Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Por Pedro Fonseca
NITERÓI, 8 Mai (Reuters) – O ex-ministro da Fazenda Henrique
Meirelles, que tenta viabilizar sua candidatura à Presidência
pelo MDB, garantiu nesta terça-feira que o partido terá um nome
próprio para concorrer ao Planalto, apesar da recente
aproximação do presidente Michel Temer com o pré-candidato do
PSDB, Geraldo Alckmin.
Meirelles afirmou a jornalistas, após discursar em evento da
Frente Nacional de Prefeitos (FNP) com presidenciáveis, que
Temer tem a prerrogativa de decidir se irá ou não concorrer à
reeleição, e que se o presidente decidir não participar do
pleito, ele tem convicção de que será o representante da legenda
na disputa presidencial.
"O presidente Temer, não há dúvida, que se ele decidir ser
candidato a presidente da República, ele terá todas as condições
de ser o candidato do partido, é o grande líder histórico do
partido e é o presidente. Agora, caso ele decida não ser
candidato, nós temos convicção de que seremos sim o candidato do
MDB", afirmou.
Segundo Meirelles, pesquisa realizada com membros do MDB
apontou que a maioria dos integrantes do partido defende uma
candidatura própria na eleição de outubro. O ex-ministro deixou
o comando da Fazenda em abril e filiou-se ao MDB para tentar
viabilizar sua candidatura à Presidência.
"Eu acredito, portanto, que será uma decorrência natural o
MDB ter candidato próprio, e nesses termos eu acredito que
teremos grandes condições de sermos o candidato do MDB", disse
Meirelles, que aparece com 1 por cento das intenções de votos em
pesquisa Datafolha realizada no mês passado.
O ex-ministro reconheceu que o partido está aberto a
conversações com outros partidos, mas garantiu que no momento
não há qualquer conversa objetiva.
Na segunda-feira, Temer disse que conversou com o
ex-presidente Fernando Henrique Cardoso, do PSDB, sobre a
possibilidade de uma “candidatura única das forças governistas”,
e voltou a admitir que pode não ser candidato se houver um
consenso de que o melhor nome desse campo seria outro.
Além disso, o pré-candidato tucano, Geraldo Alckmin, disse
nesta terça-feira que abriu um canal de conversas com o MDB após
um contato que teve na semana passada com Temer.
Meirelles também comentou a decisão do ex-presidente do
Supremo Tribunal Federal Joaquim Barbosa (PSB) de não concorrer
à Presidência, apesar do bom desempenho na pesquisa Datafolha.
Segundo ele, a saída de Barbosa do páreo representa uma boa
oportunidade de crescimento para a sua própria candidatura.
"Acho que teremos uma oportunidade grande de crescimento,
porque uma boa parte daquelas pessoas que declaram intenção de
voto no ex-presidente do Supremo Joaquim Barbosa o fazem por sua
participação no julgamento do Supremo, sua posição firme em
defesa da justiça", disse.
"Acho que esses eleitores estarão dispostos a votar em quem
tem um passado, uma história de probidade, uma história de
integridade pessoal, além de competência e seriedade."

(Edição de Eduardo Simões)
(([email protected]; 55 21 2223-7128; Reuters
Messaging:[email protected]))

Tesouro Direto Taxa Zero 300×250

Assuntos desta notícia

Join the Conversation