Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

BRASÍLIA, 8 Mai (Reuters) – O ministro Alexandre de Moraes
decidiu nesta terça-feira retirar do Supremo Tribunal Federal
(STF) sete investigações contra parlamentares, dentre eles uma
contra o senador Aécio Neves (PSDB-MG), e remeter para
instâncias inferiores do Judiciário, em linha com o entendimento
da corte de restringir na semana passada o alcance do foro
privilegiado.
O inquérito contra Aécio, que o investigava por recebimento
de propina para fraudar licitações da Odebrecht quando ele
governou Minas Gerais, vai seguir para a Justiça Criminal
Estadual de Primeiro Grau da Comarca de Belo Horizonte, de onde
será feita uma distribuição.
A ação penal contra o deputado Roberto Góes (PDT-AP) seguirá
para a 4ª Vara Criminal da Comarca de Macapá.
Os inquéritos que envolvem os deputados federais César Halum
(PRB-TO) e Carlos Henrique Gaguim (DEM-TO) vão para a Justiça
Criminal estadual em Palmas; de Luís Nishimori (PR-PR), para o
Tribunal Regional Federal da 4ª Região para redistribuir para
uma das varas criminais; de Betinho Gomes (PSDB-PE), para a
Justiça eleitoral de Jaboatão dos Guararapes (PE); do deputado
Rossoni (PSDB-PR) para a Justiça estadual criminal em Curitiba,
para livre distribuição; e do deputado Ricardo Teobaldo
(Podemos-PE), para a Justiça Criminal Estadual de Primeiro Grau
da Comarca de Limoeiro (PE) para regular e livre distribuição.
(Por Ricardo Brito; edição de Tatiana Ramil)
(([email protected]; 5511 56447765; Reuters
Messaging: [email protected]))


Assuntos desta notícia