Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 728×90

Por Claudia Violante
SÃO PAULO, 4 Mai (Reuters) – As taxas dos contratos futuros
de juros tinham leves oscilações nesta sexta-feira, após dados
mais fracos do mercado de trabalho norte-americano não afastarem
a possibilidade de mais alta de juros nos Estados Unidos.
Os investidores também continuavam de olho no mercado
cambial, após a recente e forte valorização do dólar frente ao
real.
"Os dados nos EUA vieram mais fracos nesse mês. Porém, no
contexto geral, não dá para dizer que são ruins", afirmou o
economista da corretora Renascença, Daniel Queiroz.
A criação de vagas de emprego nos Estados Unidos ficou
abaixo do esperado em abril e a taxa de desemprego caiu para a
mínima de quase 17 anos e meio, a 3,9 por cento, uma vez que
alguns norte-americanos desempregados deixaram a força de
trabalho. O relatório de emprego também mostrou que os salários
tiveram apenas leve alta no mês passado.
Nas últimas semanas, cresceu o temor nos mercados globais de
que o Federal Reserve, banco central norte-americano, possa
elevar os juros mais vezes neste ano diante de sinais de melhor
desempenho da economia dos Estados Unidos e inflação maior.
Juros elevados no país têm potencial para atrair recursos
aplicados hoje em praças financeiras consideradas de maior
risco, como a brasileira.
A trajetória de leve vaivém do dólar ante o real também
estava sendo acompanhada pela curva de juros futuros nesta
sessão, sobretudo no trecho mais longo.
Os DIs mais curtos e intermediários continuavam no movimento
de reprecificação das apostas sobre a política monetária no
Brasil, com apostas crescendo de que o Banco Central pode
interromper o atual ciclo de afrouxamento antes do esperado.
Isso, de modo geral, por conta do recente salto do dólar,
que chegou a encostar em 3,55 reais neste mês, levando o BC a
intervir mais forte no mercado de câmbio. Dólar mais alto pode
pressionar a inflação e interferir na trajetória de juros.
Os DIs precificavam nesta sessão cerca de 60 por cento por
cento de chances de redução de 0,25 ponto percentual da Selic
neste mês, similar à véspera, com o restante indicando
manutenção, segundo operadores. No fim de abril, essas apostas
de corte estavam em torno de 70 por cento.
Para a reunião de junho do Comitê de Política Monetária
(Copom) do BC, os DIs mantinham cerca de 15 por cento de apostas
de outro corte de 0,25 ponto da Selic, com o restante indicando
manutenção. Em abril, a precificação de redução da Selic estava
em cerca de 25 por cento.
Em março, o BC cortou a taxa básica de juros em 0,25 ponto
percentual, para o piso histórico de 6,50 por cento ao ano.
Veja as taxas dos principais contratos de DIs às 11:53:
mês ticker último fechamento variação
(%) anterior (p.p.)
(%)
JUL8 6,25 6,254 -0,004
JAN9 6,275 6,275 0
JAN0 7,06 7,05 0,01
JAN21 8,04 8,04 0
JAN23 9,2 9,21 -0,01

(Edição de Patrícia Duarte)
(([email protected]; 55 11 5644 7723; Reuters
Messaging: claudia.violante.reuter[email protected];))

MetaTrader 300×250