mais de 80 mil pontos e mantendo, seja lá por um motivo negativo, os 78 mil. Tem espaço para mais avanço, com as economias ao redor do mundo dando sinais de aceleração, bem como a doméstica”, destacou o diretor da Codepe Investimentos, José Costa Gonçalves.

As ações com ganhos
Fibria ON, alta de 3,16%; Sid. Nacional ON, alta de 4,85%; Gerdau PN, alta de 3,49%; Vale ON, alta de 2,22%; e Sabesp ON, alta de 2,05%.

As ações com perdas
Kroton ON, queda de 4,44%; Fleury ON, queda de 2,60%; MRV ON, queda de 2,00%; Pão de Açúcar -CDB PN, queda de 3,06%; e Marfrig ON, queda de 1,79%.

A Petrobras ON ficou em alta de 1,57% e a PN, alta de 1,19%.

A Vale ON ficou em alta de 2,22%.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica do Índice Bovespa em vigor de 02 de janeiro a 04 de maio de 2018. Os cinco ativos que apresentam o maior peso na composição do índice são: Itauunibanco PN (10,510%), Vale ON (9,993%), Bradesco PN (7,830%), Ambev S/A ON (6,875%) e Petrobras PN (5,240%).

Commodities

O petróleo referência, Brent, ficou em alta na bolsa de Futuros de Londres em 0,91% a US$69,14 o barril.

O petróleo WTI segue em alta de 0,67%, cotado a US$ 61,85 o barril na bolsa Mercantil de Futuros, Nova York.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, ficou em alta de 1,22% a US$77,74 a tonelada seca e com 62% de pureza.

A celulose fibra longa negociada fechou US$1003,33, alta de 0,37%, a tonelada na sessão anterior. A celulose fibra curta fechou em US$981,69 e alta de 0,24%, a tonelada.

Moedas

O dólar comercial ficou volátil nesta segunda-feira, com a moeda batendo ajustando sem notícias relevantes. No cenário externo, as falas de membros do Comitê de Mercado Aberto – Fomc, do Federal Reserve, sugerindo mais três aumentos na taxas de juros dos Estados Unidos, também puxou a moeda para cima.

Ao final, no interbancário, a moeda ficou cotada a R$3,235 para a compra e R$3,236 para a venda, alta de 0,08%.

O euro ficou em R$3,874 para a compra e R$3,876 para a venda, queda de 0,36%.

A libra ficou em R$4,392 para a compra e R$4,394 para a venda, alta em 0,31%.

“O dólar vem perdendo força desde o ano passado e, pelo menos nestes dias, vem passando por ajustes. Enquanto nenhuma notícia relevante surgir, a moeda tende a permanecer assim”, destacou o operador da Intercam, Glauber Romano.

No cenário externo, o DXY, que mede a moeda com seis pares, está em alta de 0,38% a 92,35, nível mais alto desde o final de dezembro do ano passado. O WSJ, que mede a moeda com 16 outras, também segue em alta de 0,41% a 90,59.

A moeda mudou de posição com as declarações dos membros do Comitê de Mercado Aberto -Fomc, Federal Reserve, sugerindo que pelo menos três aumentos de taxas de juros estão em cima da mesa em 2018.

O euro segue em queda de 0,50% a US$1,966,ante os US$1,2032 de sexta-feira em Nova York.

A libra estava em queda de 0,07% a US$1,3556, ante o US$1,3569 de sexta-feira.

Bitcoin

Uma surpresa pegou o mercado de moedas digitais nesta segunda-feira, com o recuo já neste domingo e se estendendo para hoje, depois que órgãos reguladores da Coreia do Sul anunciaram que começariam a inspecionar os bancos comerciais para garantir que eles estavam cumprindo com seus clientes e com atenção para o temor de lavagem, em meio a um fervor de ativos digitais. A Coreia do Sul é uma das regiões mais ativas nos investimentos em criptografia.

O Bitcoin – BTCUSD – ficou em queda de 0,71%, a US$14,950,43 de acordo com o CoinDesk.

De acordo com o site CoinMarket Cap, o Bitcoin ficou em queda de 6,69% US$15,352,50; o Cash ficou em queda de 12,89% a US$2.441,30; o Gold ficou em queda de 21,21% a US$237,90; a Ether ficou em alta de 4,88% a US$1,180,30; e a Litecoin caiu 10,46% a US$258,31.

Na bolsa de Chicago – Cboe, o contrato futuros de bitcoin (XBT/F8) com vencimentos para 17 de janeiro ficou em alta de 0,40% a US$15,000,00; o XBT/G8 com vencimento para 14 de fevereiro ficou em estável a US$14,970,00; e o XBT/H8 com vencimento para 14 de março ficou em alta de 0,50% aos US$15,100,00.


Assuntos desta notícia