Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Os investidores dos mercados acionários globais operam de lado nesta terça-feira, com todas as atenções para a decisão da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), com os membros do cartel reunidos para definir o acordo assinado em setembro sobre o corte na produção.

Por outro lado, o radar acabou voltando para os indicadores dos Estados Unidos, em especial o PIB, e que deram mais certeza ainda de que a economia está fortalecida será mais um peso para que o Federal Reserve eleve mesmo as taxas de juros na reunião do dia 14 próximo.

Profitchart Pro 300×250

Na Europa, além do Brexit, agora é a vez dos eleitores da Itália decidirem para uma reforma constitucional.

Por aqui, um dia que entrou para a lista de grandes tragédias, as atenções ficaram para a queda do avião com o time da Chapecoense e profissionais de imprensa. O mundo ficou abalado.

Ainda na parte da manhã, o IBGE divulgou a taxa de desocupação no trimestre móvel encerrado em outubro de 2016 foi estimada em 11,8% para o Brasil, ficando acima da taxa do trimestre móvel encerrado em julho de 2016 (11,6%) e superando em 2,9 pontos percentuais a taxa do mesmo trimestre do ano anterior (8,9%). As informações são da pesquisa PNAD Contínua.

A população desocupada (12,0 milhões de pessoas) permaneceu estável em relação ao trimestre de maio a julho de 2016 e subiu 32,7% (mais 3,0 milhões de pessoas) no confronto com igual trimestre de 2015.

De acordo com o IBGE, em outubro, os preços da Indústria Geral variaram, em média, 0,10% em comparação a setembro, resultado inferior ao observado entre setembro e agosto (0,47%). Os dados foram apresentados nesta manhã. O acumulado no ano atingiu -0,36% e, em 12 meses, a taxa foi de -1,13%. Das 24 atividades pesquisadas, nove apresentaram variações positivas de preços, contra 14 do mês anterior. O Índice de Preços ao Produtor (IPP) mede a evolução dos preços de produtos ‘na porta de fábrica’, sem impostos e fretes.

Do lado político, as votações em Brasília prosseguem com os senadores discutindo a Proposta a Emenda Constitucional (PEC 55), que limita por 20 anos os gastos públicos.

Do lado acionário, a Bovespa recuou quase 3% e o dólar ficou em alta, sem a interferência do Banco Central.

Vale ressaltar que o Comitê de Política Monetária (Copom) está realizando a última reunião do ano e amanhã, depois do fechamento dos mercados, será divulgada a nota básica de juros do País, a Selic.

ÁSIA

As Bolsas da Ásia ficaram divididas nesta terça-feira, com toda cautela antes da reunião dos membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), do relatório de empregos dos Estados Unidos e do referendo na Itália.

Os investidores olhando para a reunião do cartel, que termina nesta quarta-feira (30), e também para o referendo, que acontece no dia 04 na Itália. Os eleitores vão decidir sobre a reforma constitucional.

O Índice MSCI Asia Pacific deslizou 0,1% para 136,47, com as empresas de telecomunicações e tecnologia liderando as perdas entre a maioria dos grupos industriais. Em Hong Kong, o Hang Seng ficou em queda de 0,41% aos 22.737 pontos. Na China, o índice SSE Composite, da bolsa de Xangai ficou em alta de 0,18% aos 3.282 pontos. Na Coreia do Sul, o índice Kospi ficou em alta de 0,01% aos 1.978 pontos. Na Índia, o índice BSE da bolsa de Bombai ficou em alta de 0,17% aos 26.394 pontos. No Japão, o índice Nikkei 225, da bolsa de Tóquio, fechou em queda de 0,27% aos 18.307 pontos.

No Japão, as vendas do varejo declinaram em outubro, embora em menor proporção. As vendas no varejo caíram 0,1% no mês passado, após uma queda de 1,7% em setembro, informou nesta terça-feira o Ministério da Economia, Comércio e Indústria.

As estimativas apontavam para um declínio de 1,5% ano a ano. As vendas no varejo diminuíram em 11 dos últimos 12 meses.

Em um relatório separado na terça-feira o departamento nacional da estatística mostrou que a despesa total das famílias declinou 0,4% nos 12 meses em outubro, depois de uma queda de 2,1% o mês precedente. Essa também foi a oitava queda mensal consecutiva.

O consumo privado, que representa cerca de 60% do Produto Interno Bruto (PIB), cresceu apenas 0,1% no terceiro trimestre, segundo um relatório do governo divulgado no início deste mês. Isso não mudou de abril a junho. O relatório mostrou impulso fraco, apesar da expansão da economia em 2,2% mais rápido do que o esperado anualmente no terceiro trimestre.

No início do dia, o Departamento de Estatísticas disse que a taxa de desemprego do Japão manteve-se estável em 3% em outubro, em três dos últimos quatro meses. O número de postos de trabalho por candidato aumentou de 1,4%.

EUROPA

As bolsas europeias fecharam com ganhos nesta terça-feira, com os negociadores atentos para o resultado da reunião da Opep, que começou hoje em Viena. Além disso, as atenções se voltam para a Itália, que realiza um referendo no dia 04 para decidir sobre uma reforma constitucional.

Um índice de bancos subiu pela primeira vez em cinco dias, com UBI Banca SpA da Itália e Intesa Sanpaolo SpA entre os maiores ganhos.

Ao final da jornada, em Londres, o índice Stoxx Europe 600 subiu 0,33% aos 340.95. Em Milão, o índice FTSE-MIB subiu 2,13% aos 16.561 pontos. Em Madri, o índice Ibex 35 subiu  0,55% aos 8.667 pontos. Em Frankfurt, o índice DAX 30 subiu 0,36% aos 10.620 pontos. Em Paris, o índice CAC 40 ganhou 0,91% aos 4.551 pontos. Em Londres, o índice FTSE-100 caiu 0,40% aos 6.772 pontos. E, em Lisboa, o índice PSI-20 caiu 0,26% aos 4.415 pontos.

Conforme o Instituto Federal de Estatística (Destatis), o índice de preços de importação da Alemanha diminuiu 0,6% em outubro de 2016 em relação ao mês correspondente do ano anterior. Entre setembro e agosto de 2016, as taxas anuais de variação foram de -1,8% e -2,6%, respectivamente. De setembro a outubro de 2016, o índice subiu 0,9%. O índice de preços de importação, excluindo petróleo bruto e derivados de petróleo, diminuiu 0,7% em relação ao mesmo período do ano anterior. O índice de preços de exportação diminuiu 0,1% em outubro de 2016 em relação ao mês correspondente do ano anterior.

ESTADOS UNIDOS

A Bolsa de Nova York fechou em mercado de touro nesta terça-feira, perto das máximas de todos os tempos, à medida que os negociadores digeriram os dados do produto interno bruto e imobiliário, enquanto aguardam os números do emprego e salários na próxima sexta-feira.

Ao final, Dow Jones ficou em alta de 0,12% aos 19.121 pontos; o S&P ficou em alta de 0,13% aos 2.204 pontos; e o Nasdaq subiu 0,21% aos 5.379 pontos.

O petróleo caiu abaixo de US $ 46 o barril com a preocupação de que o acordo da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (OPEP) para estabilizar os preços esteja em perigo, já que os principais produtores discordam sobre a redução da produção. O dólar recuou.

O petróleo dos Texas caiu para o mínimo, depois de 10 horas de negociações técnicas e sem que fossem resolvidas as diferenças entre as nações produtoras de petróleo. O Irã está se opondo aos cortes de produção propostos.

O dólar inverteu os ganhos iniciais, enquanto os títulos do Tesouro subiram à medida com os dados melhores do que o esperado sobre o crescimento econômico dos Estados Unidos.

O produto interno bruto (PIB) real aumentou a uma taxa anual de 3,2% no terceiro trimestre de 2016, de acordo com a “segunda” estimativa divulgada pelo Departamento do Comércio dos Estados Unidos. No segundo trimestre, o PIB real aumentou 1,4%.

A estimativa do PIB divulgada hoje é baseada em dados de fonte mais completas do que as disponíveis para a estimativa “antecipada” emitida no mês passado. Na estimativa antecipada, o aumento do PIB real foi de 2,9%. Com a segunda estimativa para o terceiro trimestre, o quadro geral do crescimento econômico permanece o mesmo.

O aumento do PIB real no 3T16 refletiu principalmente contribuições positivas dos gastos com consumo pessoal (PCE), exportações, investimento em estoques privados e gastos do governo federal, que foram parcialmente compensados por contribuições negativas do investimento fixo residencial e do governo estadual e local. As importações, que são uma subtração no cálculo do PIB, aumentaram.

A aceleração do PIB real no terceiro trimestre refletiu, principalmente, a recuperação do investimento em estoques privados, a aceleração das exportações, a elevação das despesas do governo federal e menores reduções nos gastos do governo estadual e local e do investimento fixo residencial.

O PIB em dólar atual aumentou 4,6%, ou US $ 207,8 bilhões, no terceiro trimestre para um nível de US$ 18.657,9 bilhões. No segundo trimestre, o PIB em dólar atual aumentou 3,7%, ou US $ 168,5 bilhões.

O índice de preços das compras domésticas brutas aumentou 1,5% no terceiro trimestre, em comparação com um aumento de 2,1% no segundo trimestre. O índice de preços de PCE aumentou 1,4%, em comparação com um aumento de 2,0%. Excluindo os preços dos alimentos e da energia, o índice de preços de PCE
aumentou 1,7%, em comparação com um aumento de 1,8%.

O Índice de Confiança do Consumidor Conference Board, que havia declinado em outubro, aumentou significativamente em novembro. O índice está agora em 107.1 (1985 = 100), acima de 100.8 em outubro.

O Índice de Situação Atual aumentou de 123,1 para 130,3, enquanto o Índice de Expectativas melhorou de 86,0 no mês passado para 91,7. “A confiança do consumidor melhorou em novembro após um declínio moderado em outubro, e está novamente em níveis anteriores à recessão”, disse, a diretora de Indicadores Econômicos do The Conference Board, Lynn Franco. O Índice situou-se em 111,9 em Julho de 2007.

O “Consumer Confidence Survey” mensal, baseado em uma amostra aleatória probabilística, é conduzido pela Conference Board da Nielsen, é um dos principais fornecedores globais de informação e análise sobre o que os consumidores compram e assistem. A data de corte para os resultados preliminares foi 15 de novembro.

A avaliação dos consumidores das condições atuais melhorou em novembro. A porcentagem que diz que as condições do negócio são “boas” melhorou de 26.5% para 29.2%, quando aquelas que dizem que as condições do negócio são “más” caíram de 17.3% para 14.8%.

A avaliação dos consumidores sobre o mercado de trabalho foi moderadamente mais positiva do que no mês passado. A porcentagem de consumidores afirmando que os empregos são “abundantes” aumentou de 25,3% para 26,9%, enquanto aqueles que afirmam que os empregos estão “difíceis de obter” permaneceram inalterados em 21,7%.

Perspectivas de curto prazo dos consumidores, em equilíbrio, foram mais otimistas em novembro. A porcentagem de consumidores que esperam que as condições do negócio melhorem nos próximos seis meses caiu de 16,4% para 15,3%; No entanto, aqueles que esperam condições de negócios piorando também diminuíram de 11,8% para 10,0%.

A perspectiva dos consumidores para o mercado de trabalho também foi um tanto mesclada. A proporção de esperar mais empregos nos próximos meses foi praticamente inalterada em 14,5%, mas aqueles que antecipam menos empregos caíram de 16,6 % para 13,8%. A porcentagem de consumidores que esperam aumento de 17,5% – pouco mudou em relação ao mês passado -, enquanto a proporção de uma queda na renda caiu moderadamente, de 10,2% para 9,0%.

As atenções se voltam agora para a próxima sexta-feira com os números do emprego e dos salários.

ARGENTINA

O índice Merval da Bolsa de Comércio de Buenos Aires fechou nesta terça-feira em baixa de 0,73%, aos 17.042,18 pontos.

Já o Índice Geral da Bolsa caiu 0,51%, para 733.766,64 pontos, enquanto o Merval 25 recuou 0,78% e fechou aos 18.399,58.

No pregão foram negociados 293,6 milhões de pesos argentinos em títulos (US$ 18,4 milhões), com 31 em alta, 39 em baixa e 9 estáveis.

No painel principal de negociações, as quedas mais expressivas foram das ações de Central Costanera (-2,84%), Petrobras (-2,68%) e Carboclor (-2,19%). As altas mais acentuadas foram dos títulos de Telecom Argentina (3,1%), San Miguel (1,94%) e BBVA-Banco Francés (1,82%).

No mercado de câmbio, o dólar subiu 20 centavos e fechou cotado a 15,50 pesos para compra e 15,90 pesos para venda.

BRASIL

A Bovespa fechou em queda nesta terça-feira, com a cautela global para a decisão da Opep. As decisões sobre as votações em Brasília ficaram no radar, mesmo com os parlamentares do Sul tentando adiar a sessão por conta da tragédia envolvendo as vítimas do voo da Chapecoense.

Ao final, o Ibovespa ficou em queda de 2,98% aos 60.986 pontos. O volume financeiro ficou em R$ 7,7 bilhões.

“O que mexeu com o mercado hoje foram as commodities, como o minério de ferro, que mesmo em queda ficou acima dos US$70,00 a tonelada. Por outro lado, a decisão da Opep também refletiu. O Irã parece não estar disposto a cortar sua produção”, disse o operador da Renascença, Luiz Roberto Monteiro.

Entre as altas estavam os papéis da Fibria ON, alta de 4,12%; Suzano Papel PNA, alta de 2,77%; Klabin UNT, alta de 1,57%.

Entre as ações em queda estavam as da Vale ON, queda de 5,90%; Localiza ON, queda de 6,85%; Usiminas PNA, queda de 6,11%; e Rumo Log ON, queda de 6,06%.

A Petrobras ON ficou em queda de 5,28% e a PN, queda 5,17%. A Vale ON, ficou em queda de 5,90% e a PN, 4,18%.

Carteira teórica

Na carteira teórica, que vigora entre 05 de setembro de 2016 a 29 de dezembro de 2016, estão os cinco ativos que apresentaram o maior peso na composição do Ibovespa estão Itauunibanco PN (10,594%), Ambev S/A ON (8,588%), Bradesco PN (7,955%), Petrobras PN (5,523%) e Petrobras ON (4,268%).

Moedas

O dólar comercial fechou em alta nesta terça-feira, em dia de pouco movimento e sem a entrada do Banco Central para leilões.

Ao final, no interbancário, a moeda ficou cotada aos R$3,394 para a compra e R$3,395 para a venda, alta de 0,33%.

O euro ficou em R$3, 615 para a compra e R$3, 618 para a venda, alta de 0,87%.

Em Frankfurt, o euro era cotado a US$ 1,0617 às 15h GMT (13h de Brasília) desta terça-feira no mercado de divisas, acima do valor da sessão de ontem no mesmo horário, que foi de US$ 1,0600. Já o Banco Central Europeu (BCE) fixou o câmbio oficial do euro em US$ 1,0576.

“O mercado está seguindo os acontecimentos, com as notícias de fora não precificando o dólar. Sem a entrada do BC nos últimos dias, mostra que o mercado está determinando o próprio mercado. De outro lado, os indicadores dos EUA apresentados hoje serviram para reforçar a elevação das taxas de juros pelo Federal Reserve na próxima reunião. Porém, resta saber se Janet Yellen permanecerá à frente do banco central”, disse o diretor de câmbio da Treviso, Reginaldo Galhardo.

O BC não entrou com leilões em mais essa sessão.

Commodities

O barril do Petróleo Intermediário do Texas (WTI, leve) fechou nesta terça-feira em baixa de 3,93%, cotado a US$ 45,23, com o mercado quase convicto de que a Opep não aprovará amanhã um corte em sua produção.

Ao final do pregão na Bolsa Mercantil de Nova York (Nymex), os contratos futuros do WTI para entrega em janeiro caíram US$ 1,85 em relação ao fechamento de ontem.

Os ministros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep) se reúnem nesta quarta-feira em Viena para revisar seus níveis de produção e estudar medidas para fazer frente ao excesso de oferta que há no mercado.

No véspera desta reunião, os analistas acreditam que não haverá uma decisão de corte da produção devido à oposição inicial de alguns países como Irã e Iraque, e aos temores da Arábia Saudita de perder fração de mercado se diminuir sua produção unilateralmente.

Por sua vez, os contratos de gasolina para entrega em dezembro, ainda os de mais próximo vencimento, caíram 4 centavos, para US$ 1,38 o galão. Já os de gás natural com vencimento em janeiro, o novo mês de referência, baixaram 0,5 centavo, para US$ 3,32 por cada mil pés cúbicos.

O barril de petróleo Brent para entrega em janeiro fechou nesta terça-feira em baixa de 3,85% no mercado de futuros de Londres, cotado a US$ 46,38.

O petróleo do Mar do Norte, de referência na Europa, terminou o pregão no International Exchange Futures (ICE) US$ 1,86 abaixo do valor final de ontem, que foi de US$ 48,24.

O preço do Brent caiu na véspera da reunião na qual os membros da Organização dos Países Exportadores de Petróleo (Opep), em Viena, tentarão fechar um acordo para limitar sua produção.

O minério de ferro negociado no porto de Qingdao fechou em queda de 4,37% e cotado aos US$77,30 a tonelada seca.

*A Equipe do Último Instante está solidária com as famílias das vítimas do voo da Chapecoense.


Assuntos desta notícia