Clicky

mm TD 728

Os principais mercados acionários globais fecharam sem direção nesta segunda-feira. A cautela para o início da temporada de balanços no cenário externo e também indicadores econômicos deverão prevalecer a partir de agora.

Na Ásia, como sempre o destaque ficou para a China e seu PIB em dia de feriado no Japão.

Na Europa, a retomada das discussões sobre o Brexit, os resultados financeiros dos bancos dos Estados Unidos, depois do governo de Donald Trump, e os dados econômicos refletiram nas quedas dos índices regionais. A grande expectativa segue para a reunião do Banco Central Europeu (BCE) na quinta-feira (19).

Nos Estados Unidos, nem mesmo os resultados econômicos da China conseguiram mudar o humor dos investidores em Wall Street. O dia foi de cautela, já que empresas de peso e bancos devem apresentar os resultados do segundo trimestre e primeiro semestre de 2017. Na lista estão a Microsoft, Goldman, entre outros.

Por aqui, com a calmaria em Brasília, já que os congressistas decidiram “enforçar” a segunda-feira e a leitura do parecer pela não admissibilidade da denúncia contra o presidente Michel Temer no plenário da Câmara dos Deputados foi adiada para agosto. A sessão plenária na qual seria feita a leitura estava convocada para 2 a tarde, mas foi cancelada por falta de quórum, e amanhã começa o recesso parlamentar.

Para a abertura da sessão eram necessários 51 parlamentares, mas apenas 14 estavam na Casa. É a segunda vez que a leitura da denúncia é adiada. Na última sexta-feira (14), a sessão de debates também foi encerrada por falta de quórum.

O parecer, elaborado pelo deputado Paulo Abi-Ackel (PSDB-MG), foi aprovado pela Comissão de Constituição, Justiça e Cidadania (CCJ) no dia 13 de julho, logo depois da rejeição do relatório de Sérgio Zveiter (PMDB-RJ), que recomendava o prosseguimento da denúncia.

Esse clima de férias pesou nos mercados, com a bolsa fechando em queda e volume financeiro em R$8,8 bilhões no exercício de opções sobre ações. Alguns papéis que subiram muito na semana passada devolveram na realização de lucros, como os da Eletrobras, Petrobras, siderúrgicas e bancos. O dólar voltou para a maior desvalorização do ano, R$3,181.

Já os indicadores domésticos apresentados hoje, como o Caged, Balança Comercial, Boletim Focus e índices de inflação, revelaram que a economia dá sinais de uma leve recuperação.

ÁSIA

As bolsas da Ásia ficaram com ganhos nesta segunda-feira, com os números da economia chinesa e as apostas sobre a atuação do Federal Reserve para as taxas de juros dos Estados Unidos. Porém, ações de pequena capitalização da China recuaram com cautela para novas medidas de órgãos reguladores. O Japão está fechado com um feriado nacional nesta segunda-feira.

Ao final da jornada, o índice MSCI Asian Pacific fora o Japão,  fechou em alta de 0,3% aos 519.85, em Hong Kong. O índice Asia Dow subiu 0,25% para 3.449. O Hang Seng, Hong Kong, ficou em alta de 0,31% aos 26.470. O Xangai Composite ficou em queda de 1,43% aos 3.176. O índice Kospi, Coreia do Sul, fechou em alta de 0,43% aos 2.425 pontos. O índice Sensex, bolsa da Índia, fechou em queda de 0,05% aos 32.020. O índice FTSE Straits Times de Singapura fechou em alta de 0,33% aos 3.298.

Pequim está focada no controle mais apertado da economia. Os decisores políticos da Conferência Nacional de Trabalho Financeiro, que se realizam a cada cinco anos e terminaram no sábado, mencionaram “risco” 31 vezes e “regulamentação” 28 vezes, observou Jack Siu, estrategista de investimentos da Ásia-Pacífico no Credit Suisse, conforme a Bloomberg.

Vale destacar que do dia 06 de junho até esta segunda-feira, o Banco Popular da China injetou 140 bilhões de yuans (US $ 20,68 bilhões) no mercado interbancário.

O índice das empresas de tecnologia caiu 5,1%, puxando o Shanghai Composite Index para 1,4%.

O produto interno bruto aumentou 6,9% no segundo trimestre em relação ao ano anterior, em comparação com uma estimativa mediana dos analistas de 6,8%.

EUROPA

As bolsas europeias devolveram hoje com indicadores para a Zona do Euro no radar dos investidores. As ações das mineradoras ganharam força com os indicadores da China.

Ao final, o índice Stoxx Europe 600 ficou estável aos 386.86, em Londres; o FTSE-MIB (Milão) ficou em queda de 0,03% aos 21.484; o Ibex 35 (Madri) caiu 0,04% aos 10.651; o DAX 30 (Frankfurt) ficou em queda de 0,35% aos 12.587; o FTSE-100 (Londres) ficou em alta de 0,35% aos 7.404; o CAC 40 (Paris) recuou 0,10% aos 5.230 pontos; e o PSI-20 (Lisboa) recuou 0,19% aos 5.292.

As ações das indústrias no Stoxx Europe caíram com o relatório mostrando queda no setor industrial. As ações de varejo avançaram 1,1%, enquanto as mineradoras tiveram os melhores desempenhos.

O minério de ferro, zinco e cobre foram beneficiados pelos dados mostrando que a economia chinesa cresceu mais rápido do que o previsto no segundo trimestre.

A libra caiu com a retomada das negociações de Brexit em Bruxelas.

ESTADOS UNIDOS

Os índices de peso em Wall Street flutuaram nesta segunda-feira, com as ações de cuidados de saúde recuando. O início da temporada de balanços e alguns indicadores apresentados hoje também refletiram no humor.

Ao final, o S&P ficou em estável aos 2.459; o Dow Jones recuou 0,04% aos 21.629; e o Nasdaq em alta de 0,03%.

No S&P, sete dos 11 setores primários aumentaram no dia com recuo nas ações das empresas de cuidados de saúde, 0,3%. As ações das gigantes de varejo tradicionais mostraram ganhos como as da Macy’s Inc, alta de 3,1%, e a Kohl’s Corp, alta de 2,7%.

Para esta semana estão previstos balanços de 68 empresas no S&P 500, de acordo com a FactSet. Estão incluídos o Bank of America Corp, Goldman Sachs Group Inc, Microsoft Corp e General Electric.

BRASIL

O índice principal da bolsa de valores de São Paulo fechou em queda nesta segunda-feira, com os investidores realizando lucros, com atenção para os números da economia chinesa, ante a trégua que se instala em Brasília com o recesso parlamentar a partir de amanhã.

Ao final, o Ibovespa ficou em queda de 0,34% aos 65.212 pontos. O volume financeiro ficou em R$8,8 bilhões, sendo que o exercício de opções sobre ações movimentou R$3,25 bilhões. O IEE ficou em alta de 0,36%.

Sobre as mais importantes commodities, o petróleo segue devolvendo e o minério de ferro apresentou recuperação na China.

As ações com ganhos
Braskem PNA, alta de 5,43%; Sabesp ON, alta de 1,75%; MRV ON, alta de 3,11%; Klabin UNT N2, alta de 1,52%; e Fibria ON, alta de 0,93%.

As ações com perdas
Eletrobras PNB, queda de 2,55%; Natura ON, queda de 3,86%; Eletrobras ON, queda de 3,15%; Ultrapar ON, queda de 3,31%; e BB Seguridade ON, queda de 1,78%.

A Petrobras ON ficou em queda de 1,25% e a PN, queda de 1,15%.
A Vale ON ficou em alta de 0,68% e a PN, alta de 0,43%.

O exercício de contratos de opções sobre ações movimentou, hoje, no segmento Bovespa, R$ 3,25 bilhões, dos quais R$ 2.664.495.901,49 em opções de compra R$ 587.575.500,00 em opções de venda.

Veja as opções com maior volume financeiro
– BOVA  –   CI   62,00 por ação movimentou R$ 121.839.920,00 em opções de compra;
– ITUBE –    PN   35,08 ação movimentou R$ 121.219.290,80 em opções de compra;
– VALE  –     PNA  25,22 por ação movimentou R$ 118.849.250,00 em opções de compra;
– PETR  –      PN   12,00 por ação movimentou R$ 89.930.400,00 em opções de compra;
– BBDC –      PN   29,34 por ação movimentou R$ 84.390.642,00 em opções de compra.

Carteira Teórica

A Carteira Teórica, que passou a vigorar de 02 de maio a 01 de setembro no Ibovespa, mostra os cinco ativos com maior peso no índice: Itauunibanco PN (11,453%), Bradesco PN (8,244%), Ambev S/A ON (7,299%), Petrobras PN (5,331%) e Vale PNA (4,727%).

Moedas

O dólar comercial fechou em queda nesta segunda-feira, uma das maiores desvalorizações do ano.

Ao final, no interbancário, a moeda ficou cotada aos R$3,179 para a compra e R$3,181 para a venda, queda de 0,11%.

O euro ficou em R$3,651 para a compra e R$3,653 para a venda, alta de 0,12%.

A libra ficou em R$4,153 para a compra e R$4,155 para a venda, queda de 0,38%.

Depois de alguns dias sem entradas, o Banco Central do Brasil (BCB) voltou ao mercado ofertando 8.300 contratos em swaps cambiais.

No cenário externo, o índice de dólar, DXY, ficou em 02%, ligeiramente inferior ao resultado de sexta-feira.

Commodities

O contrato futuro do petróleo tipo WTI para entrega em agosto foi negociado a US$ 45,99 o barril, com queda de 1,18%, no momento.

O minério de ferro negociado no porto de Gingdao, China, fechou em alta de 1,63% a US$66,81 a tonelada seca e com 62% de pureza.


Assuntos desta notícia

Join the Conversation