Clicky

Tesouro Direto Taxa Zero 970×250

Por Mica Rosenberg
4 Mai (Reuters) – O governo Trump informou nesta sexta-feira
que irá encerrar proteções temporárias para imigrantes de
Honduras nos Estados Unidos em 5 de janeiro de 2020, deixando
possivelmente 57 mil pessoas vulneráveis à deportação.
Esta é a mais recente em uma série de decisões do presidente
Donald Trump de encerrar status de proteção temporária (TPS)
dados a imigrantes após desastres naturais ou conflitos
violentos que impediriam que retornassem em segurança para seus
países.
Trump denunciou uma “caravana” de imigrantes, na maioria da
América Central, que cruzou o México buscando entrar nos EUA por
San Diego. Muitos dizem estar fugindo de violência e agitações
políticas em casa e esperam solicitar asilo em tribunais de
imigração norte-americanos.
Marlon Tabora, embaixador de Honduras nos EUA, disse que as
condições são inexistentes no país para repatriar dezenas de
milhares de pessoas. “Estas famílias viveram nos Estados Unidos
por 20 anos e reintegrá-las no país não será fácil caso decidam
retornar”, disse.
Hondurenhos formam a segunda maior nacionalidade com TPS a
perder seu status, que foi dado ao país – junto ao Nicarágua –
em 1999 após devastação provocada pelo furacão Mitch.
O governo informou ter realizado uma revisão e estabelecido
que “condições em Honduras que resultaram do furacão melhoraram
notavelmente”. O prazo de 18 meses para encerrar o programa irá
permitir que “indivíduos com TPS organizem suas saídas ou
busquem uma imigração legal alternativa”, informou o
Departamento de Segurança Nacional em comunicado.
Em janeiro, o governo Trump encerrou classificação de TPS
para cerca de 200 mil salvadorenhos, que permitia que eles
morassem e trabalhassem nos EUA desde 2001. O status deles irá
expirar em 2019.
((Tradução Redação São Paulo, 5511 56447759))
REUTERS ES


Assuntos desta notícia